No último lance, Vitória bate o Grêmio com golaço de Leandro Domingues

Leão derrota o Tricolor gaúcho por 1 a 0, aos 47 do segundo tempo, e entra no tão sonhado G-4


Com golaço no fim, Vitória derrota o Grêmio

Um lance perfeito. Foi assim que o Vitória conseguiu derrotar o Grêmio, por 1 a 0, neste domingo, no Barradão. Depois de tentar, martelar e insistir por 90 minutos, o Rubro-Negro só conseguiu abrir o placar aos 47 do segundo tempo, num golaço de Leandro Domingues (assista aos melhores lances no vídeo ao lado). O Leão termina a quarta rodada do Brasileirão com nove pontos, entra no G-4 e é vice-líder. O Tricolor gaúcho continua com quatro.

Na próxima rodada, o Grêmio recebe o Náutico, na quinta-feira, no Olímpico, às 21h. O Vitória joga no domingo, no Palestra Itália, contra o Palmeiras, às 16h.

Antes do jogo, festa no Barradão

A confirmação de Salvador como uma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 foi em ritmo de axé. Os cantores Tatau e Ivete Sangalo comandaram a comemoração no estádio Barradão, após o anúncio do presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, em reunião do comitê da entidade em Nassau (capital das Bahamas). A musa, inclusive, deu o primeiro toque na bola antes do duelo pelo Nacional.

Vitória mais agudo

Muita correria e pressão dos baianos. Este foi o panorama do primeiro tempo da partida. Um duelo que começou com muito estudo por parte dos dois times. Só aos dez minutos surgiu a primeira chance de gol. Leandro Domingues cobrou falta para a área, o zagueiro Victor Ramos subiu sozinho entre os tricolores e cabeceou com muito perigo. O lance fez o técnico Paulo Autuori se levantar pela primeira vez do banco de reservas. O Grêmio entrou em campo com um time misto por conta do desgaste do jogo da última quarta-feira contra o Caracas, na Venezuela, pela Libertadores, quando empatou por 1 a 1.

Sem força ofensiva, o Tricolor gaúcho pouco ameaçava. O primeiro chute a gol foi de Souza, aos 12. Ele entrou na área do Leão, gingou na frente da marcação, mas bateu fraco pela linha de fundo. Cinco minutos mais tarde, o Vitória respondeu com um ótimo chute de Adriano. O atacante bateu rasteiro, da entrada da área, e acertou a trave.

O desenho do jogo estava claro. Vitória no ataque, e Grêmio no contra-ataque, mas sem velocidade. Numa das poucas investidas dos gremistas, o atacante Alex Mineiro pediu pênalti. Ele se enroscou com os defensores rubro-negros e caiu na área. Wagner Tardelli nada marcou.

Apesar de tentar envolver o Grêmio com toques rápidos e ultrapassagens pelas laterais, especialmente com Apodi, o Vitória passou a investir nos chutes de fora da área. Aos 32, Willian bateu de longe o obrigou Victor a fazer bela defesa. Quatro minutos depois, a bola aérea por pouco não deixou o Tricolor inaugurar o marcador. Souza cobrou escanteio, Réver cabeceou para o chão na primeira trave e quase conseguiu surpreender o goleiro Viafara.

O jogo ficou mais aberto. Aos 39, a melhor chance. Apodi foi lançado na direita, avançou com velocidade até entrar na área e bateu firme. Victor, goleiro da seleção brasileira, cresceu para cima do ala e impediu a abertura do placar. Fim de primeiro tempo: Vitória melhor, mas sem vantagem.

Leão tenta de todas as formas

Cruzamentos, chutes de fora da área e tabelas. O setor ofensivo do Vitória começou o primeiro tempo de forma persistente em busca do gol. O ala pela direita Apodi era o mais acionado do time baiano, mas não conseguia furar o bloqueio gremista. Paulo Autuori voltou para a etapa final com duas mudanças: Jonas no lugar de Alex Mineiro, e Jadílson no lugar de Adilson. Jonas ficaria pouco tempo em campo. Primeiro ele fez uma falta boba em Vanderson e recebeu o amarelo, aos sete. Aos 23, atingiu Apodi no meio-campo e foi para a rua.

Antes, porém, viu o zagueiro Anderson Martins quase marcar para o Vitória. Aos 20, o defensor fugiu das suas características, soltou uma bomba de muito longe, cheia de efeito, mas Victor estava atento para impedir o gol. Depois desse lance, a partida ficou concentrada no meio-campo e sem grandes jogadas de efeito. O meia Souza tentou dar fim ao clima de monotonia com um chute forte, aos 35. De longe, o camisa 8 obrigou Viafara a fazer uma defesa difícil.

No últimos dez minutos, quem ficou mais perto do gol foi o Grêmio. Aos 43, o argentino Maxi López quase conseguiu fazer valer a força do contra-ataque dos visitantes. Ele ganhou do marcador, bateu forte de pé esquerdo e Viafara salvou o Leão. Parecia que o jogo terminaria assim, sem gols. Só parecia. Aos 47, Leandro Domingues olhou para o gol, olhou novamente, e acertou um chute no ângulo do goleiro Victor. Essa não dava para defender. Último lance do jogo, e vitória do Rubro-Negro de Salvador.

Grêmio escala titulares para encarar o Vitória

Tricolor gaúcho tenta tirar o foco da Copa Libertadores


O Grêmio se encontra em Salvador desde a manhã de quinta-feira, preparando-se para o confronto com o Vitória, neste domingo, às 16h, no Barradão. O técnico Paulo Autuori mandará a campo o mesmo time que empatou em 1 a 1 com o Caracas, quarta-feira, na capital venezuelana, pelas quartas-de-final da Libertadores. Com uma única dúvida: o garoto Adilson ou o veterano Túlio no meio-de-campo.

Não haveria razão para fazer diferente. A equipe está descansada e seu próximo jogo pela competição continental será só no dia 17 de junho.

– O principal motivo é que precisamos subir na tabela. Estamos em oitavo lugar, com quatro pontos em três jogos, e esse desempenho é insuficiente para as ambições do Grêmio – disse Autuori.

Ruy traz um argumento bem razoável ao apoiar a decisão de não poupar jogadores. Para o lateral-direito, nenhum time está se cansando muito nesse momento.

– Desgaste físico nós vamos sentir lá pelo fim do Brasileiro. Então, a hora de ir com força máxima e dar todo o gás é agora – receitou Ruy.

Todos estão conscientes de que o time não atuou bem em Caracas. Mas, segundo os jogadores, a culpa foi dos buracos do gramado.

– O Barradão não é uma mesa de bilhar, mas vai dar para o Grêmio rolar a bola – apostou Réver.

A questão da mudança de esquema será levada com comedimento. Paulo Autuori acha que, se tirar um dos três zagueiros, pode desestabilizar o setor defensivo, que segundo ele vem dando sustentação à equipe. Por isso, a passagem do 3-5-2 para o 4-4-2 será feita gradualmente. Por enquanto, mudando jogadores de função ao longo da partida. Por exemplo, passando o zagueiro Leo para a lateral direita e deslocando o lateral-direito Ruy para o meio-campo.

