Nos pênaltis, Internacional é campeão dentro do Olímpico

Após jogo eletrizante no tempo normal, Renan se redime de falha e pega três cobranças

Grêmio e Internacional decidiram neste domingo, no Estádio Olímpico, o título do Campeonato Gaúcho de 2011. Com a vitória colorada por 3 a 2 no tempo normal, a decisão foi para os pênaltis, já que o Grêmio vencera o primeiro jogo pelo mesmo placar. Nas penalidades, brilhou a estrela do goleiro Renan, que pegou as cobranças de William Magrão, Lúcio e Adílson.

A partida começou com os donos da casa impondo seu ritmo. Mesmo tendo batido o rival no Beira-Rio, o Grêmio imprensou o seu adversário em seu campo de defesa, e contou com o meia Douglas em tarde inspirada.O Inter, por sua vez, viu seu esquema com três zagueiros ruir logo aos 15 minutos da etapa inicial. Douglas deu lançamento milimétrico para Lúcio, que tocou por baixo do goleiro Renan. Incrédulos, os defensores colorados pediam impedimento inexistente.

O gol acentuou ainda mais o predomínio azul, que seguia de posse do meio de campo e criava as oportunidades mais concretas. Viçosa e Douglas, por exemplo, desperdiçaram chances que praticamente selariam o bicampeonato do Gaúcho. O rumo da partida mudou quando o técnico Falcão decidiu abandonar o desenho tático inicial.

Com o meia Zé Roberto na vaga de Juan, o Colorado foi um time mais envolvente e equilibrou as ações e a posse de bola. E foi dos pés de Zé Roberto que nasceu o empate dos visitantes. O apoiador fez jogada pela esquerda e cruzou. Leandro Damião, bem colocado, girou sobre o zagueiro e bateu para reacender as esperanças da minoria colorada presente ao jogo.

Necessitando de mais um gol para levar a decisão para os pênaltis, o Internacional não tinha outra alternativa a não ser buscar o ataque. Aos 45 minutos, Zé Roberto bateu o escanteio, a zaga rebateu e Andrezinho, de fora da área, colocou fogo no clássico.

A etapa final deixou os torcedores com a respiração presa, deixando no ar a sensação de que um gol de qualquer uma das partes resolveria a parada. Impulsionado pelo gol obtido quase nos acréscimos, o Inter partiu para cima do rival, que voltou um tanto mais cauteloso para a decisão.

Aos poucos, porém, o reequilíbrio voltou a ser a tônica do jogo. Aos 11, Leandro Damião isolou o que poderia ser o gol do título. Um minuto depois, Viçosa não marcou o gol que representaria o alívio tricolor.O suspense permaneceu. O desenho aparentemente definitivo da decisão aconteceu aos 28 minutos, momento em que Victor derrubou Zé Roberto na área. O argentino D’Alessandro, que não vinha em grande jornada, teve calma para colocar a bola no fundo da rede.

O apelido Imortal, no entanto, cabe bem ao Grêmio. Aos 36, o goleiro Renan soltou novamente um cruzamento na área e Borges, bem colocado, teve o trabalho de marcar e levar a decisão para os pênaltis. Antes do apito de Leandro Vuaden, entretanto, Inter e Grêmio tiveram chances claríssimas de liquidar.

Nos pênaltis, vitória colorada por 5 a 4. Bicampeonato e festa da metade vermelha do Rio Grande do Sul.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 2 (4) X 3 (5) INTERNACIONAL

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 15/5/2011 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Altemir Hausmann e Júlio Cesar dos Santos
Cartões amarelos: Juan, D’Alessandro, Zé Roberto, Guiñazu (INT); Vílson, Fábio Rochemback (GRE)
Cartões vermelhos: –

Gols: Lúcio, 15’/1ºT (1-0); Leandro Damião, 31’/1ºT (1-1), Andrezinho, 46’/1ºT (1-2), D’Alessandro, 29’/2ºT (1-3), Borges, 36’/2ºT (2-3)

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo e Gilson (William Magrão, 32’/2ºT); Fábio Rochemback, Adilson Lúcio e Douglas; Leandro (Lins, 31’/2ºT) e Júnior Viçosa (Borges,30’/2ºT) Técnico: Renato Gaúcho.

INTERNACIONAL: Renan, Bolivar, Índio, Juan (Zé Roberto, 28’/1ºT) e Nei; Bolatti, Guiñazu, Andrezinho (Oscar, 4’/2ºT), D’Alessandro e Kleber; Leandro Damião. Técnico: Falcão.

Grêmio vence o Inter no primeiro jogo da decisão

Jogo foi movimentado no Beira-Rio, Tricolor consegue virada e sai na frente do rival no primeiro jogo da final do Gauchão

Internacional e Grêmio começaram neste domingo a decidir o Campeonato Gaúcho. E quem se deu melhor foi o Tricolor que, numa partida muito movimentada, venceu por 3 a 2 no Beira-Rio e, agora, pode empatar e até perder de 1 a 0 ou 2 a 1 no Olímpico para levantar a taça de campeão.

Mesmo jogando fora de casa, o Grêmio começou melhor a partida, encurralando o Internacional em seu campo de defesa nos minutos iniciais. Mas o domínio territorial não foi transformado em gols e o Colorado aproveitou para sair na frente logo em sua primeira oportunidade, com Andrezinho mandando bola no cantinho de Grohe após bom passe de Leandro Damião.

Veja os gols da vitória do Grêmio sobre o Inter

Com a vantagem do Inter, inverteu-se também o domínio do jogo, agora totalmente Colorado. Jogando bem, o time comandado por Falcão ficou perto de chegar ao segundo em oportunidades de Andrezinho e Kléber, defendidas por Marcelo Grohe. Mas o Grêmio não estava morto e chegou ao empate com Júnior Viçosa, que havia desperdiçado duas chances antes. Desta vez, o atacante tricolor contou com saída ruim do goleiro adversário Renan e mandou de cabeça para o fundo da rede.

Se o primeiro tempo foi bem movimentado, o segundo não começou atrás. Com 38 segundos, o Grêmio já marcou o segundo. Leandro tabelou com Viçosa e mandou de bico mesmo para dentro, virando o marcador.

