Enfim, uma novela feliz no Olímpico: Grêmio apresenta o zagueiro Rodolfo

Jogador chega após frustrações com Ronaldinho Gaúcho e Jonas no clube


O início de 2011 foi difícil para o Grêmio. Durante meses a diretoria negociou com Ronaldinho Gaúcho, e após anunciar o acerto iminente, viu o jogador acertar-se com o Flamengo. Depois, veio a renovação de contrato com Jonas, que surpreendeu ao anunciar sua saída rumo ao Valencia. Mas nesta sexta-feira a terceira novela tricolor da temporada teve um final feliz: o zagueiro Rodolfo foi aprovado nos exames médicos, assinou contrato, e vestiu no Estádio Olímpico a camisa tricolor.

Com 28 anos, o ex-jogador do Fluminense passou sete temporadas consecutivas na Europa. Ele chega ao Grêmio por empréstimo de um ano, ainda vinculado ao Lokomotiv Moscou, onde era titular e capitão.

Bem-humorado, o próprio zagueiro admite que a novela foi desgastante, mas teve um bom desfecho:

– É um prazer voltar ao Brasil. Tenho que agradecer a Deus e à diretoria do Grêmio, que abraçou a causa. Acabou a novelinha, agora estou na área, e dentro, é o que vou escrever no Twitter. Desde o ano passado houve o contato, não foi possível completar a contratação. Foi desgastante porque é pré-temporada, começo de ano, eu estava na Turquia com o grupo. Estávamos sem técnico, a família longe, as coisas vão cansando. Mas foi uma provação legal. Estamos todos agora felizes. Rodolfo voltou por dois motivos principais. Primeiro, a vontade de voltar a morar no Brasil com a família; e segundo, o desejo de atuar em um clube com o qual se identificou durante as negociações, e onde estão os amigos Renato Gaúcho e Gabriel.

– Foi uma questão familiar, minha filha está com quatro anos, está entendendo as coisas, esse processo de viajar é muito difícil. Lá eu estava muito bem, mas abracei também essa causa pelo projeto do Grêmio. A intuição de ganhar essa Libertadores pelo Grêmio é o que me trouxe para cá – afirmou.


Antônio Vicente Martins, vice de futebol do clube, esteve na entrevista coletiva e admitiu que esta negociação pode servir de recuperação do otimismo entre torcedores abatidos pelos tristes desfechos das novelas protagonizadas por Ronaldinho Gaúcho e Jonas.

– Essa novela acabou. Depois de haver um retrocesso a gente retomou a negociação sem dar publicidade, conseguimos a liberação e contratamos ele por empréstimo. Hoje mesmo ele já vai treinar. Nós trabalhamos durante bastante tempo para concretizar essa negociação. O Rodolfo sabe o quanto é difícil negociar com um clube russo. Os negócios são muito complexos, envolvem o clube, os investidores que às vezes têm participação nos direitos – disse, para complementar:

– A finalização dessa negociação serve para confortar e para mostrar ao torcedor que a diretoria se mobiliza sim, trabalha, e quando tudo dá certo acaba tendo esse final feliz. Às vezes não dá, fica uma ponta desamarrada. Os clubes que têm limitações financeiras passam por dificuldades para fazer essas contratações. O acerto ocorre pela vontade do Rodolfo, pela vontade do clube, e pela confiança do Renato, que sabe que o Rodolfo será útil e referencial para o Grêmio em 2011.

Renato Gaúcho deixa para sexta a definição do Grêmio que vai a Rivera

Equipe reserva enfrentará o Inter B no Gre-Nal do próximo domingo, pelo Gauchão


Renato Gaúcho chegou de Montevidéu às 3h30m desta quinta-feira, com a delegação tricolor, após o empate em 2 a 2 com o Liverpool-URU pela pré-Libertadores. Horas depois já comandava, à tarde, o treino dos reservas sob forte sol no gramado suplementar do Olímpico.

Mas o técnico do Grêmio ainda não definiu o time de suplentes que participará do Gre-Nal do próximo domingo, em Rivera – no Uruguai – pelo Campeonato Gaúcho. A escalação será encaminhada no treino de sexta-feira, novamente em Porto Alegre, um dia antes da viagem à fronteira.

