Willian Magrão renova até 2012

Volante se recupera de lesão e voltará aos gramados no segundo semestre

Ampliar Foto Agência/Estado Agência/Estado

Willian Magrão, em um dos jogos de 2009

O volante Willian Magrão renovou com o Grêmio até 2012. Desde janeiro deste ano se especulava a prorrogação de contrato, que foi divulgada na última terça, no Boletim Informativo (BID) da CBF.

Willian Magrão se recupera de uma cirurgia delicada no joelho e tem previsão de volta aos gramados para o segundo semestre, mais provavelmente em setembro, em meio ao Brasileirão 2009.

Grêmio está de olho em Lucio Flavio e Tulio

Jogadores reforçariam o time nas próximas fases da Libertadores

Ex-jogadores do Botafogo podem reforçar o Grêmio na Libertadores (Crédito: Arquivo)

LANCEPRESS!

Renato, ex-Flamengo, continuará no Al-Shabbab, dos Emirados Árabes, e Rafael Carioca, do Spartak Moscou, não voltará para o Olímpico. Sem conseguir trazer esses dois, o Grêmio pretende reforçar seu elenco para as próximas fases da Libertadores com dois jogadores que já brilharam no Botafogo: o volante Túlio, hoje no Corinthians, e Lucio Flavio, no Santos.

A direção do Grêmio não confirma, mas quer concretizar os negócios até esta sexta-feira. Renato e Rafael Carioca chegaram a ser inscritos na CBF antes do prazo de encerramento fixado para jogadores contratados no exterior. Mas, diante do fracasso, o Tricolor se voltou para o mercado interno.

Segundo especulações correntes no Estádio Olímpico, o nome de Lucio Flavio teria sido indicado por Paulo Autuori, que assumirá o comando do time a partir da segunda quinzena de maio. Lucio Flavio vem amargando o banco de reservas no Santos.

Além dele, a diretoria gremista pretende contratar um volante. E Túlio é o pretendido, por ter características semelhantes às de Rafael Carioca: é bom de desarme e sua saída de bola é de qualidade.

Grêmio garante melhor campanha da primeira fase com vitória sobre o Boyacá

Grêmio garante melhor campanha da primeira fase com vitória sobre o Boyacá

Tricolor faz 3 a 0 somente no primeiro tempo e chega aos 16 pontos

Ampliar Foto Agência/AFP Agência/AFP

Jogadores comemoram um dos gols de Souza

O Grêmio só precisou do primeiro tempo para construir a vitória de 3 a 0 sobre o Boyacá Chicó, nesta terça-feira, em Porto Alegre. Souza, duas vezes, e Léo marcaram os gols. O triunfo garantiu ao Tricolor a melhor campanha da fase de grupos da Taça Libertadores com 16 pontos, além da melhor defesa, sofrendo apenas um gol em seis jogos. O time colombiano (nove) acabou sendo ultrapassado pelo Universidad de Chile (dez) no Grupo 7 nesta última rodada e está eliminado. Brasileiros e chilenos aguardam o encerramento das demais chaves para conhecer seus adversários.

O jogo

O volume de jogo que o Grêmio teria durante todo o primeiro tempo foi mostrado logo aos dois minutos por Jonas. Ele entrou driblando na área e caiu. Pediu pênalti, mas o árbitro Jorge Larrionda não deu. Aos seis, Ruy aproveitou rebote no bico direito e pegou de primeira. O goleiro Velásquez espalmou para o lado.

Coube a Souza superar o goleiro do Boyacá e abrir a porteira. O meia avançou pela meia esquerda, viu Velázquez adiantado e mandou de trivela, no ângulo oposto, com 16 de jogo. Avalanche no Olímpico!

Quatro minutos depois, placar ampliado. Jonas trocou de posição com Souza e da intermediária lançou o meia, que desta vez apareceu pela direita. O chute de primeira colocou a bola no fundo do gol para deixar o placar já em 2 a 0.

Jonas viu seu companheiro marcar duas vezes e tentou correr atrás do “prejuízo”. Aos 23, Souza tabelou com Maxi López e deu passe para Jonas na área. O atacante girou e chutou por cima do gol. Com 28 minutos, o mesmo Jonas arriscou de fora da área e novamente a bola passou sobre o travessão.

Se Jonas não consegue fazer, os outros jogadores tinham aproveitamento melhor. Aos 29 minutos, Tcheco bateu falta para a área, Réver ajeitou e Léo completou para fazer o terceiro.

A vitória estava praticamente garantida, a melhor campanha também, mas Jonas não desistiu de tentar deixar a sua marca. Com 39 de jogo, Tcheco ganhou dividida na intermediária e deu passe rasteiro para a entrada de Jonas na área. Velásquez saiu do gol e fechou o ângulo, evitando que o chute do atacante fosse para dentro do gol.

Boyacá ensaia reação

A etapa final começou com um susto para a torcida tricolor. Léo derrubou Giron na área, cometendo pênalti aos sete minutos. Caneo foi para a cobrança e converteu. Entretanto, o árbitro uruguaio assinalou invasão, e o jogador do time colombiano teve que repetir. Na segunda tentativa, Caneo manteve o canto esquerdo, e Victor voou para fazer a defesa.