Para essa partida contra o Vitória, Ruy, Rafael Marques e Réver entrarão pendurados com dois cartões amarelos.

O zagueiro Anderson Martins deve ser a principal novidade do Vitória para o jogo contra o Grêmio. Recuperado de uma lesão na panturrilha, o atleta tem sido escalado entre os titulares nos últimos treinos.

Pelo que demonstrou durante a semana, o técnico Paulo César Carpegiani pretende mandar a campo uma equipe mais cautelosa. Tanto que saiu do tradicional 4-4-2 para o 3-6-1. Anderson Martins formará o trio defensivo com Wallace e Victor Ramos.

FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA X GRÊMIO

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data e hora: 31/05/2009 – 16h (horário de Brasília)

Árbitro: Wagner Tardelli (SC)

Auxiliares: Alcides Pazetto (SC) e Angelo Bechi (SC)

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos e Anderson Martins; Apodi, Vanderson, Uelliton, Leandro Domingues, Ramon Menezes e Adriano; Neto Baiano. Técnico: Paulo Cesar Carpegiani.

GRÊMIO: Victor, Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson (Túlio), Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Grêmio muda de espírito ao trocar ‘guerra’ da Libertadores pelo Brasileirão

Ruy diz que competições são completamente diferentes. No domingo, Tricolor encara o Vitória no Barradão

Ruy na ‘guerra’ da Libertadores: no Campeonato Brasileiro o clima é mais ameno

Na quarta-feira passada, uma batalha no empate por 1 a 1 com o Caracas. No próximo domingo, o retorno à realidade do futebol brasileiro na partida contra o Vitória. Para o ala Ruy, o Grêmio muda radicalmente de espírito entre o jogo da Libertadores e o do Brasileirão. Depois do clima de guerra na Venezuela, e um jogo de espírito mais ameno na Bahia.

– O grupo é bastante experiente e sabe dividir as duas situações. Muda a forma de jogar. O espírito do Brasileiro é um. Na Libertadores, é mais elevado, os jogos viram guerras, como aconteceu na Venezuela. No Brasileiro é totalmente diferente. O Paulo (Autuori) nos passou que temos que desligar a chavezinha da Libertadores e ligar a do Brasileiro – comentou o jogador, em entrevista à Rádio Gaúcha.

A mudança de espírito, porém, não pode causar desatenção na Bahia. O jogador lembra que largar bem no Nacional é determinante para uma boa campanha.

– O começo é o mais importante. Lá no fim do ano, algumas equipes sentirão o desgaste e perderão pontos. Acumular a gordurinha agora ajuda para depois, se acontecer de em algum momento o time sair dos trilhos.

O Grêmio deve ter força máxima contra o Vitória, com Victor, Léo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adílson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López.

Autuori começa a construir o 4-4-2 do Grêmio

Técnico tem dúvidas para mudar o esquema tricolor aos poucos


Paulo Autuori é um técnico adepto ao 4-4-2. Como usá-lo no Grêmio?

Paulo Autuori é um técnico adepto ao 4-4-2. Como usá-lo no Grêmio?


Preocupado com alguns problemas do Grêmio, o técnico Paulo Autuori já começa a mudar a maneira de jogar da equipe. Adepto do 4-4-2, Autuori começa a substituir o 3-5-2 criado por Celso Roth na temporada passada.

E o primeiro indício do novo esquema pôde ser visto no jogo contra o Caracas (VEN), quarta-feira, pelo jogo de ida das quartas-de-final da Copa Libertadores.

– Estamos fazendo um 4-4-2 disfarçado – disse ao jornal “Zero Hora”.

Nessa partida, Autuori colocou o lateral-direito Ruy, que tem características mais de ala, já que apóia mais e fica devendo na marcação, para atuar no meio-de-campo. A grande dúvida do treinador é como desmontar uma equipe, que segue bem na Copa Libertadores com uma maneira de atuar já consolidada.

Grêmio corujão troca a capital da Venezuela por Salvador

Viagem tem mais bocejos do que sorrisos no retorno ao Brasil após empate por 1 a 1 com o Caracas


O meia Tcheco no voo de volta ao Brasil

Os jogadores do Grêmio passaram a madrugada nas nuvens. Melhor: acima delas. Às 4h05m, pelo horário de Brasília, a delegação tricolor deixou a Venezuela, onde empatou por 1 a 1 com o Caracas horas antes, pelas quartas de final da Libertadores. A viagem de retorno ao Brasil, com Salvador como destino final, teve mais bocejos do que sorrisos.

Os atletas não estavam chateados, incomodados com o resultado, insatisfeitos com as críticas, nada disso. A cara mais fechada era de cansaço mesmo. Alguns já chegaram ao aeroporto, depois de jantar, bocejando. Foi só entrar no avião para a maioria capotar no sono. Alguns jogadores, como Fábio Santos, Adílson e Makelele, resistiram aos bocejos com um jogo de cartas, repetindo o que havia acontecido na viagem de ida para Caracas.

O retorno foi tranquilo. O voo até Salvador foi fretado, com a presença apenas dos profissionais do Grêmio, de cerca de 20 torcedores e de integrantes da imprensa, que estiveram na Venezuela para a cobertura da partida. A chegada a Salvador aconteceu às 10h40m. Antes, o avião parou por 30 minutos em Belém para reabastecimento.

A ordem no Grêmio é descansar na capital baiana até as 17h desta quinta-feira, quando os jogadores terão uma atividade leve no hotel em que ficarão concentrados. A sexta e o sábado serão de treinamentos para o jogo contra o Vitória, domingo, no Barradão, pelo Campeonato Brasileiro.

Grêmio arranca empate na Venezuela

Sem jogar bem, time gaúcho passa sufoco contra o Caracas


Venezuelanos deram trabalho para Grêmio

Venezuelanos deram trabalho para Grêmio


Jogando na Venezuela contra o Caracas, o Grêmio empatou por 1 a 1 com o Caracas e trouxe um bom resultado para o jogo de volta no Olímpico. Mesmo jogando abaixo da sua média de atuações na Libertadores, o Grêmio conseguiu empatar a partida. Fábio Santos fez o gol gremista, enquanto Cichero marcou para os venezuelanos.

Assista os Golls da 1º Partida:


Com um minuto de jogo o Caracas conseguiu marcar o primeiro gol da partida. Em cobrança de falta ensaiada, Rey levantou na área, a zaga do Grêmio vacilou e três venezuelanos subiram sozinhos, resultado: Cichero desviou de cabeça, sem chances para Victor. Após o gol venezuelano o jogo ficou muito disputado no meio campo e os dois times não conseguiam criar boas oportunidades.

Esse panorama mudou aos 25 minutos, na melhor chegada do Grêmio, até então, Jonas fez boa jogada pela direita e cruzou para a área, Vega se complicou e a bola quase sobra para Maxi Lopez empatar, porém o goleiro venezuelano se recuperou e fez a defesa. No minuto seguinte, Tcheco cobrou falta pela esquerda e Vega defendeu em dois tempos. O goleiro venezuelano parecia inseguro.