Em destantagem, nada sobrava ao Inter a não ser ir para cima. O jogo, então, ganhou em movimentação com as duas equipes alternando bons momentos no ataque. De tanto insistir, o Colorado chegou ao empate com Leandro Damião. Quando parecia que tudo terminaria igual, Renan voltou a sair mal e Júnior Viçosa, mais uma vez, cabeçou encobrindo o goleiro, dando à vitória por 3 a 2 ao Tricolor.

No finzinho, Escudero ainda foi expulso, mas o Internacional não tinha tempo para mais nada. Resta, agora, correr atrás no Olímpico.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 2 X 3 GRÊMIO

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 8/5/2011 – 16h
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Javel Silveira (RS)

Cartões amarelos: Tinga, Rodrigo, Bolatti, Bolívar, Nei (INT); Fernando, Neuton (GRE)
Cartões vermelhos: Escudero, 44’/2ºT (GRE)

Gols: Andrezinho, 8’/1ºT (1-0); Júnior Viçosa, 38’/1ºT (1-1); Leandro, 1’/2ºT (1-2); Leandro Damião, 36’/2ºT (2-2); Júnior Viçosa, 41’/2ºT (2-3)

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kléber; Bolatti, Tinga, Andrezinho e D’Alessandro (Oscar, 14’/2ºT); Rafael Sóbis (Cavenaghi, 14’/2ºT) e Leandro Damião. Técnico: Falcão

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo (Neuton, 15’/2ºT) e Gilson; Fábio Rochemback, Fernando, Escudero e Douglas (Lúcio, 23’/2ºT); Leandro (Lins, 33’/2ºT) e Júnior Viçosa. Técnico: Renato Gaúcho.

Em jogo sem sal, Grêmio se despede da Libertadores

Derrota fora de casa, contra o Universidad Católica (CHI), completou a péssima noite dos gaúchos na competição

O Grêmio encerrou de forma melancólica a noite trágica dos gaúchos na Copa Santander Libertadores. Se a esperança era um clássico contra o Inter nas quartas de final, o desfecho foi que nem um dos lados do confronto permaneceu na competição. Um passivo time gremista perdeu por 1 a 0, nesta quarta-feira, na partida de volta contra o Universidad Católica (CHI), em Santiago. E como havia perdido também por 2 a 1, em pleno Olímpico, na ida, o Tricolor teve de dar adeus à disputa.

Esfacelado por sete desfalques, o Grêmio pareceu anestesiado. Lento na saída de bola, o time de Renato Gaúcho não conseguiu assustar o Universidad Católica. O mais animado entre os brasileiros foi o próprio treinador, símbolo da agonia à beira do gramado, pedindo mais atitude dos gremistas.

Com a classificação encaminhada por conta da vitória no Olímpico, os chilenos cozinharam o jogo ainda mais. Com um toque de bola refinado, a equipe de Juan Pizzi demonstrou maturidade e equilíbrio para fazer o tempo passar sem correr riscos.

Com um ataque desentrosado (Junior Viçosa e Lins), a “ponta da lança” gremista não conseguiu perfurar a defesa chilena. Com o passar do tempo quem encontrou liberdade para dar trabalho foi o carrasco Pratto, autor dos dois gols no jogo de ida. Foi dele a cabeçada que fez Marcelo Grohe mostrar que é capaz de substituir Victor.

No segundo tempo, com a dose de desespero aumentada, o Grêmio foi mais agressivo. Só que a sorte não estava ao lado do Tricolor. Quando a jogada ofensiva se encaixou, o capitão Valenzuela apareceu para salvar a pele dos chilenos, ao afastar – de cabeça e em cima da linha – um chute de Junior Viçosa com endereço do gol.

Mas nem com as alterações de Renato – tirando o zagueiro Rafael Marques e lançando o garoto Leandro – o Grêmio embalou. O tempo passou rápido para o time brasileiro, que não esboçou reação.

Para encerrar a noite, Mirosevic marcou, de cabeçe, já aos 41 minutos do segundo tempo e fechou a eliminação do Grêmio, que vai ter de buscar o tricampeonato da América em outra ocasião.

U. CATÓLICA (CHI) 1 X 0 GRÊMIO
LOCAL: Estádio San Carlos de Apoquino, em Santiago (CHI)
DATA: 4/5/11
CARTÕES AMARELOS: Eluchans, Costa (UCA); Vilson (GRE)
GOLS:Mirosevic, aos 41’/2ºT (1-0);

U. CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Martínez, Henríquez e Eluchans; Ormeño, Silva, Meneses, Costa (Mirosevic, 8’/2ºT) e Cañete; Lucas Pratto (R. Gutiérrez, 45’/2ºT). TÉCNICO: Juan Pizzi.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes (Vinícius Pacheco, 38/2ºT), Rafael Marques (Leandro, 18’/2ºT), Rodolfo, e Gilson; Vílson, Adilson, Fernando e Douglas; Lins (Escudero, 33’/2ºT) e Junior Viçosa. TÉCNICO: Renato Gaúcho.

Inter vence nos pênaltis, ganha returno e força dois superclássicos

Colorado empata por 1 a 1 com o Grêmio no tempo normal, mas vence nas cobranças, por 4 a 2, e ganha o returno