Há indícios, entretanto, de nomes que serão utilizados. O goleiro Marcelo Grohe; Mário Fernandos e Bruno Collaço (ou Denner) nas laterais; Jaílton, Neuton e Vilson por duas vagas na zaga; Mateus Magro, Adilson, Maylson, Roberson, Pessalli, Mithyuê, Willian Magrão e Vinicius Pacheco são opções para o meio-campo; e no ataque há como alternativas Wesley, Diego Clementino e Lins.

Nesta tarde, Renato preferiu comandar um treino recreativo. Os titulares, que serão preservados do enfrentamento com o time B do Inter, realizaram apenas atividades físicas. Borges, recuperando-se de lesão, intensificou os treinos, mas ainda não se integrou ao trabalho técnico.

Grêmio e Liverpool-URU empatam em jogo cheio de erros no Centenário

Tricolor gaúcho fica duas vezes em vantagem, mas permite igualdada ao time uruguaio em Montevidéu

Empate fora de casa. E ainda marcando dois gols. No papel, o 2 a 2 do Grêmio diante do Liverpool-URU, na quarta-feira, no Centenário (Montevidéu), pela fase preliminar da Taça Libertadores, não pode ser considerado ruim. Mas ficou para os tricolores um gosto de que poderia ter sido melhor. O time esteve duas vezes em vantatagem no marcador, mas permitiu que a equipe uruguaia empatasse.

Com o saldo qualificado sendo critério decisivo, o Grêmio joga por um empate de 0 a 0 ou 1 a 1 no Olímpico, em 2 de fevereiro, para classificar-se ao Grupo 2 da competição continental.

André Lima e Douglas fizeram os gols do time gaúcho. Maureen Franco e Nicolas Guevara marcaram para o anfitrião. Todos no primeiro tempo.

Bola parada e esquisita

Sem Jonas, negociado com o Valencia, e Adilson, suspenso, Renato Gaúcho escalou Vilson e Júnior Viçosa no time titular. De início, o confronto em nada se parecia com um duelo da Taça Libertadores. Nenhum dos goleiros, nem Castro, nem Victor, estavam em sintonia com a tradição da maior competição de futebol de clubes da América. Em 25 minutos, cada equipe concluiu duas vezes. E marcaram dois gols cada. Todos de bola parada.

Aos seis, Douglas cobrou escanteio, e André Lima cabeceou a bola no travessão. Ela voltou em Castro, que estava ajoelhado sobre a linha. A bola tocou no arqueiro e entrou: 1 a 0. Dois minutos depois, entretanto, Victor apenas assistiu à despretensiosa falta de Maureen Franco, que empatou ao encobrir o atônito goleiro da Seleção Brasileira.

O Grêmio voltou à frente em lance não menos esquisito. Aos 14, Douglas cobrou falta, André Lima foi na bola, não conseguiu alcançá-la, mas o goleiro do Liverpool-URU atrapalhou-se e deixou passar. Um gol de churrasco, daqueles confrontos de solteiros contra casados, com chinelos demarcando as metas.

Mas a comemoração dos gremistas durou apenas nove minutos. Foi o tempo necessário para Guevara completar de cabeça um escanteio da esquerda, e igualar novamente o jogo. Victor pareceu assustar-se com Gilson, colocado junto da trave direita, e somente viu a bola entrar no gol.

Pancadaria nas arquibancadas

Pouca gente no setor visitante do Estádio Centenário assistiu aos gols de Franco, Douglas e Guevara. Torcedores do Liverpool-URU atacaram os tricolores com pedaços de cadeiras arremessados à distância, e os gremistas revidaram da mesma forma. Após minutos de hostilidade mútua, policiais uruguaios invadiram a área destinada aos tricolores.

Mas eles eram poucos. Alguns torcedores do Grêmio decidiram enfrentá-los, e durante quase dez minutos o conflito se deu com violência. Em menor número, os policiais resistiram até controlar o tumulto. Foi o único momento no qual o público do Liverpool se manifestou com maior força, em um momento de rivalidade fronteiriça, gritando:

– Uruguai! Uruguai! Uruguai!