Depois de passar por dois sustos, o Caracas respondeu. Após boa jogada pela esquerda, Cichero recebeu na área e bateu com força. Victor fez uma defesa incrível e evitou que o time da casa ampliasse a vantagem. No lance seguinte, após rebatida da defesa, Rey arriscou um chute de fora da área e a bola passou a esquerda do gol, com perigo.

No último lance de perigo do primeiro tempo, Rey cobrou falta parecida com a do lance do gol, a zaga do Grêmio saiu tentando fazer linha de impedimento e a bola passou por todo mundo e saiu a esquerda do gol, o lance quase surpreendeu o goleiro Victor.

Fábio Santos empata no segundo tempo

O Grêmio voltou para o segundo tempo em busca do empate, mas esbarrava nos erros de passe. Aos cinco, Fábio Santos fez boa jogada arancando pela esquerda e tentou o cruzamento para Máxi Lopez, mas antes que a bola chegasse ao argentino, Cichero cortou. O Caracas teve a chance de ampliar em um chute perigoso de Castellín que passou a esquerda do gol de Victor.

Aos 19, o Grêmio teve boa chance. Fábio Santos cruzou e Maxi lopez cabeceou para fora. Um minuto depois o próprio fabio santos chutou de dentro da área, mas a boa subiu demais. Mas as jgoadas de bola parada do time venezuelano eram mesmo o grande pesadelo para o Grêmio. Aos 23, Rey cobrou mais uma vez na área e após mais uma falha da zaga,a bola sobrou para Prieto, que finalizou mal e mandou por cima do gol.

O time gaúcho quase empatou aos 27, Souza cobrou com categoria uma falta de longe e acertou a trave esquerda de Vega que ficou só olhando. E foi em um lance de bola parada que o Grêmio chegou ao gol de empate. Aos 29, Tcheco cobrou falta da esquerda e Fábio Santos cabeceou firme para fazer 1 a 1. Após o gol de empate do Tricolor, inexplicavelmente o sistema de irrigação do estádio foi ligado e a partida interrompida por alguns minutos.

Os últimos dez minutos tiveram chances para os dois times, mas o placar não foi alterado. Com o resultado, o Grêmio joga por um empate por 0 a 0 no Olímpico para garantir a vaga nas semifinais.


FICHA TÉCNICA

CARACAS X GRÊMIO

Local: Estádio Olímpico (Caracas, VEN)
Data-hora: 27/05/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Auxiliares: Miguel Nievas e Marcelo Gadea (URU)
Cartões amarelos: Tcheco, Ruy, Léo (gremio) Figueroa, Piñango(Caracas)

CARACAS: Vega; Romero, Deivis-Barone, Rey e Cichero; Vera, Piñango, Gómez (Escobar) e Emilio Rentería (Pietro) ; Castellín e Darío Figueroa (Guerra). Técnico: Noel Sanvicente.

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza (Tulio) e Fábio Santos; Jonas (Alex Mineiro) e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Grêmio encara Caracas pela Libertadores

Tricolor está invicto, venezuelanos não perderam em casa


Invicto na Libertadores, com sete vitórias e um empate, o Grêmio começará a enfrentar dificuldades na noite desta quarta-feira, no primeiro confronto com o Caracas pelas quartas-de-final de competição.

O jogo será visto por um público entusiasmado, que tomará os 24 mil lugares do Estádio Olímpico. “A oportunidade de derrotar o ‘imortal tricolor’ é agora”, como escreve o “El Nacional”. O Caracas vem de uma goleada de 4 a 0 sobre o Deportivo Cuenca, do Equador, no jogo da volta das oitavas. Aliás, venceu todos os seus quatro jogos como mandante.

Apesar disso, o técnico Paulo Autuori não recusa a condição de favoritismo dada ao Grêmio, que venceu todos como visitante. Acha que, com bom futebol e respeito ao adversário, seu time sairá da capital venezuelana com um bom resultado. “Isso contemplaria a lógica, pois apesar dos progressos do futebol venezuelano a superioridade do brasileiro é inconteste”, disse ele.

Para o treinador, que estará em sua segunda partida no comando do time, isso significa vitória. Para o zagueiro Leo, porém, voltar para Porto Alegre com um empate será auspicioso. Como a decisão da vaga será em casa, nem uma derrota por um gol de diferença será considerada de difícil reversão, desde que o Tricolor marque um.

O time gaúcho deve jogar completo. Souza e Réver fazem tratamento para dores musculares, mas garantem que estarão em campo. Túlio será mantido como primeiro volante. Contra o Botafogo, o experiente volante substituiu com vantagem o jovem Adilson, que cumpria suspensão automática. A saída de bola ficou mais inteligente.

Ainda não será nessa partida que Autuori empregará seu esquema tático preferido, o 4-4-2. Continuará no 3-5-2, com o qual a equipe está acostumada. Tudo porque o sistema defensivo está rendendo bem. “Seria perigoso fazer a mudança num jogo dessa responsabilidade”, justificou.

Mas ele quer os alas atuando mais no meio-campo, alternadamente, e os meias Tcheco e Souza armando jogadas pelos lados. E Jonas tem ordens de se aproximar mais do centroavante Maxi López.

Os destaques do Caracas são o goleiro Vega, o zagueiro Rey, o lateral-esquerdo Cichero, o volante Vera, todos da seleção venezuelana, e os atacantes Castellín, 33 anos, e Darío Figueroa, 31, este um argentino formado no River Plate.

FICHA TÉCNICA

CARACAS X GRÊMIO

Local: Estádio Olímpico (Caracas, VEN)
Data-hora: 27/05/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Auxiliares: Miguel Nievas e Marcelo Gadea (URU)

CARACAS: Vega; Romero, Deivis-Barone, Rey e Cichero; Vera, Piñango, Gómez e Emilio Rentería; Castellín e Darío Figueroa. Técnico: Noel Sanvicente.

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Na Venezuela, Grêmio é observado pelo morro Ávila, protetor do Caracas

Adversário tricolor nas quartas de final da Libertadores tem apelido que faz homenagem ao local: ‘Los rojos del Ávila’


Morro Ávila pode ser visto do hotel em Caracas

Nas andanças pela América do Sul, o Grêmio já circulou pelas estradas da Colômbia, encarou a altitude da Bolívia, superou os fantasmas que, segundo os chilenos, circulam pelo Estádio Nacional, em Santiago, e viu de perto o trânsito caótico, quase engraçado, em Lima. Chegou a vez de Caracas. A capital venezuelana tem um pouco de cada uma das cidades visitadas pelo Tricolor na Libertadores. E se mostra idealizada para atletas que ficam confinados em um hotel chique de uma região abastada.