O Inter teve o poder da multiplicação ao superar o Grêmio nos pênaltis na tarde deste domingo, no Beira-Rio, após empate por 1 a 1 no tempo normal. Foi múltiplo em campo, com um time mais bem distribuído, mais criativo, mais agrupado. Pluralizou seu bom momento e a instabilidade do rival, consequências naturais de um clássico sem igual – não tente convencer um gaúcho do contrário. E, acima de tudo, transformou um Gre-Nal em três. A conquista do título do returno pelos colorados assegurou a realização de dois superclássicos para a definição de quem manda no Rio Grande do Sul.
O gol do Inter foi marcado por Leandro Damião, no primeiro tempo, em lance polêmico. Júnior Viçosa empatou no segundo tempo. Mas o Inter levou a melhor nos pênaltis, por 4 a 2, com gols de D’Alessandro, Damião, Kleber e Rodrigo. O Grêmio fez com Rochemback e Adílson, mas errou com Borges, que chutou por cima, e Fernando, que parou na defesa de Renan.
A partida reuniu pela primeira vez os maiores ídolos da história dos dois clubes, ambos agora treinadores. Paulo Roberto Falcão e Renato Gaúcho travaram um duelo de estratégia. Os dois modificaram a forma habitual de suas equipes jogarem. O comandante colorado levou a melhor. O Inter foi superior em campo. Só perdeu o controle do jogo com a expulsão de Guiñazu na etapa final.
Os Gre-Nais decisivos serão nos dois próximos domingos, primeiro no Beira-Rio, depois no Olímpico. Antes, é preciso pensar na Libertadores. Na quarta-feira, os colorados recebem o Peñarol, e os tricolores visitam o Universidad Católica.
Euforia vermelha se confunde com ira azul: 1 a 0 pro Inter no primeiro tempo
Aos 23 minutos do primeiro tempo, em um Beira-Rio quase tomado de vermelho e azul, enquanto Leandro Damião fazia festa, todos os jogadores do Grêmio tentavam dar um jeito de pegar o árbitro pelas orelhas e arremessá-lo no fosso do estádio. Um segundo antes, o centroavante do Inter havia vencido Rodolfo no corpo, havia visto o defensor se espatifar no gramado, havia recuperado a bola, havia concluído com um toque precioso por cima de Marcelo Grohe. Antes mesmo de a bola cruzar a última linha tricolor e ir beijar a rede, os atletas do time visitante urravam um pedido de falta do camisa 9 rival. Márcio Chagas da Silva nada marcou. A euforia vermelha se confundiu com a ira azul. Era o gol do Inter.
Era um gol que, separada a polêmica do lance, o Inter mereceu. Os colorados foram bastante superiores aos rivais no primeiro tempo. Paulo Roberto Falcão montou sua equipe em um esquema diferente do habitual, com três criadores – Andrezinho pela esquerda, Oscar pela direita e D’Alessandro livre para circular pelo meio. No Grêmio, Renato Gaúcho foi precavido. Criou um 3-6-1, com Vilson na zaga e três volantes acompanhando Douglas no meio.

Leandro Damião comemora gol do Inter contra o Grêmio (Foto: Jefferson Bernardes / VIPCOMM)
Os primeiros instantes foram de supremacia do Inter. Com dez minutos, o time colorado chegou três vezes na frente com relativo perigo. Damião chutou fraco. Rodrigo cobrou falta para fora. Andrezinho cabeceou por cima.
O Grêmio, quando respondeu, o fez bem. Gilson apareceu pela esquerda e mandou uma pancada em diagonal. Renan espalmou.
Mas o lance não abalou o time da casa. O Inter seguiu superior. Criou chances repetidas vezes, embora elas não tenham sido das mais ameaçadoras. Andrezinho infernizou pelo lado esquerdo. A zaga do Grêmio deve ter pensado em levantar uma daquela plaquinhas com o rosto do jogador, um valor de recompensa embaixo e um recado na parte de cima: procurado. Aos 21 minutos, ele chutou por cima. Aos 34, bateu falta, e Grohe pegou. Aos 46, bateu colocado, novamente com perigo. E foi dele o passe para o gol de Damião.
Renato Gaúcho mexeu em sua equipe ainda no primeiro tempo. Tirou Willian Magrão e colocou o atacante Leandro. Assim, transformou o 3-6-1 em 3-5-2. A mudança não teve força para dar controle ao Grêmio, mas ao menos rendeu uma chance. O guri de 17 anos recebeu lançamento de Rodolfo, entrou na área pela direita e quase empatou. O chute foi parar na rede, mas por fora.
Grêmio equilibra jogo e busca o empate
O início do segundo tempo manteve a supremacia vermelha. Renato Gaúcho se viu obrigado a fazer mais uma mudança, já que Gabriel se lesionou. O volante Fernando foi a campo, e Vilson passou para a lateral direita. Enquanto se reorganizava, o Tricolor viu seu rival criar novas chances de gol. Tinga errou conclusão dentro da área. D’Alessandro mandou pancada de fora, e Grohe espalmou.
Aos poucos, o Grêmio conseguiu dominar o calor do Inter na partida. E equilibrou de vez as ações ao ver Guiñazu ser expulso. O argentino deu um de seus tradicionais carrinhos e levou o cartão amarelo. Já tinha um. Foi para a rua.
Falcão teve que reconstruir seu sistema de marcação. Primeiro, entrou Wilson Matias no lugar de Oscar; depois, Juan na vaga de Andrezinho. O Inter se encolheu. Virou a hora de o Grêmio forçar a barra em busca do gol.
Foi fundamental a entrada de Júnior Viçosa. A ousadia de Renato foi determinante. O treinador tirou Vilson e colocou o atacante. Aos 41 minutos, após confusão dentro da área, o atleta saído do banco completou para o gol. Era o empate. Era o renascimento do Grêmio. Era a chance de o Tricolor ser campeão gaúcho já neste domingo.
O jogo explodiu em tensão. Leandro Damião fez fila na zaga gremista e só parou em Marcelo Grohe. Na resposta, Viçosa ficou livre para virar, mas a zaga abafou. Jogaço!
Mas passou o tempo, acabou o jogo. Restavam os pênaltis, o drama em seu nível máximo, a situação mais inadjetivável para um gaúcho – e tente dizer a algum deles que existe algo superior a um Gre-Nal.
INTERNACIONAL 1 X 1 GRÊMIO
Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Guiñazu, Tinga, Andrezinho (Juan) e D’Alessandro; Oscar (Wilson Matias) e Leandro Damião. Marcelo Grohe, Rafael Marques, Vilson (Júnior Viçosa) e Rodolfo; Gabriel (Fernando), Fábio Rochemback, Adílson, Willian Magrão (Leandro), Douglas e Gilson; Borges.
Técnico: Paulo Roberto Falcão Técnico: Renato Gaúcho
Gols: Leandro Damião, aos 24 minutos do primeiro tempo; Júnior Viçosa, aos 41 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gilson, Rafael Marques, Adílson (Grêmio); Guiñzu (Inter). Cartão vermelho: Guiñazu (Inter).
Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Data: 01/05/2011. Árbitro: Márcio Chagas da Silva. Auxiliares: Altermir Hausmann e José Antônio Chaves Franco Filho. Público: 33.634.