Em grande parte formado por apreciadores de futebol, o setor do time da casa passou o tempo quase integral sem grande manifestação. A trilha sonora da partida resumiu-se aos cânticos dos aproximadamente três mil gremistas.

Erros, falhas e exaustão

Matias Castro voltou com maior sorte do intervalo. No primeiro lance ofensivo do segundo tempo, Lúcio acertou o poste direito. Como resposta, Franco deu oportunidade para Victor se redimir, forçando o goleiro tricolor a protagonizar uma defesa incrível no ângulo direito.

Com o jogo indefinido, Renato Gaúcho promoveu a estreia de Vinicius Pacheco, que substituiu Júnior Viçosa. Taticamente, o técnico gremista tentou proteger a área, recuando o zagueiro Vilson, volante improvisado que passou a perseguir individualmente Maureen Franco, permitindo a Paulão sobrar nas jogadas do Liverpool-URU.

Parecendo satisfeitos com o empate, embora a pré-Libertadores tenha saldo qualificado, os jogadores uruguaios tiveram tempo para reprisar os torcedores iniciando uma briga em campo, aos 29, após André Lima tentar completar um rebote de Castro. Mas o empurra-empurra foi contido pelo árbitro paraguaio Carlos Torres.

Aparentando cansaço, as duas equipes diminuíram o ritmo. Aumentaram os erros de passes, as triangulações equivocadas, e os chutes sem direção. E o jogo arrastou-se demoradamente até o final em 2 a 2.

Antes de reencontrar o Liverpool-URU no dia 2, o Grêmio enfrenta no domingo o rival Inter pelo Gauchão. O clássico está marcado para o estádio Atílio Paiva, em Rivera. Os tricolores jogarão com reservas, e os colorados com o time B.

LIVERPOOL-URU 2 X 2 GRÊMIO
Matias Castro; Souza Motta, Juan Alvez e Hugo Souza; Maxi Montero, Carlos Macchi, Hernan Figueredo (Silvera), Maureen Franco (Figueroa) e Mauricio Felipe; Emiliano Alfaro e Nicolas Guevara (Blanes). Victor; Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Gilson (Diego Clementino); Fábio Rochemback, Vilson, Lúcio e Douglas; Júnior Viçosa (Vinicius Pacheco) e André Lima (Lins).
Técnico: Eduardo Favaro. Técnico: Renato Gaúcho.
Data: 26 de janeiro de 2011. Local: Estádio Centenário, em Montevidéu (Uruguai). Árbitro: Carlos Torres, auxiliado por Cesar Franco e Darío Gaona (trio do Paraguai).
Gols: André Lima, aos 6 minutos; Maureen Franco, aos 8; Douglas, aos 14; e Guevara, aos 25 do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Souza Motta, Blanes, Emiliano Alfaro e Carlos Macchi (Liverpool); Paulão, Gabriel, André Lima e Gilson (Grêmio).

Grêmio treina no Estádio Centenário e situação do gramado preocupa

Preparador físico pediu aos jogadores para reconhecer cada ponto do gramado

Na ensolarada tarde desta terça-feira em Montevidéu o preparador físico Flávio de Oliveira colocou os jogadores do Grêmio para se movimentar de lado a outro no Estádio Centenário. Como nas danças de salão, pediu que os atletas utilizassem todo o espaço disponível em seus deslocamentos, para frente, para trás, e para os lados. Com um objetivo: conhecer dada centímetro quadrado do campo de aspecto e condições muito precários.

A atividade teve início aproximadamente às 16h, e encerrou-se pouco antes das 18h. No local, o Grêmio enfrenta o Liverpool-URU às 22h  de quarta-feira pela pré-Libertadores. E as condições do gramado preocupam os tricolores.

– Movimenta. Vai lá no canto, vê como está o gramado. Volta, confere o outro lado – gritou Oliveira.

Após o treino físico, houve o costumeiro recreativo de vésperas de jogos. Sem Jonas, que capitaneava a equipe azul, Fábio Rochemback assumiu o comando do time adversário dos laranjas, sempre comandados por Gabriel. Renato Gaúcho atuou, e foi o mais aplaudido a cada toque na bola pelos cerca de vinte gremistas que assistiram ao trabalho.