O bairro de Las Mercedes não resume o que é Caracas, assim como Miraflores tinha pouco de Lima. A capital da terra de Hugo Chávez tem pontos ricos, do mesmo jeito que Porto Alegre, Rio de Janeiro ou Buenos Aires. E outros nem tanto. No caminho do aeroporto até o centro de Caracas, há uma sucessão de favelas. Para brasileiros, nada de anormal.


A cidade é bonita. Os prédios, em sua maioria, são velhos, mas há edificações novas, modernas, cheias de luzes. Painéis com mensagens do presidente são comuns. O trânsito não chega a ser o caos de Lima, mas apresenta problemas. Os serviços de telecomunicações, especialmente para contato com outros países, são capengas. O câmbio funciona mais na informalidade do que em lojas oficiais. No aeroporto e nos hotéis, funcionários trocam 1 dólar por 5 bolívares. Os restaurantes maltratam o cliente na conversão: 1 dólar rende 2 bolívares, às vezes um pouco mais.

A realidade de Caracas não abraça os jogadores do Grêmio, que ficam o tempo todo no hotel, quase sempre dentro dos quartos, sem sequer circular pelo saguão. O local da concentração tricolor na Venezuela é cercado pelo morro Ávila, orgulho e um dos principais pontos turísticos da cidade. Os visitantes são sempre aconselhados a pegar o teleférico, ir ao topo do morro e ter uma vista panorâmica da cidade.


De certa forma, o vizinho do hotel gremista é um protetor do Caracas, adversário tricolor nas quartas de final da Libertadores. O clube venezuelano tem um apelido que remete ao morro: Los rojos del Ávila, que significa “os vermelhos do Ávila”, uma menção à cor da camisa do oponente gremista. A população local diz que o morro é o pulmão de Caracas, pela vasta vegetação. É ele que separa a cidade do mar do Caribe.

Autuori avisa: ‘Grêmio é favorito’

Técnico tricolor diz que seria hipocrisia afirmar que clube gaúcho não tem favoritismo contra o Caracas


Paulo Autuori no hotel gremista na Venezuela

O discurso surpreendente mostra que o Grêmio tem um técnico que pensa de forma diferente. Paulo Autuori, em entrevista na manhã desta terça-feira, na Venezuela, disse com todas as letras, e mais de uma vez, que o time gaúcho é o favorito no duelo com o Caracas, nesta quarta, no início da disputa por vaga nas semifinais da Libertadores. O treinador afirma que não gosta de entrar nos clichês do futebol e alegou que seria hipocrisia não indicar o Tricolor gaúcho como favorito.
– O favoritismo se forma pela tradição de um clube e pelo momento que ele vive. E o Grêmio é favorito nos dois. Mas daí até vencer o jogo, tem uma distância muito grande. Se o Caracas chegou nas quartas de final, é porque tem uma boa equipe – comentou Autuori.

O treinador sabe que a declaração pode chegar ao Caracas como sinal de desdém, mas alega que não se trata de menosprezo ao oponente.

– O respeito ao adversário é uma questão da vida, não do futebol. Eu penso que uma pessoa pode dizer que não é favorita e ser prepotente mesmo assim. E outra pode admitir que é favorita sem deixar a humildade.

Paulo Autuori deixou claro que não se sentiria bem ao negar que o Grêmio tem a vantagem no duelo com os venezuelanos.

– Somos favoritos. Nunca vou negar isso. Seria hipocrisia.

O favoritismo do Grêmio contra o Caracas precisará ser comprovado dentro de campo. A bola rola no Estádio Olímpico, na capital venezuelana, às 21h50m (de Brasília) desta quarta.

Sono e carteado: viagem do Grêmio transcorre com tranquilidade

Delegação tricolor leva pouco mais de quatro horas até Belém, de onde ruma para Caracas, palco do jogo de quarta-feira

Jonas participa de uma roda de carteado

Metade do caminho ficou para trás. O primeiro trecho da longa viagem até a Venezuela foi transcorrido sem problemas pela delegação do Grêmio. Foram quatro horas de voo entre Porto Alegre e Belém, onde o avião parou para reabastecimento. Até Caracas, serão mais três horas e meia.

A viagem transcorre na maior tranquilidade. Além dos 20 jogadores do Grêmio, o voo tem integrantes da comissão técnica, dirigentes, conselheiros, torcedores e jornalistas. A maior parte do elenco aproveitou para dormir. Outros mataram o tempo com revistas, jornais e jogos de videogame. Uma turma se juntou para jogar cartas. A disputa de pife começou com Jonas, Souza, Léo e Fábio Santos. Depois, Adílson e Makelele também entraram na brincadeira, interrompida por alguns minutos quando o avião passou por espaço de leve turbulência.

Os jogadores ficaram na primeira metade da aeronave. Os demais passageiros foram agrupados no fundo. Às 16h30m, o serviço de bordo ofereceu sanduíche quente, pedaços de frutas e refrigerantes ou sucos.

O Grêmio chega a Caracas, palco do jogo contra o time de mesmo nome, por volta das 22h, pelo horário de Brasília. Nesta terça, os atletas farão o reconhecimento do Estádio Olímpico, local da partida. A bola rola às 21h50m de quarta no primeiro duelo das quartas de final da Libertadores. O time tricolor deve ir a campo com Victor, Léo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adílson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López.

Na estreia de Paulo Autuori, Grêmio vence o Botafogo no Olímpico

Diante de seu novo treinador, time gaúcho acerta pontaria no segundo tempo, faz 2 a 0 e alcança primeiro triunfo no Brasileiro

Ruy, do Grêmio, disputa a bola com Gabriel, do Botafogo

Novidade, apenas à beira do campo. No dia em que Paulo Autuori estreou como seu técnico, o Grêmio voltou a se impor em um Estádio Olímpico cheio e venceu por 2 a 0 o Botafogo, neste domingo, mantendo uma invencibilidade em casa sobre o adversário que já dura 11 anos, em partidas pelo Campeonato Brasileiro.

O Grêmio conquistou sua primeira vitória na competição e agora soma quatro pontos em três rodadas. O Alvinegro, que ainda não venceu no Brasileiro de 2009, permanece com dois pontos.

O Botafogo vai tentar a recuperação recebendo o Sport no Engenhão, no próximo sábado. Antes de enfrentar o Vitória, em Salvador, no domingo, o Grêmio viaja para a Venezuela, onde joga contra o Caracas, nesta quarta-feira, no jogo de ida das quartas de final da Libertadores.

Grêmio domina, mas perde muitas chances no primeiro tempo

Assista os gols da partida:


Mesmo com o pensamento voltado para a competição sul-americana, o Grêmio enfrentou o Botafogo empolgado pela estreia de Paulo Autuori. Dispostos a mostrar serviço ao novo treinador, os jogadores do time gaúcho não demoraram muito a tomar conta da partida. A equipe alvinegra logo se viu dominada e entregue ao adversário.

Carente de um jogador de ligação, o Botafogo errava muito nos passes, o que o impedia de construir jogadas de ataque. Isolado na frente, Victor Simões mostrava impaciência. A deficiência técnica beneficiou o Grêmio, que chegava com facilidade à frente, mas falhava nas conclusões.