O Grêmio aguentou bem a pressão inicial dos visitantes e aos 20 minutos quase chegou ao quarto. Souza cruzou da direita, Maxi López não alcançou, e Fábio Santos chutou de primeira na segunda trave. O chute pegou o argentino na queda. A bola bateu no calcanhar do atacante e foi pela linha de fundo.

A melhora da equipe colombiana e a queda de rendimento no Grêmio resultaram em uma diminuição no ritmo da partida. Sem outras grandes emoções, o placar ficou mesmo nos 3 a 0.

Ficha técnica:

GRÊMIO 3 x 0 BOYACÁ CHICÓ
Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Souza, Tcheco (Orteman) e Fábio Santos (Jadilson); Jonas e Maxi López (Alex Mineiro). Velásquez; Pino, Tejera (Giron), García e Madera; Ramírez, Tapia (Rada), Núñez e  Caneo; Palacios e Pérez (Duran).
Técnico: Marcelo Rospide. Técnico: Alberto Gamero.
Gols: Souza, aos 12 e 16 minutos, Léo, aos 29 do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Tcheco e Rafael Marques (Grêmio); Nuñez, Pino e García (Boyacá Chicó).
Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS). Data: 28/04/2009. Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai). Auxiliares: Pablo Fandiño (Uruguai) e Miguel Nievas (Uruguai).

Grêmio enfrenta Boyacá por melhor campanha

Com vitória, Tricolor decidirá todos os jogos do mata-mata em casa

LANCEPRESS!

Dono da melhor campanha entre os 32 disputantes da Libertadores, o Grêmio quer manter essa condição ao disputar sua última partida pelo Grupo 7, contra o Boyacá Chicó, às 19,30h desta terça-feira, no Olímpico. Com uma vitória, saltaria dos atuais 13 pontos para 16. Os concorrentes são Boca Juniors e Libertad, ambos com 12 pontos.

Como primeiro colocado, o Tricolor garantiria o segundo confronto em casa até o final da competição, que entra no sistema de mata-mata já na próxima fase. E com uma vantagem: nas oitavas-de-final, pegaria o pior colocado (16º) na fase de grupos. O adversário será um destes quatro: Defensor, do Uruguai, Universitário, San Martín (ambos do Peru) ou San Luís, do México.

— O Grêmio cresce nas decisões da Libertadores, e desta vez não vai ser diferente – afirmou Tcheco, o capitão.

Tradicional disputante de Libertadores, com dois títulos (1983 e 1995) e outras duas finais (1984 e 2007), o Grêmio fez o que se esperava ao cair num dos grupos mais fracos: em cinco jogos, venceu quatro e empatou um – este, o do incrível 0 a 0 da estréia, em casa, quando criou 14 chances de gol contra o Universidad de Chile. E se em 2007, quando foi vice sob o comando de Mano Menezes, venceu apenas uma vez como visitante, este ano o Tricolor já ganhou as três que disputou fora de casa.

Das quatro vitórias, as duas últimas foram conquistadas sob o comando do técnico interino Marcelo Rospide, substituto do demitido Celso Roth – sobre o Aurora no Olímpico e o Universidad em Santiago. O que afastou qualquer resquício de crise.

O time vai completo para cima do Boyacá. Ruy se recuperou de lesão muscular e voltará a ocupar a ala-direita. Alex Mineiro, que tinha o mesmo problema, também já está à disposição. Mas ficará no banco de reservas.

— Jonas já tem algum entrosamento com Maxi López, e será importante usar isso – explicou Rospide, que pretende utilizar Alex Mineiro no decorrer do segundo tempo.

Titular absoluto do ataque, Maxi López cresce de produção a cada jogo. Mais confiante, ele projeta uma vitória sobre os colombianos. E nem leva muito em conta o fato de o Grêmio fazer os segundos confrontos no Olímpico.

— Para sair campeão, um time tem de ser o mesmo como mandante ou visitante. Não pode esperar para resolver as coisas em casa. O Grêmio está provando que é dessa estirpe – afirmou o argentino, que se impressionou com a grande presença de público no treino da manhã de domingo.

— Nunca vi disso antes – comentou.

O Boyacá Chicó tem uma pequena esperança de se classificar. O técnico Alberto Gamero projeta um empate, esperando que o Aurora vença o Universidad de Chile. A equipe vem confiante. No fim de semana, goleou o Cúcuta por 4 a 0 no campeonato nacional.

— Não acredito que o time fure a defesa do Grêmio. O ataque é fraco, falta um goleador nato – disse Andrés Galvez, da Radio Boyacá, que acompanhou a delegação colombiana a Porto Alegre.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO X BOYACÁ CHICÓ

Local: Estádio Olímpico (Porto Alegre, RS)
Data-hora: 28/04/2009 – 19,30h (horário de Brasília)
Árbitro: Jorge Larrionda (URU)
Auxiliares: Pablo Fandiño e Miguel Nievas (URU).