Pratto e Borges complicam Grêmio na Libertadores

Chilenos confirmam bom retrospecto fora de casa e vencem por 2 a 1. Grêmio precisa vencer por 2 a 0 no Chile para avançar

Foi um jogo muito mais complicado do que a torcida previa. A Universidad Católica manteve sua escrita de bons jogos longe de casa e, dentro do Estádio Olímpico, surpreendeu o Grêmio com um placar de 2 a 1. Borges foi expulso ainda no primeiro tempo e deixou o Tricolor com um a menos. Lucas Pratto marcou os dois gols dos chilenos, enquanto Douglas descontou para o time gaúcho. O resultado deixa os tricolores com a responsabilidade de vencer por dois gols de diferença ou por um desde que marque três na próxima quarta-feira, em Santiago.

Com os instrumentos musicais e bandeiras de sua torcida liberados pela polícia após polêmica, a noite se iniciava de forma otimista para o Grêmio. Enquanto ainda havia torcedores chegando ao Estádio Olímpico, o Tricolor já tinha quatro escanteios a seu favor. Quase marcou em uma cabeçada de Borges e deu esperanças aos gremistas presentes.

Um dos melhores times a jogar fora de seus domínios na Libertadores, a Universidad Católica não seguiu o exemplo de Oriente Petrolero e León de Huánuco, adversários gremistas na fase de grupos, e jogou. Teve logo no início do jogo uma finalização de Pratto. Mas o que chamou atenção foi a dedicação na marcação, dificultando às ações de ataque gremista. Douglas encontrou espaço e acertou a trave de Garcés, mas os tricolores não conseguiam entrar na área da La Católica. Pratto também assustou de fora da área. Depois das finalizações, o jogo permaneceu morno para os dois lados, e a torcida azul arrefeceu seu ânimo na arquibacanda.

As emoções do primeiro tempo iniciaram a partir dos 25 minutos. Borges, em um dos lances em que foi protagonista, driblou três marcadores e chutou para fora. Três minutos depois, o balde de água fria. Em erro de Gilson no ataque, a Universidad retomou a bola. Cañete recebeu o lançamento, tirou Rafael Marques da jogada e o campo se abriu na sua frente. Ao seu lado, Pratto entrou livre pela esquerda. Neuton, sozinho, nada pode fazer. O centroavante dos chilenos tocou na saída do goleiro Marcelo Grohe e abriu o placar.

Só que se a coisa estava ruim, piorou. Borges deu uma cotovelada em Henríquez e o auxiliar viu. Foi dedurado e expulso por Néstor Pitana. Deixou o Grêmio com uma a menos e sem centroavante. Na pressão gremista até o fim do primeiro tempo, seriam dois levantamentos que cruzaram a área sem um pé de camisa 9 para empurrá-los para dentro do gol.

Após os 20 minutos no vestiário, Lins voltou no ataque junto de Leandro. A tentativa era de dar mais força ao setor ofensivo. E, ao menos em postura, adiantou. Outra vez com dois atacantes, o Grêmio se postou à frente, no campo da Universidad.

De inúmeras tentativas coletivas, nada saiu. Pois em uma jogada individual de Douglas, o empate veio. Sozinho, Douglas saiu da direita e passou por seus adversários em direção ao meio-campo. Da intermediária, armou e bateu forte na bola. O chute zuniu em direção ao ângulo de Garcés, onde entrou aos 14 minutos. Que golaço! Que empate!

A partir daí, o Tricolor se empolgou. Trocou bola no meio-campo e tentava achar alguma outra brecha na defesa da Católica. Leandro tinha muito vontade, corria muito, mas não conseguiu ser decisivo como em outras situações. E para piorar, os chilenos não se retrancaram. Muito pelo contrário: em estocada aos 29 minutos, Lucas Pratto recebeu cruzamento na área e cumprimentou Marcelo Grohe. O desânimo arrebateu o Estádio Olímpico.

Sem organização, o Grêmio pressionou – ou tentou – até o final da partida. Os chilenos saíam nos contra-ataques e mantinham a posse de bola até gastar o tempo necessário para o árbitro apitar o término do jogo. Nos últimos minutos, Marcelo Grohe ainda salvou o Grêmio de um futuro pior.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 2 UNIVERSIDAD CATÓLICA

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Data-Hora: 26/4/2011 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Alejo Castan (ARG)
Renda e público: R$ 766.807,50 / 31.559 pagantes / 35.101 presentes
Cartões amarelos: Martínez, Costa, Silva, Eluchans e Valenzuela (UCA); Willian Magrão e Adilson (GRE)
Cartões vermelhos: Borges 34’/1ºT (GRE)
Gols: Pratto 28’/1ºT (0-1), Douglas 14’/2ºT (1-1) e Pratto 29’/2ºT (1-2)

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Escudero 45’/2ºT); Fábio Rochemback, Willian Magrão (Lins – Intervalo), Adilson e Douglas; Leandro (Carlos Alberto 32’/2ºT) e Borges – Técnico: Renato Gaúcho.

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Henríquez, Martínez e Eluchans; Ormeño, Silva (Felipe Gutiérrez 18’/2ºT), Costa (Sepúlveda 38’/2ºT), Meneses e Cañete (Villanueva 30’/2ºT); Pratto – Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Grêmio vence o Cruzeiro e passa para a final do turno

Em grande jogo, Tricolor fez 3 a 2 no adversário e está na final da Taça Farroupilha

Depois de reclamar e pestanejar sobre o gramado, o Grêmio teve boa atuação e em grande jogo venceu o Cruzeiro no Estádio Passo D’Areia. O resultado de 3 a 2 coloca o Tricolor na final da Taça Farroupilha. Agora, espera o vencedor do jogo entre Inter e Juventude para conhecer o adversário. Se ganhar o jogo final do segundo turno, o clube leva o campeonato gaúcho por antecipação, já que foi o campeão da Taça Piratini. Se Juventude passar, a decisão será no Alfredo Jaconi. Se o Inter se classificar no tempo normal, decisão no Beira-Rio. Pênaltis dá Estádio Olímpico.

O JOGO

Renato Gaúcho surpreendeu e escalou seu time com três volantes. Willian Magrão substituiu o lesionado Gilson, e Lúcio foi deslocado para a lateral esquerda. Mas quem achou que o Grêmio, assim, não atacaria, estava enganado. Logo aos 50 segundos de jogo, Magrão recebeu grande toque de Douglas e soltou a patada. Fábio espalmou para escanteio. Se em tão pouco tempo já havia a primeira finalização do jogo, estava claro que o ritmo da partida seria alto.