Irritado com a quantidade de bolas que via chegar à sua baliza, o goleiro Castillo procurava orientar a defesa, que dava espaços à linha de frente do Grêmio. Aos 18 minutos, o lateral-esquerdo Fábio Santos concluiu por cima do gol uma boa jogada de Jonas com Souza, e aos 31, o zagueiro Léo acertou a trave após pegar o rebote de uma falta cobrada na área.

Pouco criativo e disperso, o Botafogo levou perigo apenas no final da primeira etapa, depois que Juninho cobrou falta de longe e deu trabalho ao goleiro Victor, que espalmou.

O Botafogo voltou para o segundo tempo com duas modificações: o zagueiro Wellington entrou no lugar de Gabriel, com Eduardo sendo deslocado para a lateral esquerda. Além disso, o meia Rodrigo Dantas foi substituído pelo atacante Jean Coral, em uma tentativa de dar maior poder ofensivo ao time.

Os resultados logo apareceram. O Alvinegro voltou melhor, chegando com mais facilidade ao ataque, e, embora tenha construído jogadas, levou perigo ao Grêmio apenas em mais uma jogada de bola parada. Juninho cobrou falta aos sete minutos e acertou uma bomba na trave esquerda de Victor.

E no momento em que não atuava bem, o Grêmio mostrou a eficiência que faltou na primeira etapa. Na tentativa de impedir uma tabela adversária, Leandro Guerreiro afastou a bola nos pés de Jonas, que chutou de bico no canto direito de Castillo, fazendo 1 a 0 aos 12 minutos.
O gol fez com que o Grêmio tomasse novamente o controle da partida. Com a vantagem garantida e uma viagem para a Venezuela à frente, o time começou a valorizar a posse de bola, envolvendo o Botafogo. A equipe carioca tentava ir à frente, mas continuava a esbarrar nos erros de passe.


E foi na base do toque de bola que o Grêmio marcou o segundo gol, aos 33 minutos. Após jogada iniciada por Douglas Costa, Maxi López recebeu e tocou de calcanhar para Fábio Santos, que apareceu livre no meio da área para completar e decretar a vitória por 2 a 0.

FICHA TÉCNICA:
Grêmio 2 x 0 Botafogo

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: –
Renda/público: –
Cartões amarelos: Réver (GRE); Eduardo, Gabriel e Tony (BOT)
GOLS: – Jonas (12/2ºT) e Fabio Santos (33/2ºT)

GRÊMIO: Victor; Rafael Marques, Léo e Réver (Thiego, 40/2ºT); Ruy, Túlio, Tcheco, Souza (Douglas Costa, 26/2ºT)e Fábio Santos; Jonas (Herrera, 35/2ºT) e Maxi López – Técnico: Paulo Auruori

BOTAFOGO: Castillo; Leandro Guerreiro, Juninho e Eduardo; Alessandro (Diego, 28/2ºT), Fahel, Túlio Souza, Rodrigo Dantas (Jean Coral, intervalo) e Gabriel (Wellington, intervalo); Tony e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)


Victor admite: ‘Agora serei cobrado como goleiro de Seleção’

Goleiro foi chamado por Dunga para jogos da Seleção Brasileira


Victor vestirá a camisa da Seleção Brasileira pela primeira vez

Victor vestirá a camisa da Seleção Brasileira pela primeira vez


O goleiro Victor foi um dos cinco jogadores que atuam no Brasil convocados por Dunga para dois jogos das Eliminatórias e para a Copa das Confederações. Pego de surpresa com a convocação, Victor admitiu que não esperava ser lembrado tão rapidamente.

– Quando se joga em time grande, se pensa nisso. Mas eu não imaginava que seria tão rápido. Muita coisa aconteceu em um ano e meio e sempre de maneira positiva – disse, em entrevista coletiva após o treino desta quinta, lembrando que o tipo de cobrança mudará após a passagem pela Seleção:

– Agora vou ser cobrado como goleiro de seleção e tenho que estar pronto para isso.

Defedendo a Seleção, Victor desfalcará o Grêmio nas fases decisivas da Copa Libertadores e em algumas rodadas do Campeonato Brasileiro. Tranquilo, o camisa 1 do Tricolor gaúcho confessa que está motivado para defender o Grêmio e o Brasil.

– O atleta sempre quer estar disputando títulos. A diretoria vai ver essa questão de liberação com a CBF e eu estarei motivado tanto se jogar pelo Grêmio quanto pela Seleção.

Assim como Victor, Júlio Cesar, da Internazionale, e Gomes, do Tottenham, também foram convocados. Com o primeiro é titular absoluto, Victor chega à Seleção para ser terceiro goleiro. E isso não o desanima.

– O fato de treinar ao lado do Julio Cesar e do Gomes só tem a acrescentar ao meu trabalho.

Em busca da primeira vitória, Grêmio e Botafogo duelam no estádio Olímpico

Tricolor gaúcho tem a estreia de Paulo Autuori, e Alvinegro entrará em campo com pelo menos três mudanças no time

Após breve passagem pelo Timão, o agora tricolor Túlio reencontra Leandro Guerreiro

Enquanto o Grêmio está sob nova direção, depois da contratação do técnico Paulo Autuori, que evitou mexer significativamente no time, o Botafogo de Ney Franco ainda procura a melhor formação para a disputa do Brasileirão. E é sob essa perspectiva, aliada à busca pela primeira vitória na competição, que as duas equipes se enfrentam no próximo domingo, às 16h, no estádio Olímpico. A Rede Globo transmite para o Rio de Janeiro, e o Premiére, pelo sistema pay-per-view, mostra o jogo para todo o Brasil. O GLOBOESPORTE.COM acompanha o confronto em Tempo Real com vídeos.

Em sua estreia à frente do Tricolor gaúcho, Paulo Autuori deve promover sutis mudanças no posicionamento do time, que soma apenas um ponto no campeonato – empatou com o Santos (1 a 1) e perdeu para o Atlético-MG (2 a 1). Os alas estão orientados a buscar um pouco mais o jogo pelo meio, liberando a passagem de Tcheco e Souza ao ataque. O treinador entende que Maxi López, por atuar fixo na área, precisa ser acionado o tempo todo, e os armadores são fundamentais para isso.

O treinador sabe que um bom resultado contra o Alvinegro carioca, clube com o qual conquistou o Campeonato Brasileiro de 1995, será importante também para o primeiro duelo das quartas de final da Taça Libertadores, contra o Caracas, na próxima quarta-feira, às 21h50m, na Venezuela – a equipe, dona da melhor campanha da primeira fase, tem a vantagem de sempre fazer o segundo jogo em casa.

– O Brasileiro é importante e é difícil. A equipe tem condições de vencer. Contra o Santos poderia ter vencido. Diante do Atlético-MG sofreu a derrota no fim do jogo, de maneira esquisita. E agora tem de superar o Botafogo. Vitória traz tranquilidade – comentou Autuori.