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López. Técnico: Marcelo Rospide.

BOYACÁ CHICÓ: Velásquez; Pino, Tejera, García e Madera; Rada, Ramírez, Tapia e Núñez; Caneo e Pérez. Técnico: Alberto Gamero.

Rospide escala Maxi López contra o Boyacá Chicó

Treino deste domingo define equipe do Grêmio para jogo da Libertadores

Ampliar Foto Agência/AFP Agência/AFP

Maxi Lopez quer se firmar como titular do Grêmio

A manhã deste domingo foi de muito trabalho para os jogadores do Grêmio e serviu para definir a equipe que enfrentará o Boyacá Chico, da Colômbia, na próxima terça-feira, pela Copa Libertadores. O técnico Marcelo Rospide confirmou a presença do argentino Maxi López no ataque ao lado de Jonas. Assim, a equipe tricolor entrará em campo com: Victor, Leo, Rafael Marques e Rever; Ruy, Adilson, Tcheco, Souza e Fabio Santos; Jonas e Maxi López.

Em busca de espaço no time titular do Grêmio, Maxi López acredita que o confronto desta terça-feira será uma grande oportunidade de mostrar serviço.
– Eu estou confiante, o grupo me recebeu muito bem e isso é importante para mim, para que eu me sinta bem dentro de campo. Vou me esforçar ao máximo ao lado do Jonas, que é um jogador de muita movimentação. Mas o Grêmio tem muitos atacantes de qualidade, como o Herrera e o Alex Mineiro, que têm condições de serem titulares da equipe, por isso quero fazer o melhor para garantir o meu espaço – disse o atacante ao site oficial do clube.

A delegação gremista inicia a concentração para o jogo contra o Boyacá Chico na noite deste domingo. Na segunda-feira pela manhã, será realizado o último treinamento antes da partida que acontece às 19h30m desta terça-feira.

window.google_render_ad();

Libertadores: turma de trás tenta fugir do Grêmio

Tricolor gaúcho está perto de garantir a primeira colocação geral

LANCEPRESS!

O time do Grêmio depende apenas dele mesmo para garantir a primeira colocação geral na fase de grupos da Libertadores. Uma vitória simples sobre o Boyacá Chicó (COL), terça-feira, no Olímpico, concede à equipe gaúcha o privilégio de decidir todos os confrontos, até uma eventual final, da fase mata-mata dentro de seus domínios.

Caso se confirme o primeiro lugar geral, nas oitavas-de-final o Tricolor enfrentará a equipe de pior desempenho da segunda fase (grupos). São quatro os possíveis adversários: Defensor (URU), San Martín (PER), Universitario (PER) ou San Luis (MEX).

Destes, o confronto mais provável é contra o Defensor Sporting, do Grupo 4. Os uruguaios encerraram sua participação, quarta-feira passada, com oito pontos e nenhum gol de saldo. As outras três equipes têm mais uma rodada, que será disputada na próxima semana, para pontuar e fugir do time de melhor campanha.

Os peruanos San Martín e Universitario precisam apenas de um empate, fora de casa, contra River Plate (quinta-feira) e San Lorenzo (terça-feira) – eliminados –, respectivamente, para chegarem aos nove pontos e enfrentarem times teoricamente mais fracos nas oitavas.

Correndo por fora, no Grupo 8, a equipe mexicana do San Luis precisa vencer o Libertad (terça-feira), no Paraguai, e torcer por uma derrota do Universitario para se classificar com oito pontos. Se tiver pelo menos um gol de saldo, se livra do Grêmio na próxima fase.

Ruy diz que time do Grêmio é mais equilibrado do que o de 2007

Lateral lembra da importância de terminar com a melhor campanha na fase de grupos: jogar a segunda partida do mata-mata em casa

Ampliar Foto Divulgação/Site Oficial do Grêmio Divulgação/Site Oficial do Grêmio

Ruy: ‘É preciso ter cuidado’

Depois de 21 dias parado por causa de uma lesão, o lateral-direito Ruy está recuperado e volta ao time do Grêmio no jogo contra o Boyacá Chicó, nesta terça-feira, pela Libertadores. Em entrevista à Rádio Gaúcha, o jogador declarou que é preciso ter cuidado na próxima fase da competição:

— Não adianta nada largar bem e na fase eliminatória não apresentar um bom futebol. Depois da fase de grupos, é outra Libertadores — disse.

Ruy mencionou algumas equipes que costumam crescer em confrontos eliminatórios, como o São Paulo e o Boca Juniors. Além do próprio Grêmio:

— São equipes que têm muita torcida, que crescem muito. É preciso ter cuidado com todas, mas essas pesam mais — afirmou.

O jogador também falou sobre a importância de decidir os confrontos em casa, e que o time está ciente da importância de consolidar a melhor campanha na fase de grupos. Ele lembrou do time do Grêmio vice-campeão em 2007, que usou o apoio da torcida para superar os adversários, e comparou com o grupo atual:

— Esse ano a equipe está um pouco mais equilibrada (do que a de 2007). Os jogadores experientes estão fazendo a diferença — declarou.