Grêmio faz 3 a 1 no San Martin lá no Peru

Argentino Maxi López marca duas vezes na fácil vitória tricolor

Vaga está nas mãos do Grêmio

Vaga está nas mãos do Grêmio (Crédito: Reuters)

LANCEPRESS!

Com a facilidade prevista, o Grêmio derrotou o Universidad San Martín por 3 a 1, na noite desta quarta-feira em Lima, Peru, e praticamente garantiu sua passagem às quartas-de-finais da Copa Libertadores da América. Maxi López, duas vezes, e Souza marcaram os gols do Tricolor.

No jogo da volta, quarta-feira próxima, no Olímpico, a classificação estará garantida até com uma eventual derrota por diferença de um gol, e até por 2 a 0 – algo impensável para quem viu a partida na capital peruana.

Era o jogo do contraste – o encontro do melhor primeiro lugar contra o pior segundo colocado na fase de grupos. O Grêmio tratou de confirmar isso na prática tão logo o jogo começou.

E chegou ao primeiro gol aos 9 com Souza, seu melhor jogador. O meia evitou o carrinho de um zagueiro com um toquezinho e, de fora da área, acertou um lindo chute de pé esquerdo.

O melhor caminho era pela direita. Ruy se desprendia com facilidade, fazia boas tabelas com Tcheco e chegava à linha de fundo com facilidade. Viradas de jogo também encontravam o ala livre. Mas ele pecava nos cruzamentos.

As melhores chances, resultado de boas jogadas de Souza e Tcheco, foram aparecendo ao natural. Tcheco exigiu grande defesa de Butron; Souza, em cobrança de falta e Réver em cabeceio também levaram perigo.

A facilidade era tanta que o Grêmio relaxou, achando que golearia ao natural. Um perigo, diante do bom toque de bola peruano e da habilidade dos atacantes Cejas e Arzuava. E o castigo veio. Aos 34, o Arzuaga recebeu em profundidade pela direita, cortou Réver e chutou cruzado, de pé esquerdo: 1 a 1.

O desafogo, porém, chegou logo na abertura do segundo tempo. Aos 30 segundos, Souza deslocou-se para a esquerda e cruzou na cabeça de Maxi López, especialista no assunto, e o argentino colocou no canto esquerdo: 2 a 1.

Esse gol criou as condições para o tipo de jogo que o Grêmio queria: bloqueio forte atrás e saídas em contragolpes rápidos pelos lados. Aos 15, depois de perder outras chances, o terceiro gol: Jonas desbordou pela direita e cruzou para a pequena área, onde Maxi López cabeceou com estilo no ângulo esquerdo: 3 a 1.

Dentro da mesma estratégia, o Tricolor chegou à grande área várias outras vezes, mas deixou de ampliar o placar por querer enfeitar as jogadas. Por fim, ficou satisfeito: trocou Maxi López pelo apático Herrera e, depois, o atacante Jonas pelo volante Túlio.

FICHA TÉCNICA

UNIVERSIDAD SAN MARTÍN 1 X 3 GRÊMIO

Local: Estádio Alejandro Villanueva (Lima, PER)
Data – hora: 06/05/ 2009 – 21,50h (horário de Brasília)
Árbitro: Carlos Vera (ECU)
Auxiliares: Juan Cedeño (ECU) e Carlos Herrera (ECU)
Renda e público: não divulgados
Cartão amarelo: Fábio Santos, Souza (GRE), Arzuaga (SM)
Gols: Souza, 9′/1ºT (0-1), Arzuaga, 34′/1ºT (1-1); Maxi López , 1′/2ºT (1-2), Maxi López, 16′/2ºT (1-3).

SAN MARTÍN: Butrón; Díaz (Carrillo 21/2T), Ramos, Guizasola (Huaman 3/2T) e Salas; Fernandez, Hinostroza, Ballón e García; Cejas (Silva 15/2T) e Arzuaga. Técnico: Victor Rivera

GRÊMIO: Victor; Léo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Tcheco (Douglas Costa 46/2T), Souza e Fábio Santos; Jonas (Túlio 33/2T) e Maxi López (Herrera 25/2T). Técnico: Marcelo Rospide

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Grêmio garante melhor campanha da primeira fase com vitória sobre o Boyacá

