No último lance, Vitória bate o Grêmio com golaço de Leandro Domingues

Leão derrota o Tricolor gaúcho por 1 a 0, aos 47 do segundo tempo, e entra no tão sonhado G-4


Com golaço no fim, Vitória derrota o Grêmio

Um lance perfeito. Foi assim que o Vitória conseguiu derrotar o Grêmio, por 1 a 0, neste domingo, no Barradão. Depois de tentar, martelar e insistir por 90 minutos, o Rubro-Negro só conseguiu abrir o placar aos 47 do segundo tempo, num golaço de Leandro Domingues (assista aos melhores lances no vídeo ao lado). O Leão termina a quarta rodada do Brasileirão com nove pontos, entra no G-4 e é vice-líder. O Tricolor gaúcho continua com quatro.

Na próxima rodada, o Grêmio recebe o Náutico, na quinta-feira, no Olímpico, às 21h. O Vitória joga no domingo, no Palestra Itália, contra o Palmeiras, às 16h.

Antes do jogo, festa no Barradão

A confirmação de Salvador como uma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 foi em ritmo de axé. Os cantores Tatau e Ivete Sangalo comandaram a comemoração no estádio Barradão, após o anúncio do presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, em reunião do comitê da entidade em Nassau (capital das Bahamas). A musa, inclusive, deu o primeiro toque na bola antes do duelo pelo Nacional.

Vitória mais agudo

Muita correria e pressão dos baianos. Este foi o panorama do primeiro tempo da partida. Um duelo que começou com muito estudo por parte dos dois times. Só aos dez minutos surgiu a primeira chance de gol. Leandro Domingues cobrou falta para a área, o zagueiro Victor Ramos subiu sozinho entre os tricolores e cabeceou com muito perigo. O lance fez o técnico Paulo Autuori se levantar pela primeira vez do banco de reservas. O Grêmio entrou em campo com um time misto por conta do desgaste do jogo da última quarta-feira contra o Caracas, na Venezuela, pela Libertadores, quando empatou por 1 a 1.

Sem força ofensiva, o Tricolor gaúcho pouco ameaçava. O primeiro chute a gol foi de Souza, aos 12. Ele entrou na área do Leão, gingou na frente da marcação, mas bateu fraco pela linha de fundo. Cinco minutos mais tarde, o Vitória respondeu com um ótimo chute de Adriano. O atacante bateu rasteiro, da entrada da área, e acertou a trave.

O desenho do jogo estava claro. Vitória no ataque, e Grêmio no contra-ataque, mas sem velocidade. Numa das poucas investidas dos gremistas, o atacante Alex Mineiro pediu pênalti. Ele se enroscou com os defensores rubro-negros e caiu na área. Wagner Tardelli nada marcou.

Apesar de tentar envolver o Grêmio com toques rápidos e ultrapassagens pelas laterais, especialmente com Apodi, o Vitória passou a investir nos chutes de fora da área. Aos 32, Willian bateu de longe o obrigou Victor a fazer bela defesa. Quatro minutos depois, a bola aérea por pouco não deixou o Tricolor inaugurar o marcador. Souza cobrou escanteio, Réver cabeceou para o chão na primeira trave e quase conseguiu surpreender o goleiro Viafara.

O jogo ficou mais aberto. Aos 39, a melhor chance. Apodi foi lançado na direita, avançou com velocidade até entrar na área e bateu firme. Victor, goleiro da seleção brasileira, cresceu para cima do ala e impediu a abertura do placar. Fim de primeiro tempo: Vitória melhor, mas sem vantagem.

Leão tenta de todas as formas

Cruzamentos, chutes de fora da área e tabelas. O setor ofensivo do Vitória começou o primeiro tempo de forma persistente em busca do gol. O ala pela direita Apodi era o mais acionado do time baiano, mas não conseguia furar o bloqueio gremista. Paulo Autuori voltou para a etapa final com duas mudanças: Jonas no lugar de Alex Mineiro, e Jadílson no lugar de Adilson. Jonas ficaria pouco tempo em campo. Primeiro ele fez uma falta boba em Vanderson e recebeu o amarelo, aos sete. Aos 23, atingiu Apodi no meio-campo e foi para a rua.

