Grêmio e Cruzeiro: só uma vaga na decisão

Qual dos dois fará a final da Libertadores contra o Estudiantes?

LANCEPRESS!

O Grêmio recebe o Cruzeiro nesta quinta-feira, na partida decisiva das semifinais da Libertadores. O Tricolor Gaúcho foi derrotado na partida da última semana, no Mineirão, por 3 a 1, e terá de vencer por 2 a 0 ou três gols de diferença, caso o Cruzeiro balance as redes. A principal mudança no time de Porto Alegre é a entrada de Herrera no lugar do questionado Alex Mineiro.

Com a mudança, o técnico Paulo Autuori turbinou outro fator favorável. A torcida, que já faria um barulho infernal com qualquer um que não se chamasse Alex Mineiro, é fã incondicional de Herrera desde sua primeira passagem, em 2006. Herrera, aliás, entra no time devido à fase desfavorável de Alex, que está completando quatro meses sem marcar um mísero gol – o último foi na derrota de 2 a 1 para o Inter, em 1º de março, pelo Gauchão.

— O momento não é mesmo propício para continuar a insistir com o Alex Mineiro – convenceu-se Autuori, que percebeu a animosidade da torcida com o camisa 9, depois dos dois gols perdidos no jogo do Mineirão.

Herrera entra, também, para mudar o estilo da equipe na parte ofensiva. O Grêmio vai partir desde cedo para o abafa, e precisa de dois atacantes definidores. Ao contrário de Alex Mineiro, que costuma recuar para elaborar jogadas, o argentino é mais agudo. Seu forte é corpo-a-corpo na grande área. Mas também se desloca para o lado direito, buscando o cruzamento para o cabeceio de Maxi López.

A outra modificação será a volta do goleiro Victor, que esteve com a Seleção na África do Sul, desfalcando a equipe em quatro jogos do Brasileiro e dois da Libertadores. Marcelo Grohe foi isentado de culpa nos três gols do Cruzeiro. Mas, diz-se no Olímpico, é incapaz de praticar os “milagres” do titular.

Diferentemente do que aconteceu no primeiro jogo, o Cruzeiro terá reforços consideráveis e que podem ajudar o time na manutenção da vantagem estabelecida em casa. Se há uma semana Adilson Batista perdeu dois jogadores por lesão e ficou sem um suplente no banco de reservas, o treinador poderá contar com dois cruzeirenses que não participaram da vitória por 3 a 1, em Belo Horizonte, além do retorno de Ramires, que estava com a Seleção Brasileira.

Gerson Magrão e Thiago Ribeiro, titulares do time, foram liberados pelo departamento médico. Magrão deverá começar jogando na lateral esquerda. Thiago, por sua vez, pode ser preservado para o segundo tempo e irá explorar a sua característica principal: a velocidade.

– Sabemos que o Grêmio vai querer pressionar e temos de estar bem fechado, como foi no Morumbi, para, nos contra-ataques, na base da velocidade, surpreender e marcar. Sabemos que, fazendo um gol, a dificuldade para o Grêmio aumenta ainda mais – analisou o atacante.

A última vez que a Raposa chegou à semifinal da Libertadores foi em 1997, ano em que o time conquistou o bicampeonato da competição sob o comando de Paulo Autuori, hoje à frente do Grêmio.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO x GRÊMIO

Estádio: Olímpico Monumental, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 2/7/2009 – 21h50
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Abraham González (COL) e Humberto Clavijo (COL).

GRÊMIO: Victor, Thiego, Leo, Réver e Fábio Santos; Adilson, Túlio, Souza e Tcheco; Herrera e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Henrique (Fabinho), Marquinhos Paraná, Ramires e Wagner; Wellington Paulista e Kléber. Técnico: Adilson Batista

Cruzeiro e Grêmio iniciam disputa pelo tri

Raposa volta à semifinal da Copa Libertadores após 12 anos. Tricolor aposta em retrospecto de gols


Grêmio e Cruzeiro fazem nesta quarta-feira, no Mineirão, o primeiro duelo das semifinais da Copa Libertadores. Em mais um confronto de equipes brasileiras nesta edição da competição, o objetivo dos times envolvidos é o mesmo: o tricampeonato continental.

O Cruzeiro volta a uma semifinal de Libertadores após 12 anos. A última vez que a equipe chegou tão longe foi na campanha de 1997, quando Paulo Autuori era o técnico. Muitos jogadores do atual time nem sequer eram profissionais naquela época e consideram o jogo como o mais importante da carreira.

– É o jogo da vida. Não só meu como de todo mundo. Muitos aqui nunca disputaram uma semifinal de Libertadores. Vai ser muito difícil, mas 1 a 0 já vai ser importante para nós – declarou o armador Wagner.

Para o capitão Fábio, o treinador gremista é uma arma a mais dos adversários.

– Paulo Autuori é um grande treinador. Trabalhei com ele duas vezes no Cruzeiro e é muito respeitado assim como toda a equipe do Grêmio, que tem bons jogadores – elogiou o goleiro celeste.

O técnico Adilson Batista tem dúvidas na escalação da defesa e do ataque. Léo Fortunato sente dores no joelho esquerdo e pode ficar fora. Na linha de frente, Thiago Ribeiro, recuperado de lesão, pode voltar a formar dupla com Kléber.

Já o Grêmio marcou gol em todos os seus jogos como visitante. Foi com a esperança de manter essa escrita que o grupo embarcou para Belo Horizonte. Um golzinho facilitaria o jogo da volta, no Olímpico – onde, aliás, o Tricolor empatou dois jogos e venceu as restantes.

Há um problema aí. Se os últimos jogos servem como presságio, o Tricolor vai depender de Maxi López. Alex Mineiro, o outro atacante, não marca há quase quatro meses. Já o argentino balançou a rede quatro vezes em sete partidas.

No Mineirão, o Tricolor não costuma nem empatar. Desde 1999, perdeu todas. Assim, com uma derrota lógica no horizonte, a questão do gol fora de casa ganha relevância.

O único desfalque do Grêmio é o goleiro Victor, que serve à Seleção. Seu reserva é Marcelo Grohe, que não tem comprometido. Em relação à última partida – empate em 2 a 2 com o Goiás, sábado, no Olímpico – estarão de volta ao time o atacante Alex Mineiro e o meia Souza, que foram preservados.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO X GRÊMIO

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/Horário: 24/06/09 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Henrique Osses (CHI)
Auxliares: Cristian Julio (CHI) e Osvaldo Talamilla (CHI)

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Leonardo Silva, Léo Fortunato (Thiago Heleno) e Gérson Magrão; Marquinhos Paraná, Elicarlos, Henrique e Wagner; Kléber e Thiago Ribeiro (Wellington Paulista). Técnico: Adilson Batista

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Ruy, Leo, Réver e Fábio Santos; Adilson, Túlio, Tcheco e Souza; Alex Mineiro e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori