Grêmio garante melhor campanha da primeira fase com vitória sobre o Boyacá

Grêmio garante melhor campanha da primeira fase com vitória sobre o Boyacá

Tricolor faz 3 a 0 somente no primeiro tempo e chega aos 16 pontos

Ampliar Foto Agência/AFP Agência/AFP

Jogadores comemoram um dos gols de Souza

O Grêmio só precisou do primeiro tempo para construir a vitória de 3 a 0 sobre o Boyacá Chicó, nesta terça-feira, em Porto Alegre. Souza, duas vezes, e Léo marcaram os gols. O triunfo garantiu ao Tricolor a melhor campanha da fase de grupos da Taça Libertadores com 16 pontos, além da melhor defesa, sofrendo apenas um gol em seis jogos. O time colombiano (nove) acabou sendo ultrapassado pelo Universidad de Chile (dez) no Grupo 7 nesta última rodada e está eliminado. Brasileiros e chilenos aguardam o encerramento das demais chaves para conhecer seus adversários.

O jogo

O volume de jogo que o Grêmio teria durante todo o primeiro tempo foi mostrado logo aos dois minutos por Jonas. Ele entrou driblando na área e caiu. Pediu pênalti, mas o árbitro Jorge Larrionda não deu. Aos seis, Ruy aproveitou rebote no bico direito e pegou de primeira. O goleiro Velásquez espalmou para o lado.

Coube a Souza superar o goleiro do Boyacá e abrir a porteira. O meia avançou pela meia esquerda, viu Velázquez adiantado e mandou de trivela, no ângulo oposto, com 16 de jogo. Avalanche no Olímpico!

Quatro minutos depois, placar ampliado. Jonas trocou de posição com Souza e da intermediária lançou o meia, que desta vez apareceu pela direita. O chute de primeira colocou a bola no fundo do gol para deixar o placar já em 2 a 0.

Jonas viu seu companheiro marcar duas vezes e tentou correr atrás do “prejuízo”. Aos 23, Souza tabelou com Maxi López e deu passe para Jonas na área. O atacante girou e chutou por cima do gol. Com 28 minutos, o mesmo Jonas arriscou de fora da área e novamente a bola passou sobre o travessão.

Se Jonas não consegue fazer, os outros jogadores tinham aproveitamento melhor. Aos 29 minutos, Tcheco bateu falta para a área, Réver ajeitou e Léo completou para fazer o terceiro.

A vitória estava praticamente garantida, a melhor campanha também, mas Jonas não desistiu de tentar deixar a sua marca. Com 39 de jogo, Tcheco ganhou dividida na intermediária e deu passe rasteiro para a entrada de Jonas na área. Velásquez saiu do gol e fechou o ângulo, evitando que o chute do atacante fosse para dentro do gol.

Boyacá ensaia reação

A etapa final começou com um susto para a torcida tricolor. Léo derrubou Giron na área, cometendo pênalti aos sete minutos. Caneo foi para a cobrança e converteu. Entretanto, o árbitro uruguaio assinalou invasão, e o jogador do time colombiano teve que repetir. Na segunda tentativa, Caneo manteve o canto esquerdo, e Victor voou para fazer a defesa.

O Grêmio aguentou bem a pressão inicial dos visitantes e aos 20 minutos quase chegou ao quarto. Souza cruzou da direita, Maxi López não alcançou, e Fábio Santos chutou de primeira na segunda trave. O chute pegou o argentino na queda. A bola bateu no calcanhar do atacante e foi pela linha de fundo.

A melhora da equipe colombiana e a queda de rendimento no Grêmio resultaram em uma diminuição no ritmo da partida. Sem outras grandes emoções, o placar ficou mesmo nos 3 a 0.

Ficha técnica:

GRÊMIO 3 x 0 BOYACÁ CHICÓ
Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Souza, Tcheco (Orteman) e Fábio Santos (Jadilson); Jonas e Maxi López (Alex Mineiro). Velásquez; Pino, Tejera (Giron), García e Madera; Ramírez, Tapia (Rada), Núñez e  Caneo; Palacios e Pérez (Duran).
Técnico: Marcelo Rospide. Técnico: Alberto Gamero.
Gols: Souza, aos 12 e 16 minutos, Léo, aos 29 do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Tcheco e Rafael Marques (Grêmio); Nuñez, Pino e García (Boyacá Chicó).
Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS). Data: 28/04/2009. Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai). Auxiliares: Pablo Fandiño (Uruguai) e Miguel Nievas (Uruguai).

Ruy diz que time do Grêmio é mais equilibrado do que o de 2007

Lateral lembra da importância de terminar com a melhor campanha na fase de grupos: jogar a segunda partida do mata-mata em casa

Ampliar Foto Divulgação/Site Oficial do Grêmio Divulgação/Site Oficial do Grêmio

Ruy: ‘É preciso ter cuidado’

Depois de 21 dias parado por causa de uma lesão, o lateral-direito Ruy está recuperado e volta ao time do Grêmio no jogo contra o Boyacá Chicó, nesta terça-feira, pela Libertadores. Em entrevista à Rádio Gaúcha, o jogador declarou que é preciso ter cuidado na próxima fase da competição:

— Não adianta nada largar bem e na fase eliminatória não apresentar um bom futebol. Depois da fase de grupos, é outra Libertadores — disse.

Ruy mencionou algumas equipes que costumam crescer em confrontos eliminatórios, como o São Paulo e o Boca Juniors. Além do próprio Grêmio:

— São equipes que têm muita torcida, que crescem muito. É preciso ter cuidado com todas, mas essas pesam mais — afirmou.

O jogador também falou sobre a importância de decidir os confrontos em casa, e que o time está ciente da importância de consolidar a melhor campanha na fase de grupos. Ele lembrou do time do Grêmio vice-campeão em 2007, que usou o apoio da torcida para superar os adversários, e comparou com o grupo atual:

— Esse ano a equipe está um pouco mais equilibrada (do que a de 2007). Os jogadores experientes estão fazendo a diferença — declarou.