Antes, porém, viu o zagueiro Anderson Martins quase marcar para o Vitória. Aos 20, o defensor fugiu das suas características, soltou uma bomba de muito longe, cheia de efeito, mas Victor estava atento para impedir o gol. Depois desse lance, a partida ficou concentrada no meio-campo e sem grandes jogadas de efeito. O meia Souza tentou dar fim ao clima de monotonia com um chute forte, aos 35. De longe, o camisa 8 obrigou Viafara a fazer uma defesa difícil.

No últimos dez minutos, quem ficou mais perto do gol foi o Grêmio. Aos 43, o argentino Maxi López quase conseguiu fazer valer a força do contra-ataque dos visitantes. Ele ganhou do marcador, bateu forte de pé esquerdo e Viafara salvou o Leão. Parecia que o jogo terminaria assim, sem gols. Só parecia. Aos 47, Leandro Domingues olhou para o gol, olhou novamente, e acertou um chute no ângulo do goleiro Victor. Essa não dava para defender. Último lance do jogo, e vitória do Rubro-Negro de Salvador.

Grêmio escala titulares para encarar o Vitória

Tricolor gaúcho tenta tirar o foco da Copa Libertadores


O Grêmio se encontra em Salvador desde a manhã de quinta-feira, preparando-se para o confronto com o Vitória, neste domingo, às 16h, no Barradão. O técnico Paulo Autuori mandará a campo o mesmo time que empatou em 1 a 1 com o Caracas, quarta-feira, na capital venezuelana, pelas quartas-de-final da Libertadores. Com uma única dúvida: o garoto Adilson ou o veterano Túlio no meio-de-campo.

Não haveria razão para fazer diferente. A equipe está descansada e seu próximo jogo pela competição continental será só no dia 17 de junho.

– O principal motivo é que precisamos subir na tabela. Estamos em oitavo lugar, com quatro pontos em três jogos, e esse desempenho é insuficiente para as ambições do Grêmio – disse Autuori.

Ruy traz um argumento bem razoável ao apoiar a decisão de não poupar jogadores. Para o lateral-direito, nenhum time está se cansando muito nesse momento.

– Desgaste físico nós vamos sentir lá pelo fim do Brasileiro. Então, a hora de ir com força máxima e dar todo o gás é agora – receitou Ruy.

Todos estão conscientes de que o time não atuou bem em Caracas. Mas, segundo os jogadores, a culpa foi dos buracos do gramado.

– O Barradão não é uma mesa de bilhar, mas vai dar para o Grêmio rolar a bola – apostou Réver.

A questão da mudança de esquema será levada com comedimento. Paulo Autuori acha que, se tirar um dos três zagueiros, pode desestabilizar o setor defensivo, que segundo ele vem dando sustentação à equipe. Por isso, a passagem do 3-5-2 para o 4-4-2 será feita gradualmente. Por enquanto, mudando jogadores de função ao longo da partida. Por exemplo, passando o zagueiro Leo para a lateral direita e deslocando o lateral-direito Ruy para o meio-campo.

Para essa partida contra o Vitória, Ruy, Rafael Marques e Réver entrarão pendurados com dois cartões amarelos.

O zagueiro Anderson Martins deve ser a principal novidade do Vitória para o jogo contra o Grêmio. Recuperado de uma lesão na panturrilha, o atleta tem sido escalado entre os titulares nos últimos treinos.

Pelo que demonstrou durante a semana, o técnico Paulo César Carpegiani pretende mandar a campo uma equipe mais cautelosa. Tanto que saiu do tradicional 4-4-2 para o 3-6-1. Anderson Martins formará o trio defensivo com Wallace e Victor Ramos.

FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA X GRÊMIO

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data e hora: 31/05/2009 – 16h (horário de Brasília)

Árbitro: Wagner Tardelli (SC)

Auxiliares: Alcides Pazetto (SC) e Angelo Bechi (SC)

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos e Anderson Martins; Apodi, Vanderson, Uelliton, Leandro Domingues, Ramon Menezes e Adriano; Neto Baiano. Técnico: Paulo Cesar Carpegiani.

GRÊMIO: Victor, Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson (Túlio), Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Grêmio muda de espírito ao trocar ‘guerra’ da Libertadores pelo Brasileirão

Ruy diz que competições são completamente diferentes. No domingo, Tricolor encara o Vitória no Barradão

Ruy na ‘guerra’ da Libertadores: no Campeonato Brasileiro o clima é mais ameno

Na quarta-feira passada, uma batalha no empate por 1 a 1 com o Caracas. No próximo domingo, o retorno à realidade do futebol brasileiro na partida contra o Vitória. Para o ala Ruy, o Grêmio muda radicalmente de espírito entre o jogo da Libertadores e o do Brasileirão. Depois do clima de guerra na Venezuela, e um jogo de espírito mais ameno na Bahia.

– O grupo é bastante experiente e sabe dividir as duas situações. Muda a forma de jogar. O espírito do Brasileiro é um. Na Libertadores, é mais elevado, os jogos viram guerras, como aconteceu na Venezuela. No Brasileiro é totalmente diferente. O Paulo (Autuori) nos passou que temos que desligar a chavezinha da Libertadores e ligar a do Brasileiro – comentou o jogador, em entrevista à Rádio Gaúcha.

A mudança de espírito, porém, não pode causar desatenção na Bahia. O jogador lembra que largar bem no Nacional é determinante para uma boa campanha.

– O começo é o mais importante. Lá no fim do ano, algumas equipes sentirão o desgaste e perderão pontos. Acumular a gordurinha agora ajuda para depois, se acontecer de em algum momento o time sair dos trilhos.

O Grêmio deve ter força máxima contra o Vitória, com Victor, Léo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adílson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López.

Autuori começa a construir o 4-4-2 do Grêmio

Técnico tem dúvidas para mudar o esquema tricolor aos poucos


Paulo Autuori é um técnico adepto ao 4-4-2. Como usá-lo no Grêmio?

Paulo Autuori é um técnico adepto ao 4-4-2. Como usá-lo no Grêmio?


Preocupado com alguns problemas do Grêmio, o técnico Paulo Autuori já começa a mudar a maneira de jogar da equipe. Adepto do 4-4-2, Autuori começa a substituir o 3-5-2 criado por Celso Roth na temporada passada.

E o primeiro indício do novo esquema pôde ser visto no jogo contra o Caracas (VEN), quarta-feira, pelo jogo de ida das quartas-de-final da Copa Libertadores.

– Estamos fazendo um 4-4-2 disfarçado – disse ao jornal “Zero Hora”.

Nessa partida, Autuori colocou o lateral-direito Ruy, que tem características mais de ala, já que apóia mais e fica devendo na marcação, para atuar no meio-de-campo. A grande dúvida do treinador é como desmontar uma equipe, que segue bem na Copa Libertadores com uma maneira de atuar já consolidada.

Grêmio corujão troca a capital da Venezuela por Salvador

Viagem tem mais bocejos do que sorrisos no retorno ao Brasil após empate por 1 a 1 com o Caracas


O meia Tcheco no voo de volta ao Brasil

Os jogadores do Grêmio passaram a madrugada nas nuvens. Melhor: acima delas. Às 4h05m, pelo horário de Brasília, a delegação tricolor deixou a Venezuela, onde empatou por 1 a 1 com o Caracas horas antes, pelas quartas de final da Libertadores. A viagem de retorno ao Brasil, com Salvador como destino final, teve mais bocejos do que sorrisos.

Os atletas não estavam chateados, incomodados com o resultado, insatisfeitos com as críticas, nada disso. A cara mais fechada era de cansaço mesmo. Alguns já chegaram ao aeroporto, depois de jantar, bocejando. Foi só entrar no avião para a maioria capotar no sono. Alguns jogadores, como Fábio Santos, Adílson e Makelele, resistiram aos bocejos com um jogo de cartas, repetindo o que havia acontecido na viagem de ida para Caracas.