O tão falado gramado sintético em nada atrapalhou os jogadores em campo. Um ou outro escorregão, com o de Fábio em lançamento para Borges, mas nenhum problema mais grave quanto a grama. Tanto Grêmio quanto Cruzeiro conseguiam tocar a bola e se armar sem ter o piso molhado como empecilho.

O destaque do time mandante era Jô, leve e rápido atacante que incomodou a zaga gremista. Léo Maringá comandava o meio-campo. O Grêmio, após um momento de domínio inicial, cedeu campo ao Estrelado. Seus três volantes postavam-se muito atrás. Assim, o Cruzeiro levou perigo em jogada aos 15 de Jô, e depois aos 33. Neste último lance, Maringá acionou o atacante. O toque saiu para o lateral Márcio, que cruzou na área. Centroavante que é, Mauro dividiu com Victor. Mas ao socar a bola para longe, o goleiro gremista lesionou o ombro e saiu para a entrada de Marcelo Grohe aos 39. Dúvida para a Libertadores, na terça.

Quando o Grêmio era mais pressionado na partida, teve a felicidade de um lance rapidíssimo. Em uma jogada, em três toques, o gol gremista. Willian Magrão, mais a frente, deu o toque para Borges. Na primeira intervenção do centroavante no jogo, passe para Leandro, dentro da área. O atacante limpou o zagueiro com tranquilidade e fuzilou Fábio. Outro vez o rapaz de 17 anos decidiu para o Tricolor, aos 41 minutos. Antes do intervalo, ainda deu tempo para um petardo de Adilson no travessão.

Só que os 15 minutos de parada parecem ter feito melhor para o Cruzeiro. Em apenas dois minutos, o mandante atacou e descolou uma falta na meia esquerda de ataque. Na cobrança de Márcio, Claudinho sobe mais que a zaga gremista e empata a partida. É como se o segundo tempo iniciasse em igualdade.

Como no primeiro tempo, houve chute de Willian Magrão. Mas dessa vez Fábio não conseguiu espalmar. O gol havia feito o Cruzeiro crescer, mas o Grêmio manteve tranquilo. Em jogada entre Leandro, Gabriel e Willian Magrão pela direita, o volante ajeitou para a perna esquerda e mandou a bomba. O chute saiu fraco, mas desviou na zaga e matou Fábio aos seis minutos.

Em jogo que vale vaga na final, qualquer mudança acende o jogo. E o gol foi assim, colocou emoção no jogo. O Cruzeiro se abriu e procurou o ataque para arrancar um empate. O Grêmio aproveitava os espaços e tentava ampliar. Aos nove minutos, teve pênalti não marcado sobre Borges. Aos 11, tramou jogada pela direita e Douglas cabeceou para defesa de Fábio. Do outro lado, o Cruzeirinho também assustava. Em passe errado de Lúcio, Mauro tabelou com Jô e acertou a trave de Marcelo Grohe.

A emoção continuava. Em lance aos 15 minutos, o Cruzeiro pressionou. Na sequência, Douglas roubou a bola e Leandro perdeu dentro da área. O jogo estava lá e cá! E em mais uma bola levantada na área do Grêmio, o gol de empate cruzeirense. Márcio cruza na área e Léo Maringá completa de cabeça sem chances para Marcelo Grohe. 17 minutos, 2 a 2.

Sem grande atuação de seus atacantes, Renato Gaúcho apostou em Carlos Alberto para mudar a partida. Em seu primeiro lance, falta e xingamentos para o volante Alberto. Na jogada seguinte, carrinho para tentar tirar a bola do goleiro Fábio e drible levado. A vontade do meia arrefeceu o ânimo do Cruzeiro e colocou o Tricolor na frente. Mesmo que não tenha criado grandes jogadas, sua vontade – às vezes em demasia – parece que energizou os colegas.

Em poucos minutos, no entanto, o Cruzeiro desmoronou. Após lance de Lúcio, falta na meia esquerda para o Grêmio. Fábio Rochemback levanta e a bola aérea agora é favorável ao time gremista. Rafael Marques aparece atrás da zaga adversária e, de carrinho, marca o terceiro do Tricolor. Dois minutos depois, Alberto, o único jogador da partida com cartão amarelo, derruba Leandro e é expulso.

Os dois lances deram tranquilidade ao time gremista. Com um a mais e a vantagem no placar, os gremistas trocavam bola e dominavam a partida com certa facilidade. A expulsão de Alberto deu ao Grêmio a chance de administrar a vitória e tirou as forças restantes do Cruzeiro. Mesmo com o sangue novo que o técnico Leocir Dall’Astra colocou, o time mandante foi eliminado da competição outra vez na semifinal.

No final, ainda deu tempo de Carlos Alberto recompor a linha defensiva como lateral esquerdo, já que Lúcio sentia dores na virilha.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 2 X 3 GREMIO

Data/hora: 23/04, às 18h30

Local: Estádio Passo D’Areia, em Porto Alegre

Árbitro: Vinícius da Costa, auxiliado por Júlio Cesar dos Santos e Alexandre Kleiniche.

Gols: Leandro, aos 41 minutos do primeiro tempo, Willian Magrão, aos 6 minutos do segundo tempo e Rafael Marques, aos 29 minutos do segundo tempo(G) e Claudinho, aos 2 minutos do segundo tempo e Léo Maringá aos 17 minutos do segundo tempo(C)

Cartões amarelos: Alberto, Márcio (C)

Cartões vermelhos: Alberto (C)

Cruzeiro: Fábio; Márcio, Claudinho, Sandro e Tinga; Alberto, Almir, Leo Maringá(Juninho Botelho 39′/2ºT) e Diego Torres(Faísca 33′/2ºT); Jô e Mauro(Rafael Cearense 30′/2ºT). Técnico: Leocir Dall’astra.

Grêmio: Victor(Marcelo Grohe 39′/1ºT); Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Lúcio; Fábio Rochemback, Adilson, Willian Magrão e Douglas; Leandro(Lins 38′/2ºT) e Borges(Carlos Alberto 24′/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

Na grama artificial ou no deserto, Renato Gaúcho se diz preparado

Técnico do Grêmio lamenta confirmação de partida no Estádio Passo D’Areia

Após a classificação do Grêmio à semifinal da Taça Farroupilha, o técnico Renato Gaúcho assumiu a linha de frente na briga para não jogar no gramado sintético do Estádio Passo D’Areia. Mas o Cruzeiro-Poa, adversário tricolor, fez questão de confirmar seu mando de campo para a casa do São José-Poa, no piso artificial.