Por outro lado, o técnico do Glorioso, Ney Franco, confirmou pelo menos três alterações na equipe. Alessandro está de volta à lateral direita, no lugar de Thiaguinho; Eduardo segue na zaga, ocupando o lugar de Emerson; e Tony ganhou a disputa com Jean Coral, Jean Carioca e Lucas Silva para formar a dupla de ataque com Victor Simões – Reinaldo ainda sente dores na coxa direita e sequer participou do treino na sexta-feira

– Vamos enfrentar um time forte, atual vice-campeão brasileiro e que pode conquistar a Libertadores. O Grêmio conta com um dos melhores elencos do país, e agora contratou um dos técnicos mais vitoriosos que conheço – afirmou Ney.

E o comandante do Alvinegro, que vem de empates com Santo André (1 a 1) e Corinthians (0 a 0) ainda pode ser obrigado a fazer outra mudança. Renan, que faz tratamento para se recuperar de dores lombares, ainda é dúvida. Se não estiver bem até momentos antes do jogo, Castillo, convocado para defender o Uruguai nas duas próximas rodadas das eliminatórias para a Copa de 2010, voltará a vestir a camisa 1 depois de pouco mais de sete meses – o goleiro, que irá enfrentar a seleção brasileira, sofreu uma grave lesão no joelho direito em outubro, foi submetido a uma cirurgia e voltou aos treinos em março.

O meia Souza e o atacante Jonas deixaram o treinamento da manhã de sexta mais cedo. Eles serão reavaliados pelo departamento médico do Grêmio, mas não devem ser problema para o duelo do Olímpico. Assim, o time terá apenas um desfalque. O volante Adílson, expulso contra o Galo, será substituído por Túlio, ex-capitão do Botafogo. O jogador lembrou com carinho de suas passagens por General Severiano, mas no domingo a história é outra.

– Tenho as melhores recordações. Criei uma identificação muito forte, e o tempo que passei no clube foi maravilhoso. Mas sempre existe uma hora para sair, e eu decidi quando seria. Desejo toda a sorte ao time, mas só depois desta rodada – disse o volante, que enfrentará seu ex-companheiro de meio-campo Leandro Guerreiro.

Para o atacante Tony, o jogo de domingo vale mais que três pontos. Pode significar o início promissor de sua passagem pelo Botafogo. Embora tenha entrado na partida contra o Timão, esta será a sua primeira chance como titular.

– Não há receita para jogar bem. E também não adianta falar muita coisa antes da partida. Aos poucos vou ganhando o meu espaço. Não posso é ficar deslumbrado com a confiança do treinador no meu trabalho. É apenas o começo de uma trajetória que pode ser vitoriosa – garantiu Tony, de 23 anos, contratado recentemente ao Boavista.

Grêmio festeja a eliminação do Boca Juniors

Técnico Paulo Autuori destoa e minimiza vexame dos argentinos


Boca Juniors perdeu por 1 a 0 para o Defensor e provoca o choro de Riquelme

Boca Juniors perdeu por 1 a 0 para o Defensor e provoca o choro de Riquelme (Crédito: EFE)


A eliminação do Boca Juniors da Copa Libertadores causou grande contentamento entre os dirigentes do Grêmio. Nesta sexta-feira, eles exibiam largos sorrisos ao se referirem à façanha do Defensor, do Uruguai, que na noite anterior vencera os argentinos dentro da Bombonera.

O vice de futebol, André Krieger, admitiu ter secado o Boca, “que tem muito mais camisa e tradição”.

O diretor de futebol Luís Meira lembrou que o Grêmio só toparia com o time de Riquelme numa eventual final. Mesmo assim, festejou a impossibilidade de repetição de 2007, quando o seu clube perdeu na Bombonera e no Olímpico e teve de se contentar com o vice.

Ao contrário deles, o técnico Paulo Autuori minimizou a situação.

– Não posso perder meu tempo torcendo para esse ou aquele time ser derrotado. Quem pensa em ganhar a Libertadores não pode escolher adversário – desdenhou o novo chefe.

Túlio também encarou a eliminação do Boca sem euforia.

– Não era o único adversário difícil da competição – avisou.

Grêmio recua e adia tentativa de liberar goleiro Victor da seleção

Clube entende que precisa primeiro garantir classificação na Libertadores


Victor durante um treinamento do Tricolor gaúcho

O Grêmio não deve enviar documento à CBF pedindo a liberação do goleiro Victor da seleção brasileira, pelo menos de imediato. Segundo a Rádio Gaúcha, o clube entende que é preciso primeiro garantir presença nas próximas fases da Libertadores. Nesta quinta, porém, o camisa 1 destacou a intenção de se firmar no time de Dunga.

– Espero ter uma sequência na seleção. Claro que respeitando os outros nomes. O Brasil está muito bem servido na posição, mas espero confirmar a boa fase até o meio do ano que vem, quando se realiza a Copa do Mundo – disse o goleiro.

A ausência de Victor obrigará o técnico Paulo Autuori a promover Marcelo Grohe a titular em até seis partidas. Uma delas depende da passagem à semifinal da Libertadores. O goleiro verá de longe o confronto com o Caracas, em casa, pela volta das quartas, dia 17. Se passar às semifinais, o Tricolor não terá seu goleiro no primeiro jogo, fora de casa, contra Cruzeiro ou São Paulo.

Victor diz que foi informado da convocação por um segurança do Grêmio

Goleiro fica sabendo da notícia ao chegar ao Olímpico para treinar

Goleiro Grémio

O goleiro Victor revelou, na tarde desta quinta-feira, que foi informado por um segurança do Grêmio que Dunga havia lhe chamado para integrar o elenco da seleção brasileira que disputa as eliminatórias para a Copa de 2010 e também a Copa das Confederações.

– Na quarta-feira, o meu assessor, Rodrigo Russomano, me ligou dizendo que a convocação estava bem encaminhada. Mas preferi esperar a lista. Logo que cheguei ao clube, fui informado pelo segurança aqui do Grêmio, que veio me cumprimentar. No vestiário, todos vieram me dar os parabéns – revelou Victor.

Visivelmente emocionado com o momento, Victor começou a entrevista coletiva agradecendo a todos os que o ajudaram, direta ou indiretamente, pela atual fase. O goleiro disse que a convocação é o início da realização de um sonho, que é disputar a Copa do Mundo de 2010:

– Este é meu desejo. Espero ter uma sequência na seleção. Claro que respeitando os outros nomes. O Brasil está muito bem servido na posição, mas espero confirmar a boa fase até o meio do ano que vem, quando se realiza a Copa do Mundo – disse o goleiro.

Escolhido o melhor goleiro do Brasileirão do ano passado, Victor chegou no início de 2008 como um desconhecido ao Estádio Olímpico. Revelado nas categorias de base do Paulista, de Jundiaí, o jogador foi uma aposta da diretoria, que na época tinha como presidente Paulo Odone.

– Quando se joga em um grande clube, as coisas ficam mais prováveis. Mas eu não esperava que fosse tão rápido. Em um ano e meio muita coisa positiva aconteceu. Mas isto não é por acaso. Me firmei como melhor goleiro do Brasileirão e isto engrandeceu muito o meu trabalho.