O retorno foi tranquilo. O voo até Salvador foi fretado, com a presença apenas dos profissionais do Grêmio, de cerca de 20 torcedores e de integrantes da imprensa, que estiveram na Venezuela para a cobertura da partida. A chegada a Salvador aconteceu às 10h40m. Antes, o avião parou por 30 minutos em Belém para reabastecimento.

A ordem no Grêmio é descansar na capital baiana até as 17h desta quinta-feira, quando os jogadores terão uma atividade leve no hotel em que ficarão concentrados. A sexta e o sábado serão de treinamentos para o jogo contra o Vitória, domingo, no Barradão, pelo Campeonato Brasileiro.

Grêmio arranca empate na Venezuela

Sem jogar bem, time gaúcho passa sufoco contra o Caracas


Venezuelanos deram trabalho para Grêmio

Venezuelanos deram trabalho para Grêmio


Jogando na Venezuela contra o Caracas, o Grêmio empatou por 1 a 1 com o Caracas e trouxe um bom resultado para o jogo de volta no Olímpico. Mesmo jogando abaixo da sua média de atuações na Libertadores, o Grêmio conseguiu empatar a partida. Fábio Santos fez o gol gremista, enquanto Cichero marcou para os venezuelanos.

Assista os Golls da 1º Partida:


Com um minuto de jogo o Caracas conseguiu marcar o primeiro gol da partida. Em cobrança de falta ensaiada, Rey levantou na área, a zaga do Grêmio vacilou e três venezuelanos subiram sozinhos, resultado: Cichero desviou de cabeça, sem chances para Victor. Após o gol venezuelano o jogo ficou muito disputado no meio campo e os dois times não conseguiam criar boas oportunidades.

Esse panorama mudou aos 25 minutos, na melhor chegada do Grêmio, até então, Jonas fez boa jogada pela direita e cruzou para a área, Vega se complicou e a bola quase sobra para Maxi Lopez empatar, porém o goleiro venezuelano se recuperou e fez a defesa. No minuto seguinte, Tcheco cobrou falta pela esquerda e Vega defendeu em dois tempos. O goleiro venezuelano parecia inseguro.

Depois de passar por dois sustos, o Caracas respondeu. Após boa jogada pela esquerda, Cichero recebeu na área e bateu com força. Victor fez uma defesa incrível e evitou que o time da casa ampliasse a vantagem. No lance seguinte, após rebatida da defesa, Rey arriscou um chute de fora da área e a bola passou a esquerda do gol, com perigo.

No último lance de perigo do primeiro tempo, Rey cobrou falta parecida com a do lance do gol, a zaga do Grêmio saiu tentando fazer linha de impedimento e a bola passou por todo mundo e saiu a esquerda do gol, o lance quase surpreendeu o goleiro Victor.

Fábio Santos empata no segundo tempo

O Grêmio voltou para o segundo tempo em busca do empate, mas esbarrava nos erros de passe. Aos cinco, Fábio Santos fez boa jogada arancando pela esquerda e tentou o cruzamento para Máxi Lopez, mas antes que a bola chegasse ao argentino, Cichero cortou. O Caracas teve a chance de ampliar em um chute perigoso de Castellín que passou a esquerda do gol de Victor.

Aos 19, o Grêmio teve boa chance. Fábio Santos cruzou e Maxi lopez cabeceou para fora. Um minuto depois o próprio fabio santos chutou de dentro da área, mas a boa subiu demais. Mas as jgoadas de bola parada do time venezuelano eram mesmo o grande pesadelo para o Grêmio. Aos 23, Rey cobrou mais uma vez na área e após mais uma falha da zaga,a bola sobrou para Prieto, que finalizou mal e mandou por cima do gol.

O time gaúcho quase empatou aos 27, Souza cobrou com categoria uma falta de longe e acertou a trave esquerda de Vega que ficou só olhando. E foi em um lance de bola parada que o Grêmio chegou ao gol de empate. Aos 29, Tcheco cobrou falta da esquerda e Fábio Santos cabeceou firme para fazer 1 a 1. Após o gol de empate do Tricolor, inexplicavelmente o sistema de irrigação do estádio foi ligado e a partida interrompida por alguns minutos.