A decisão, embora contrarie a ambição dos gremistas, é irreversível. Os titulares do Grêmio, às18h30m de sábado, terão de disputar na grama artificial uma vaga na decisão do segundo turno do estadual.

Para Renato Gaúcho não há problemas. Embora lamente a definição do local da partida, ele diz que o Grêmio está pronto para jogar, se preciso for, até no deserto.

– Está marcado lá, sem problemas. Meu grupo está preparado para enfrentar qualquer adversário em qualquer lugar. Não houve bom senso, mas vamos jogar lá, sem problema algum. Teremos um treino na sexta-feira. (…) A Federação Gaúcha de Futebol deveria ter informado ao Grêmio antes de combinar com o Cruzeiro e de dizer para a imprensa. Não houve bom senso. O Grêmio tentou de todas as formas jogar em outro lugar. Não era o Grêmio que seria beneficiado. O futebol seria beneficiado. Os jogadores do Cruzeiro também podem se machucar lá. Mas o Grêmio joga em qualquer lugar, se quiserem marcar a final no deserto, a gente vai.

O temor se justifica para o Grêmio. Na próxima terça-feira, devem iniciar para os tricolores as oitavas de final da Taça Libertadores. E, desde a vitória de 3 a 0 sobre o Porto Alegre – dia 20 de março, no Passo D’Areia – dois atletas recuperam-se de problemas físicos, segundo Renato, provocados pela grama artificial:

– Eu tenho dois jogadores – o Viçosa que jogou, o Romário que só treinou – que estão lesionados até hoje depois daquele jogo no gramado sintético. Não sou o dono da verdade. Fiquei triste com a lesão do jogador do Internacional (Sorondo). E foi por causa do gramado. Se acontecer uma lesão com o Grêmio, ou com algum jogador do Cruzeiro? Sou só um funcionário do Grêmio, mas eu joguei futebol, e tenho experiência. O Grêmio vai jogar, sem problema algum, mas o risco é grande.

Ao final da entrevista coletiva, Renato ironizou sobre a possibilidade de perder jogadores por lesão em partida de Libertadores.

– Mesmo que não tenha lesão, o jogador vai ficar com mais dor muscular para o próximo jogo. O Grêmio pode jogar na terça pela Libertadores. Mas, Libertadores parece que não é importante.

Grêmio lapida Borges mais forte com treino de Romário

Centroavante ganhou 5kg de massa muscular, e agora trabalha agilidade

Centroavante matador, Borges tem perdido gols que não costumava perder em seus tempos antigos. Dribla o goleiro, zagueiros, mas na hora de chutar no gol errava o alvo. Pois o mistério começa a tomar forma de solução no Estádio Olímpico com a revelação de que Borges ganhou cinco quilos de massa muscular desde que chegou ao Grêmio. Agora, treina para readquirir a mobilidade perdida com um trabalho realizado por Romário em 2005, no Vasco.

No clube gaúcho desde o início de 2010, o centroavante está mais forte. Com isso, perdeu sua agilidade. Já nesta terça, após diagnóstico conjunto entre o camisa 9 e o técnico Renato Gaúcho, o jogador iniciou treinamentos em separado para readquirir velocidade.

– Desde a minha chegada no Grêmio, ganhei cinco quilos de massa. Você fica mais forte, por isso que estava precisando dessa semana livre, para aproveitar para fazer trabalhos de agilidade. Assim que tivesse a semana, falei com o Renato e ele disse que me liberaria. Para que eu possa me desenvolver mais e ficar mais rápido dentro de campo – explicou Borges.

O comandante tricolor disseca o plano para Borges: se precisar liberá-lo inclusive de treinamentos táticos, vai o fazer.

– A gente tem feito finalizações até tirando o Borges de treinamento, fizemos isso semana passada com Borges e Escudero. Dou bastante conselhos de posicionamento. Conversamos na Bolívia e ele falou sobre o ganho de massa, e nós vimos que ele precisava de agilidade e mobilidade. Pedi para ele, e ele concordou, para fazer um treino específico para ele de piques curtos e de agilidade. Esse mesmo trabalho demos ao Romário e ele foi artilheiro do Brasileiro. Jogar ele sabe, e esperamos que ele volte a jogar tudo o que sabe – disse Renato.

Em 2005, comandado por Renato no Vasco da Gama, Romário acabou o Campeonato Brasileiro com 22 gols feitos. Foi o goleador isolado do Brasileirão, com 39 anos.´

Renato espera repetir o mesmo sucesso do trabalho do Baixinho. Nas últimas partidas, o centroavante gremista vem perdendo gols em sequência. Mas Borges nega que o rendimento tenha relação com o ganho de força física.

– Perder gol é natural, não podemos esquecer que não faço uma péssima temporada. Não comece a temporada com todos, alguns jogadores foram poupados de vários jogos. Temos dificuldade de repetir equipe. Em um contexto geral, a equipe não rende o que pode. Eu dependo de oportunidades, de toda a criação da equipe. Mudar o companheiro também atrapalha, são dois jogos, e a partir dessa semana as coisas vão voltar ao normal. Ninguém desaprende – defendeu-se Borges.

Com atenção já dada a Romário, Borges continua os treinamentos específicos durante a semana. Resta saber se o 9 gremista vai desandar a fazer gols no Gauchão e Libertadores.

Douglas e Carlos Alberto treinam e devem enfrentar o Ypiranga

Às 16h de domingo, o Grêmio decide vaga na semifinal da Taça Farroupilha

Renato Gaúcho ganha duas opções para o meio-campo do Grêmio, que às 16h de domingo enfrenta o Ypiranga em Erechim, pelas quartas de final da Taça Farroupilha – o segundo turno do Campeonato Gaúcho. Na tarde desta sexta-feira, no campo suplementar do Estádio Olímpico, Douglas e Carlos Alberto participaram da atividade com bola.

Ambos desfalcaram o Grêmio na derrota de 3 a 0 para o Oriente Petrolero, na noite de quinta-feira, em Santa Cruz de la Sierra. Douglas, gripado, foi preservado para se recuperar, enquanto Carlos Alberto permaneceu em Porto Alegre aprimorando a forma física após uma semana resolvendo problemas particulares no Rio de Janeiro.