Com a convocação, o assédio do futebol europeu deve aumentar nos próximos meses. No entanto, o jogador garante que só sai do Grêmio se a coisa for muito boa:

– É inevitável que agora possam aparecer propostas. Mas eu não posso me aventurar, pois o Grêmio dá todas as condições, tem uma torcida fantástica, que me apoia e que está diretamente ligada a convocação. Minha cabeça está no Grêmio, e não penso em sair.

Imagens da nova camisa do Grêmio para o Brasileirão vazam na internet

Modelo do uniforme número dois é o que apresenta as maiores inovações


Foto do que seria a nova camisa do Grêmio

As fotos do novo uniforme do Grêmio para o Brasileirão já circulam pela internet – assim como aconteceu no início do ano, com as camisetas lançadas para a Taça Libertadores. Há mudanças significativas em relação ao usado nos dois primeiros jogos do campeonato e à camisa da competição sul-americana. A principal delas está na gola. A Puma, fornecedora do material esportivo, adotou para esta temporada como padrão um desenho diferenciado para a gola das camisetas que desenha. Na camiseta, uma reivindicação antiga dos gremistas foi atendida: a área totalmente azul às costas, sob o número, desapareceu.

No segundo uniforme é o que apresenta as maiores inovações. As listras azuis e pretas do lado esquerdo da camiseta branca, usada no sábado, na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, agora estão na parte central na frente e às costas.

Segundo uniforme tem desenho diferente

O vice de marketing, César Pacheco, disse que está conformado com o vazamento. Afinal, os uniformes para a Libertadores e o Brasileirão foram desenhados e aprovados na virada do ano em janeiro.

O clube prepara blitze pela cidade de Porto Alegre para promover o lançamento do uniforme do Brasileirão. A ideia é surpreender os torcedores com modelos desfilando pela capital gaúcha e inovar ao mostrar o guarda-roupa para o restante da temporada.

Os sócios poderão garantir a sua nova camiseta por meio do site do clube (www.gremio.net), com desconto. Os demais torcedores terão acesso ao uniforme a partir de domingo, na loja GremioMania do Olímpico. O plano de Pacheco é fazer com que as blitze de encerrem no gramado do Olímpico, pouco antes do início da partida contra o Botafogo, quando o time já estará de roupa nova.

Jogadores saúdam Grêmio mais ofensivo

Tcheco e Souza gostaram da opção feita por Autuori


Alterações de Autuori agradaram jogadores

Alterações de Autuori agradaram jogadores

Os meio-campistas Túlio e Tcheco saudaram a disposição do técnico Paulo Autuori de posicionar o Grêmio mais à frente já contra o Botafogo, domingo, no Olímpico, pelo Campeonato Brasileiro.

Para o ex-volante botafoguense, a manutenção do esquema tático 3-5-2 nessa partida não prejudicará o novo modo como a equipe se postará em campo.

— O Paulo já avisou que a aplicação do 4-4-2 virá depois, gradativamente. Mas a escalação dos três zagueiros, domingo, não impedirá que já marquemos mais à frente, na saída de bola do adversário, com uma distribuição equilibrada – disse Túlio.

Para Tcheco, que no 4-4-2 voltará a atuar como meia adiantado, e não mais como um segundo volante, a notícia não podia ser melhor.

— Em parte eu me sacrificava antes. Se você tem a função mais de marcar, fica difícil de se chegar mais à frente. Diminuíram meus gols, minhas assistências também, mas acredito que nos saímos relativamente bem – avaliou. E completou dizendo, bem-humorado, que já sente falta dos gols.

— Estou com saudades, sim, de comemorar um gol. Só abraçar os outros não dá, né?

Grêmio lança linha de roupas de surfe

Lançamento das peças será neste sábado, na loja do Estádio Olímpico


Linha de surfe vai ter a logo do Grêmio no peito

O Grêmio vai lançar moda e inovar com uma linha de roupas de surfe. O Tricolor gaúcho será o primeiro clube do mundo a criar modelos para este segmento. A coleção inclui roupa de neoprene long, em todos os tamanhos, e em duas cores: azul com detalhe em dourado e preto com prata. Os dois modelos têm a logo da equipe no peito.

O lançamento será neste sábado, dia 23, às 11h, na Loja GrêmioMania do Estádio Olímpico.

A roupa desenvolvida para a prática do surfe e esportes aquáticos tem a costura vedada, para impedir a entrada de água, e é de material leve e flexível. As peças são assinadas pela empresa Magic Brands.

Alex Mineiro revela que foi procurado pelo presidente do Atlético-PR

Atacante diz que, como Grêmio não liberou, voltou aos treinos normalmente


Alex Mineiro: ‘Então, é seguir trabalhando’

O atacante Alex Mineiro descartou sair do Grêmio antes do fim do contrato com o clube gaúcho, que vai até dezembro de 2009. Semana passada, a imprensa paranaense noticiou que o jogador teria ligado para o presidente do Atlético-PR e revelado o desejo de voltar para Curitiba. No entanto, após o treino da tarde desta terça, no Estádio Olímpico, o jogador afirmou que ocorreu justamente o contrário:

– O presidente do Atlético-PR me ligou dizendo que o clube teria prazer em me receber de volta. Eu respondi que, se o Grêmio me liberasse, já que eu não estava sendo aproveitado na maioria dos jogos, eu voltaria sem problema nenhum. Conversei com os dirigentes do Grêmio logo após este contato. Como eles não liberaram, voltei aos treinos normalmente. Seria uma falta de ética da minha parte fazer uma coisa destas com o Grêmio – revelou Alex Mineiro.

Esta é a terceira vez que Alex Mineiro trabalha com o técnico Paulo Autuori. Em 1997, no Cruzeiro, e em 2006, no Kashima Antlers, do Japão, o centroavante foi titular com o treinador e sabe que uma oportunidade deve aparecer nos próximos jogos:

– O treinador já conhece meu futebol e sabe daquilo que eu posso render dentro de campo. Então, é seguir trabalhando para, quando surgirem as oportunidades, não sair mais da equipe – disse Alex.

Autuori manterá 3-5-2 contra o Botafogo

Apesar de preferir o 4-4-2, técnico terá cautela no início


Paulo Autuori volta ao Brasil e inicia trabalho contra o Botafogo, clube pelo qual foi campeão brasileiro

Paulo Autuori volta ao Brasil e inicia trabalho contra o Botafogo, clube pelo qual foi campeão brasileiro


Marcação forte e capricho nos arremates – essa foi a exigência do técnico Paulo Autuori no treino do Grêmio na parte da manhã, o primeiro dos dois marcados para esta terça-feira.

O primeiro coletivo deverá se realizar nesta quarta-feira. É certo que o esquema tático 3-5-2 será mantido contra o Botafogo, domingo, no Olímpico, embora Autuori tenha dito que o 4-4-2 é o seu preferido.