Grêmio garante melhor campanha da primeira fase com vitória sobre o Boyacá

Tricolor faz 3 a 0 somente no primeiro tempo e chega aos 16 pontos

Ampliar Foto Agência/AFP Agência/AFP

Jogadores comemoram um dos gols de Souza

O Grêmio só precisou do primeiro tempo para construir a vitória de 3 a 0 sobre o Boyacá Chicó, nesta terça-feira, em Porto Alegre. Souza, duas vezes, e Léo marcaram os gols. O triunfo garantiu ao Tricolor a melhor campanha da fase de grupos da Taça Libertadores com 16 pontos, além da melhor defesa, sofrendo apenas um gol em seis jogos. O time colombiano (nove) acabou sendo ultrapassado pelo Universidad de Chile (dez) no Grupo 7 nesta última rodada e está eliminado. Brasileiros e chilenos aguardam o encerramento das demais chaves para conhecer seus adversários.

O jogo

O volume de jogo que o Grêmio teria durante todo o primeiro tempo foi mostrado logo aos dois minutos por Jonas. Ele entrou driblando na área e caiu. Pediu pênalti, mas o árbitro Jorge Larrionda não deu. Aos seis, Ruy aproveitou rebote no bico direito e pegou de primeira. O goleiro Velásquez espalmou para o lado.

Coube a Souza superar o goleiro do Boyacá e abrir a porteira. O meia avançou pela meia esquerda, viu Velázquez adiantado e mandou de trivela, no ângulo oposto, com 16 de jogo. Avalanche no Olímpico!

Quatro minutos depois, placar ampliado. Jonas trocou de posição com Souza e da intermediária lançou o meia, que desta vez apareceu pela direita. O chute de primeira colocou a bola no fundo do gol para deixar o placar já em 2 a 0.

Jonas viu seu companheiro marcar duas vezes e tentou correr atrás do “prejuízo”. Aos 23, Souza tabelou com Maxi López e deu passe para Jonas na área. O atacante girou e chutou por cima do gol. Com 28 minutos, o mesmo Jonas arriscou de fora da área e novamente a bola passou sobre o travessão.

Se Jonas não consegue fazer, os outros jogadores tinham aproveitamento melhor. Aos 29 minutos, Tcheco bateu falta para a área, Réver ajeitou e Léo completou para fazer o terceiro.

A vitória estava praticamente garantida, a melhor campanha também, mas Jonas não desistiu de tentar deixar a sua marca. Com 39 de jogo, Tcheco ganhou dividida na intermediária e deu passe rasteiro para a entrada de Jonas na área. Velásquez saiu do gol e fechou o ângulo, evitando que o chute do atacante fosse para dentro do gol.

Boyacá ensaia reação

A etapa final começou com um susto para a torcida tricolor. Léo derrubou Giron na área, cometendo pênalti aos sete minutos. Caneo foi para a cobrança e converteu. Entretanto, o árbitro uruguaio assinalou invasão, e o jogador do time colombiano teve que repetir. Na segunda tentativa, Caneo manteve o canto esquerdo, e Victor voou para fazer a defesa.

O Grêmio aguentou bem a pressão inicial dos visitantes e aos 20 minutos quase chegou ao quarto. Souza cruzou da direita, Maxi López não alcançou, e Fábio Santos chutou de primeira na segunda trave. O chute pegou o argentino na queda. A bola bateu no calcanhar do atacante e foi pela linha de fundo.

A melhora da equipe colombiana e a queda de rendimento no Grêmio resultaram em uma diminuição no ritmo da partida. Sem outras grandes emoções, o placar ficou mesmo nos 3 a 0.

Ficha técnica:

GRÊMIO 3 x 0 BOYACÁ CHICÓ
Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Souza, Tcheco (Orteman) e Fábio Santos (Jadilson); Jonas e Maxi López (Alex Mineiro). Velásquez; Pino, Tejera (Giron), García e Madera; Ramírez, Tapia (Rada), Núñez e  Caneo; Palacios e Pérez (Duran).
Técnico: Marcelo Rospide. Técnico: Alberto Gamero.
Gols: Souza, aos 12 e 16 minutos, Léo, aos 29 do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Tcheco e Rafael Marques (Grêmio); Nuñez, Pino e García (Boyacá Chicó).
Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS). Data: 28/04/2009. Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai). Auxiliares: Pablo Fandiño (Uruguai) e Miguel Nievas (Uruguai).