Além de Douglas e Carlos Alberto, outras duas boas alternativas para Renato são o meia-atacante Leandro e o volante Willian Magrão, que não foram inscritos na fase classificatória da Taça Libertadores, por isso não atuaram na Bolívia.

O lateral-esquerdo Gilson, com dores musculares, treinou em separado. Ele concorre com Bruno Collaço pela titularidade em Erechim. Na Bolívia, Collaço deixou o jogo com uma torção no tornozelo direito mas, segundo a assessoria de imprensa do clube, não houve lesão.

Titulares ou jogadores que atuaram por mais de 45 minutos em Santa Cruz de la Sierra fizeram um trabalho de recuperação física. Os demais atletas dividiram-se em disputas de três equipes, em campo reduzido.

Grêmio perde na Bolívia e passa às oitavas no segundo lugar do Grupo 2

Em Santa Cruz de la Sierra, Tricolor leva 3 a 0 do então lanterna da chave


Mesmo contra o lanterna do Grupo 2, que preservou titulares importantes priorizando o Campeonato Boliviano, o Grêmio foi derrotado pelo Oriente Petrolero por 3 a 0, em partida que se encerrou no início da madrugada desta sexta-feira, no Estádio Ramon Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra. Com o resultado, o Tricolor gaúcho confirma a classificação às oitavas de final da Taça Libertadores na segunda colocação da chave, com 10 pontos (o Junior Barranquilla ficou em primeiro, com 13), e agora espera o final da fase classificatória para conhecer seu adversário. Todos os gols foram marcados no segundo tempo, por Fernández, Saucedo e Arce, ex-Corinthians.

Gabriel na articulação
Renato Gaúcho surpreendeu ao escalar o Grêmio. Em vez do meia Vinicius Pacheco em lugar do gripado Douglas, que sequer viajou à Bolívia, o lateral-direito Gabriel foi escolhido para centralizar a articulação tricolor no 4-4-2 com meio-campo em losango. Mário Fernandes entrou na lateral.

De início o Grêmio mostrou-se melhor que o Oriente Petrolero. Gabriel, tecnicamente qualificado, organizou bons ataques com movimentação e assistências. O melhor lance do momento de protagonismo tricolor saiu em cobrança de falta por Fábio Rochemback, espalmada pelo goleiro Etulaín.

Mas o piso duro e o gramado ralo dificultaram as trocas de passes do Grêmio. Aos poucos o lanterna Oriente inverteu a ordem da partida, e assumiu o controle. Com maior agressividade ofensiva.

O goleiro Victor foi requisitado em pelo menos três difíceis intervenções, nos chutes do ex-corintiano Arce, de Hoyos e de Saucedo. Para piorar, o Grêmio perdeu Bruno Collaço, lesionado. O volante Fernando entrou no meio-campo, passando Lúcio à lateral esquerda.

Violência mal-sucedida

Durante o primeiro tempo, torcedores de uma barra-brava (torcida organizada) local tentaram invadir a área ocupada pelo menor número de gremistas – egressos de Porto Alegre.

Um grupo de aproximadamente 30 tricolores chegou atrasado, e não conseguiu acessar a área onde confraternizavam mais de 500 brasileiros – em sua maioria universitários que moram em Santa Cruz de la Sierra, muitos deles torcedores de outras equipes.

Com fogos de artifício arremessados contra os gremistas, os torcedores do Oriente foram contidos apenas pela ação da polícia, que no intervalo retirou sob escolta o grupo isolado do local, e o levou até a área onde estavam os demais brasileiros, em segurança.

Supremacia premiada

No início do segundo tempo, o Oriente Petrolero apostou nas jogadas sobre o lado esquerdo tricolor, modificado em função da lesão de Collaço. E logo aos cinco minutos, teve êxito. Arce recebeu de Saucedo, foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Fernández, que acertou o ângulo: 1 a 0.

Sem titubear, Renato Gaúcho recorreu ao banco de reservas. Entraram o meia Vinicius Pacheco e o atacante Diego Clementino, para as saídas de Adilson e Mário Fernandes. Gabriel passou à lateral direita, e se configurou um 4-4-2 em duas linhas.

A tentativa de reação apareceu apenas aos 24, quando Borges recebeu cruzamento livre na área, passou pelo goleiro, e perdeu o ângulo de conclusão e chutou no poste direito. Um minuto depois, Gabriel invadiu a área e cruzou forte demais.

Melhor em campo, entretanto, o Oriente Petrolero tratou de assegurar a vitória. Em uma aula de contra-ataque, afastando escanteio cobrado pelo Grêmio, Saucedo recebeu livre e encobriu Victor, aos 29. Cinco minutos depois, Arce disparou uma bomba, e novamente marcou: 3 a 0, placar final.

Olé e vermelho
Animados, os torcedores do Oriente Petrolero passaram a entoar ‘olé’ em cada troca de passes ou drible. Sem conseguir contra-atacar, o Grêmio ainda perdeu um jogador. Aos 40 o zagueiro Rodolfo cometeu falta forte, interrompendo as provocações da torcida, mas foi expulso de forma direta pelo árbitro.

Próximo jogo
Encerrada a fase de grupos da Taça Libertadores, o Grêmio volta-se agora ao Campeonato Gaúcho. Às 16h de domingo, no Estádio Colosso da Lagoa – em Erechim – a equipe tricolor disputa com o Ypiranga uma vaga na semifinal da Taça Farroupilha, o segundo turno do estadual.

ORIENTE PETROLERO 3 X 0 GRÊMIO
Etulaín; Miguel Hoyos, Caamaño, Schiapparelli e Luis Gutiérrez; Fernando Saucedo, Diego Terrazas, Aguirre e Wálter Veizaga (Penã); Nicolás Fernández (Campos) e Juan Carlos Arce (Meleán). Victor; Mário Fernandes (Vinicius Pacheco), Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço (Fernando); Fábio Rochemback, Adilson (Diego Clementino), Lúcio e Gabriel; Borges e Escudero.
Técnico: Ariel Cuffaro. Técnico: Renato Gaúcho.
Data: 14 de abril de 2011. Local: Estádio Ramon Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia). Árbitro: Omar Ponce, auxiliado por Juan Cedeño e Christian Lescano (trio equatoriano).
Gols: Fernández (Oriente Petrolero), aos 5m; Saucedo (Oriente Petrolero), aos 30m; e Arce (Oriente Petrolero), aos 34m, todos no segundo tempo.
Cartão amarelo: Fábio Rochemback (Grêmio). Cartão vermelho: Rodolfo (Grêmio).