Ainda houve tempo para Renato comandar um treino de conclusões aéreas. Ele e o auxiliar técnico Roger fizeram os cruzamentos para os jogadores concluírem na área.

Vinícius Pacheco treinou normalmente e deve substituir Jonas, negociado com o espanhol Valencia. O Grêmio provável tem Victor; Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Gilson; Fábio Rochemback, Vilson, Lúcio e Douglas; Vinícius Pacheco e André Lima.

Após saída de Jonas, Renato pede reforços. ‘Time precisa de experiência’

Treinador não vê no elenco outro jogador com as mesmas características do artilheiro e afirma que atacante vai se desculpar por xingamentos


A preparação do Grêmio para a estreia na Libertadores, quarta-feira, contra o Liverpool (Uruguai), foi abalada nesta segunda-feira pela notícia de que Jonas deixa o clube para atuar no Valencia. O treinador Renato Gaúcho lamentou a saída do artilheiro do último Brasileirão e reconheceu que o time precisa ser reforçado.

– Vamos procurar definir alguns nomes. Já falei que precisamos reforçar o grupo e é necessário colocar gente para nos ajudar nesta Libertadores. O time do Grêmio precisa de experiência e estes jogadores vão chegar. Agora abriu mais uma brecha com a saída de Jonas.

Renato avalia que o grupo tricolor é qualificado, mas reconhece que não há outro jogador no clube que reúna as mesmas características do artilheiro. André Lima, Júnior Viçosa e Borges são considerados “jogadores de área” pelo treinador. Assim, Jonas vai deixar um vazio no time.

– Vamos sentir muito a falta do Jonas. Mas a vida segue. Entendo o sofrimento do nosso torcedor. Mas a torcida sabe que pode confiar na gente.

Ídolo da torcida gremista, Renato Gaúcho afirmou que Jonas vai se desculpar com os torcedores pelos xingamentos que dirigiu para as arquibancadas em seu último jogo pelo Tricolor, na sexta-feira, contra o São José.

– Ele ia falar hoje (segunda) com a imprensa. Mas aconteceu tudo isto. Ele vai pedir desculpas para a torcida. Vai deixar uma carta para vocês. Ele só não fala agora para não tirar o foco do jogo pela Libertadores. Mas ele está arrependido e sabe o que significa o Grêmio. Ele vai colocar isto na carta que vai deixar para a imprensa. Ele nunca teve problema deste tipo e estava abalado com as propostas. Ele errou e reconheceu. Vai reconhecer em público – garantiu Renato.

Renato disse compreender a posição do jogador diante de uma oferta milionária do futebol europeu.

– Estou um pouco triste pela saída dele. O Jonas me ligou no domingo, dizendo que estava pensando em sair. Na hora que ele me ligou, já senti o drama. Mas tenho que entender o lado do jogador. Ele deixou o hotel com lágrimas. Mas isso acontece em todos os clubes. No momento que aparece uma proposta, não tem como competir.

André Lima aparece no BID e deve voltar ao Grêmio nesta sexta-feira

Centroavante renovou contrato, e não conseguiu atuar nos dois primeiros jogos


No final de 2010 o centroavante André Lima tornou-se dono dos próprios direitos econômicos.

Ele renovou contrato com o Grêmio, por mais três anos, mas dependia de um documento do Hertha Berlim, clube alemão ao qual estava vinculado, para receber nova liberação no Brasil.

Sem a documentação, André Lima viu-se impossibilitado de jogar nas duas primeiras rodadas do Gauchão 2011. Ele ficou de fora dos empates com o Lajeadense e o Ypiranga.

– A gente sabe que essa questão burocrática demora um pouco, é normal. Mas estava esperando há dias por essa liberação e já sentindo saudade dos gramados. Fico muito feliz por estar novamente à disposição do técnico – disse, via assessoria de imprensa.

Na tarde desta quinta-feira, entretanto, o novo contrato de André Lima foi publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Com a situação regularizada, inscrito pelo Grêmio até 2013, o centroavante pode enfim estrear na temporada.

André Lima deve ser titular do Grêmio na partida das 20h30m desta sexta-feira, contra o São José-Poa, no Estádio Olímpico.