– Primeiro vem a necessidade do grupo, depois a vaidade do treinador. Foi assim quando cheguei ao São Paulo em 2005. Já preferia o 4-4-2, mas, como os atletas estavam acostumados com o 3-5-2, não mexi de imediato – explicou o novo técnico.

Pelo menos em empenho, a resposta dos jogadores foi boa, na manhã desta terça-feira. Eles mostraram dedicação e garra durante todo o trabalho técnico, realizado no campo suplementar. A atividade começou com ênfase no toque de bola e depois foi realizado um exercício de jogadas de ataque.

No treino de dois toques, Autuori gritou muito para os atletas apertarem a marcação. O centroavante Maxi López foi elogiado pelo treinador pelo esforço.

No final, houve o trabalho pelas laterais, com cruzamentos para conclusões dos atacantes. López soltou uma bomba, mas parou na defesa de Marcelo Grohe. “Boa, López”, incentivou-o o técnico. O primeiro a marcar foi Tcheco. O aproveitamento nos arremates não foi tão alto como no primeiro treino técnico dirigido por Autuori, na véspera. Nos cruzamentos, Ruy foi o que mostrou mais precisão.

Torcida aplaude Autuori no primeiro treino do técnico no Grêmio

Cerca de 200 gremistas movimentam Olímpico para conhecer o novo treinador tricolor. Atividade prioriza tabelas e cruzamentos


Ampliar Foto Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM

Paulo Autuori durante o treinamento do Grêmio

O técnico Paulo Autuori foi aplaudido assim que pisou no gramado suplementar do Olímpico em seu primeiro dia como técnico do Grêmio. Cerca de 200 torcedores movimentaram o estádio tricolor na tarde desta segunda-feira para dar boas-vindas ao novo treinador. Houve engarrafamento na entrada do local. O profissional, cercado por dezenas de fotógrafos e cinegrafistas, deu um leve aceno à torcida, posicionada atrás de um dos gols.

No treinamento, Autuori priorizou jogadas de ataque, confirmado que ele está mais preocupado com a produção ofensiva da equipe do que com o rendimento defensivo. Ele treinou saídas em busca do gol. A bola partia da zaga, passava pelo meio, com tabelas, e chegava até as laterais, para cruzamentos. A cada gol, a torcida respondia com mais aplausos.

O novo técnico do Grêmio disse, na entrevista coletiva de apresentação, antes do treinamento, que prefere o esquema 4-4-2, mas o sistema não deve ser modificado tão cedo. O 3-5-2 provavelmente seguirá contra o Botafogo, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, e diante do Caracas, no dia 28, pelas quartas de final da Libertadores.

Autuori chega ao Grêmio e se diz pronto para as vaias

Técnico afirma preferir o esquema 4-4-2, mas analisará necessidade da equipe antes de mudar


Paulo Autuori foi apresentado e já treina na parte da tarde desta segunda-feira

Paulo Autuori foi apresentado e já treina na parte da tarde desta segunda-feira

Depois de mais de um mês sendo comandado pelo interino Marcelo Rospide, o Grêmio anunciou na tarde desta segunda-feira o técnico Paulo Autuori. Campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes pelo São Paulo, em 2005, Autuori volta para o Brasil pronto para enfrentar os gremistas mais críticos.

– Estou pronto para ser questionado e chamado de burro de vez em quando – comentou, explicando o motivo de ter aceito o convite do Grêmio para trocar o futebol do Qatar pelo gaúcho.

– É o clube certo pela grandiosidade, pela história, é o momento certo para exercitar toda a minha tolerância que tive no mundo árabe. Resolvi aceitar com todo carinho esse convite. Não foi um processo fácil, pois não dependia só de mim.

Sobre a mudança ou não do esquema tático – o Grêmio atua no 3-5-2, esquema aplicado pelo ex-técnico Celso Roth -, Autuori afirmou preferir o 4-4-2. No entanto, confessou que é preciso analisar as necessidades do grupo antes de mexer em alguma coisa.

– Não pode um clube estar refém de um profissional, ou técnico de futebol. Temos que ver a necessidade da equipe. Todos sabem que gosto do 4-4-2, é um esquema que dá mais variantes. O futebol brasileiro tem carência de laterais e meias. O 3-5-2 foi criado há muito tempo, porque o líbero chegava ao ataque. Aqui no Brasil os times jogam com três zagueiros mesmo – comentou.

Rospide aguarda Autuori e diz que não sentirá saudade do cargo

Técnico interino pretende seguir trabalhando na comissão técnica

SOCCER/

Em sua última partida como técnico interino do Grêmio, Marcelo Rospide viu o time perder para o Atlético-MG do antecessor Celso Roth, nesta tarde de sábado, pelo Brasileirão. E após a perda da invencibilidade no cargo, com a primeira derrota em sete jogos, Rospide concedeu uma entrevista ponderada no vestiário do Estádio Mineirão, projetando sua permanência no clube.

– Sou profissional do clube há bastante tempo. Vou aguardar o Autuori para saber o que ele espera de mim. Tranquilamente vou me adaptar às novas funções, sem nenhum ressentimento ou saudade – garante.

Perguntado sobre a possibilidade de esgotamento do 3-5-2, Rospide avaliou se há no Grêmio condições para Paulo Autuori trocar o sistema tático:

– Tem possibilidade para qualquer esquema, 4-4-2, 3-5-2, ou até mesmo outro – afirma.

Sobre a partida, Rospide se negou a comentar os lances polêmicos da arbitragem, como as reclamações de ofensas aos jogadores, e o pênalti duvidoso que deu a vitória ao Atlético-MG no último minuto de jogo.

Krieger critica arbitragem e alfineta Celso Roth

Dirigente acusa árbitro de prejudicar intencionalmente o Grêmio


André Krieger criticou e não perdeu a chance de duvidar da qualidade do Galo

André Krieger criticou e não perdeu a chance de duvidar da qualidade do Galo

O diretor de futebol do Grêmio André Krieger criticou a arbitragem de Wilson Luiz Seneme na partida entre Grêmio e Atlético-MG, neste sábado, no Mineirão. O dirigente acusou Seneme de estar mal-intencionado.

– Primeiro, o auxiliar dá tiro de meta, ele (Seneme) dá escanteio e sai o gol. Escanteio que não houve. Depois um pênalti inexistente. Incompetente ele não é, tem um currículo até razoável. O árbitro veio mal-intencionado, de forma a prejudicar o Grêmio – disse à Rádio Gaúcha e ao Portal Clicrbs.

Foi a primeira vez que o Grêmio reencontrou o técnico Celso Roth desde a saída do treinador do comando tricolor em abril. Perguntado sobre como foi ser derrotado por quem há pouco tempo estava ao seu lado, Krieger alfinetou Roth. E duvidou da qualidade do time atleticano.

– O Celso que vá fazer a vida dele, não estou nem um pouco preocupado. Espero que ele seja feliz, embora não veja assim grandes possibilidades, até em função da qualidade do Atlético – comentou à Rádio Gaúcha e ao Portal Clicrbs.