Os últimos dez minutos tiveram chances para os dois times, mas o placar não foi alterado. Com o resultado, o Grêmio joga por um empate por 0 a 0 no Olímpico para garantir a vaga nas semifinais.


FICHA TÉCNICA

CARACAS X GRÊMIO

Local: Estádio Olímpico (Caracas, VEN)
Data-hora: 27/05/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Auxiliares: Miguel Nievas e Marcelo Gadea (URU)
Cartões amarelos: Tcheco, Ruy, Léo (gremio) Figueroa, Piñango(Caracas)

CARACAS: Vega; Romero, Deivis-Barone, Rey e Cichero; Vera, Piñango, Gómez (Escobar) e Emilio Rentería (Pietro) ; Castellín e Darío Figueroa (Guerra). Técnico: Noel Sanvicente.

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza (Tulio) e Fábio Santos; Jonas (Alex Mineiro) e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Grêmio encara Caracas pela Libertadores

Tricolor está invicto, venezuelanos não perderam em casa


Invicto na Libertadores, com sete vitórias e um empate, o Grêmio começará a enfrentar dificuldades na noite desta quarta-feira, no primeiro confronto com o Caracas pelas quartas-de-final de competição.

O jogo será visto por um público entusiasmado, que tomará os 24 mil lugares do Estádio Olímpico. “A oportunidade de derrotar o ‘imortal tricolor’ é agora”, como escreve o “El Nacional”. O Caracas vem de uma goleada de 4 a 0 sobre o Deportivo Cuenca, do Equador, no jogo da volta das oitavas. Aliás, venceu todos os seus quatro jogos como mandante.

Apesar disso, o técnico Paulo Autuori não recusa a condição de favoritismo dada ao Grêmio, que venceu todos como visitante. Acha que, com bom futebol e respeito ao adversário, seu time sairá da capital venezuelana com um bom resultado. “Isso contemplaria a lógica, pois apesar dos progressos do futebol venezuelano a superioridade do brasileiro é inconteste”, disse ele.

Para o treinador, que estará em sua segunda partida no comando do time, isso significa vitória. Para o zagueiro Leo, porém, voltar para Porto Alegre com um empate será auspicioso. Como a decisão da vaga será em casa, nem uma derrota por um gol de diferença será considerada de difícil reversão, desde que o Tricolor marque um.

O time gaúcho deve jogar completo. Souza e Réver fazem tratamento para dores musculares, mas garantem que estarão em campo. Túlio será mantido como primeiro volante. Contra o Botafogo, o experiente volante substituiu com vantagem o jovem Adilson, que cumpria suspensão automática. A saída de bola ficou mais inteligente.

Ainda não será nessa partida que Autuori empregará seu esquema tático preferido, o 4-4-2. Continuará no 3-5-2, com o qual a equipe está acostumada. Tudo porque o sistema defensivo está rendendo bem. “Seria perigoso fazer a mudança num jogo dessa responsabilidade”, justificou.

Mas ele quer os alas atuando mais no meio-campo, alternadamente, e os meias Tcheco e Souza armando jogadas pelos lados. E Jonas tem ordens de se aproximar mais do centroavante Maxi López.

Os destaques do Caracas são o goleiro Vega, o zagueiro Rey, o lateral-esquerdo Cichero, o volante Vera, todos da seleção venezuelana, e os atacantes Castellín, 33 anos, e Darío Figueroa, 31, este um argentino formado no River Plate.

FICHA TÉCNICA

CARACAS X GRÊMIO

Local: Estádio Olímpico (Caracas, VEN)
Data-hora: 27/05/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Auxiliares: Miguel Nievas e Marcelo Gadea (URU)

CARACAS: Vega; Romero, Deivis-Barone, Rey e Cichero; Vera, Piñango, Gómez e Emilio Rentería; Castellín e Darío Figueroa. Técnico: Noel Sanvicente.

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.