Time reserva do Grêmio empata com o Ypiranga em Erechim pelo Gauchão

No Estádio Colosso da Lagoa, Grêmio cedeu empate aos 39 do segundo tempo

Se os titulares estrearam no sábado com empate em casa contra o Lajeadense, o time reserva fez o mesmo nesta noite de quarta-feira, mas fora de casa. Na cidade de Erechim, o Grêmio empatou com o anfitrião Ypiranga em 1 a 1. A partida, válida pela segunda rodada, foi disputada no Estádio Colosso da Lagoa.

Júnior Viçosa marcou para o Grêmio, aos 10 do segundo tempo. Aos 39, Mateus igualou, em cobrança de falta. Com o empate, o Tricolor soma dois pontos no Grupo 2. Na chave 1, o Ypiranga sobe para quatro pontos.

Renato Gaúcho escalou apenas um titular – o volante Adilson. Os demais ficaram em Porto Alegre, preparando-se para o enfrentamento com o São José-Poa nesta sexta-feira, e também para a abertura da pré-Libertadores, dia 26 de janeiro, contra o Liverpool-URU.

Fora de foco
No primeiro tempo os jogadores do Grêmio não conseguiram acertar o foco na hora de mirar as conclusões. Nos minutos iniciais, e também no final da etapa, criaram-se boas chances de marcar. De cabeça, Diego Clementino desperdiçou, enquanto com os pés Júnior Viçosa jogou para fora pelo menos três chutes.

Entre estes breves períodos de predomínio ofensivo tricolor, entretanto, a disputa resumiu-se ao espaço entre as intermediárias. Bem posicionado, o Grêmio não permitiu ao Ypiranga ingressar na área defendida por Marcelo Grohe. E o Ypiranga, com três zagueiros, pouco se articulou para vencer a organização tricolor.

Sobraram erros de passes, jogadas frustradas e faltas fortes. Não fossem as cobranças de tiros de meta, e o público que assistiu ao jogo pela tevê não saberia a cor do uniforme dos goleiros.

Sintonia fina
O necessário ajuste na pontaria tricolor aconteceu aos 10 do segundo tempo. Roberson recebeu de Pessalli e, em lançamento preciso, encontrou Júnior Viçosa entre dois zagueiros. Embora atabalhoado, o atacante do Grêmio venceu os marcadores em velocidade e chutou rente ao gramado: 1 a 0.

Daí em diante os contra-ataques puxados por Diego Clementino e pelo autor do gol mantiveram o Ypiranga sob controle. O técnico Agenor Piccinin recorreu às três alterações, mas não conseguiu modificar o cenário favorável ao Grêmio, que controlou a partida quase até o final.

Aos 39 o zagueiro Mateus disparou um torpedo em cobrança de falta, e com pontaria perfeita, destruiu o ângulo superior direito do gol defendido por Marcelo Grohe, empatando a partida para o Ypiranga.

Próximos jogos
O Grêmio volta a jogar às 20h30m desta sexta-feira, contra o São José-Poa, no Estádio Olímpico, em partida antecipada da 4ª rodada do Campeonato Gaúcho. Às 17h de domingo o Ypiranga recebe o Porto Alegre em Erechim – no mesmo dia e horário, o Grêmio vai a Canoas enfrentar o time da casa.

Ypiranga 1 x 1 Grêmio
Bruno Grassi; Frede (Gilvan), Glauco e Mateus; Thiago Gosling, Pansera (Silvestre), Émerson, Saulo e Baroni; Cleiton e Elcimar (Tiago Pereira). Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Vilson, Neuton e Bruno Collaço; Mateus Magro, Adilson, Roberson (Maylson) e Pessalli (Dener); Júnior Viçosa (Bergson) e Diego Clementino.
Técnico: Agenor Piccinin. Técnico: Renato Gaúcho.
Data: 19 de janeiro de 2010. Local: Estádio Colosso da Lagoa, em Erechim. Árbitro: Márcio Chagas da Silva apita o jogo, auxiliado por Altemir Hausmann e Júlio César dos Santos.
Gols: Júnior Viçosa (Grêmio), aos 10m; Mateus (Ypiranga), aos 39m, ambos no 2º tempo.
Cartões amarelos: Baroni e Glauco (Ypiranga); Neuton (Grêmio).