Rodolfo conversa com médico, mas participa de rachão na Bolívia

Zagueiro do Grêmio sente dores musculares e ainda é dúvida para quinta


O treino de reconhecimento do gramado do Estádio Ramon Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra, começou com um motivo de preocupação para os gremistas, na tarde desta quarta-feira. O zagueiro Rodolfo deixou o campo boliviano logo no início dos exercícios de aquecimento, mancando.

Discretamente, o auxiliar Alexandre Mendes chamou o médico Felipe do Canto. Ambos conversaram com Rodolfo, que reclamou das dores na panturrilha direita que já haviam o impedido de treinar na terça-feira, ainda em Porto Alegre.

Depois da breve assembleia, entretanto, Rodolfo retornou à atividade normal. Participou do restante do treino físico, e disputou normalmente o rachão.

Provavelmente o zagueiro vai defender o Grêmio na partida das 22h45m (horário de Brasília) de quinta, contra o Oriente Petrolero – pela rodada final do Grupo 2 da Taça Libertadores. Como apenas 18 jogadores viajaram à Bolívia, se Rodolfo for vetado o Grêmio terá em súmula um jogador a menos no banco de reservas.

Renato Gaúcho faz mistério. Sem Douglas, gripado, Vinicius Pacheco é o substituto natural, mas o treinador do Grêmio não deu pistas do time titular. O Grêmio deve ter Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio e Vinicius Pacheco; Escudero e Borges.

Renato Gaúcho confirma desfalques de Douglas e Gilson na Bolívia

Meia e lateral-esquerdo ficam em Porto Alegre recuperando-se de problemas


Gripado, o meia Douglas está fora da rodada de encerramento do Grupo 2 da Taça Libertadores. Às 22h45m (horário de Brasília) de quinta-feira o Grêmio enfrenta o Oriente Petrolero, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.

Com 10 pontos, o Grêmio garantiu classificação antecipada às oitavas de final da competição, e está na segunda colocação.

Para chegar ao primeiro lugar precisa vencer os bolivianos e torcer para que o líder Junior Barranquilla, com 12, no máximo empate com o León de Huánuco na Colômbia.

Ao final do treino desta terça-feira o técnico Renato Gaúcho confirmou que Douglas desfalcará o Grêmio, em função da gripe que o impediu de trabalhar normalmente durante a semana.

– O Douglas vai ficar, ele está muito resfriado, está com febre, precisa de repouso por 48 horas, foi isso que o especialista e o departamento médico passaram. Ele vai ficar para estar melhor na volta.

Mas o treinador evitou projetar o substituto. Segundo Renato, a definição da equipe acontecerá na tarde de quarta-feira, já na Bolívia:

– Aí é outro departamento, outra história. Vamos aguardar essas 48 horas, a partir de amanhã lá vamos definir a equipe. Tem alguns jogadores com dores musculares, vamos conversar com o médico.

Outro desfalque confirmado é o lateral-esquerdo Gilson, que sofreu uma pancada no empate em 1 a 1 com o Santa Cruz, domingo, pelo Campeonato Gaúcho.

– O Gilson também não está viajando, ele sofreu uma pancada em Santa Cruz e ainda está bastante inchado. Ele não está conseguindo nem caminhar direito.

Carlos Alberto é outro que não viaja para a Bolívia.

– Não, o Carlos Alberto está fora da viagem, ele foi para o Rio de Janeiro e não está bem na parte física ainda. No momento que você coloca um jogador que não está 100% ele pode estourar com uma lesão muscular. Ele vai ficar aqui se preparando.

Carlos Alberto se irrita com ‘mentiras’ e promete empenho de corpo e alma

Jogador critica comportamento de jornalistas e pede respeito a ele e à família


Durante uma semana Carlos Alberto ausentou-se dos treinos do Grêmio, liberado pela comissão técnica e pela diretoria do clube para resolver problemas particulares no Rio de Janeiro.

Segundo o técnico Renato Gaúcho, estes empecilhos estavam prejudicando a concentração do meia em Porto Alegre.

O próprio jogador confirmou que se mostrava ansioso em campo – cometendo faltas, errando lances ou discutindo com árbitro e adversários – devido ao problema, não citado para preservar sua privacidade. Agora, Carlos Alberto promete se dedicar ao Grêmio não apenas de corpo, mas também de alma.

– Eu estava bem nervoso e ansioso por causa desses problemas, e isso estava indo para o campo, com mais vontade ainda de ganhar. Antes eu estava aqui só de corpo, agora estou de corpo e alma. Meu espírito estava enfraquecido, agora tudo isso está bem. Logo que resolvi essas coisas, dei sequência ao meu trabalho lá. Cheguei bem aqui hoje, estou preparado para ajudar o Grêmio – afirmou, para completar:

– Explicação eu não tenho que dar, nenhuma. Já fui bem claro na nota, o Renato e os dirigentes também, já fui bem claro sobre isso. Aqui no Grêmio só tenho a agradecer ao Renato, que me deixou bem tranquilo para resolver os problemas, depois o Vicente e o presidente, sem contar os jogadores, que estavam todos ao meu lado – disse, referindo-se à nota oficial que divulgou reiterando que se afastava para resolver problemas particulares.

Todo mundo que falou besteira
de mim vai ter que provar, e
alguns na Justiça. Quem falou
que eu vim aqui e briguei com algum companheiro no
vestiário está mentindo”
Carlos Alberto

Mas o meia exasperou-se com notícias veiculadas durante seu período de ausência. Em vez de problemas particulares, cogitou-se que ele teria sido liberado devido a uma briga no vestiário do clube. Carlos Alberto afirmou que as notícias são “mentiras cabeludas” e também prometeu cobrar na Justiça a comprovação por parte dos jornalistas responsáveis.

– Todo mundo que falou besteira de mim vai ter que provar, e alguns na Justiça. Quem falou que eu vim aqui e briguei com algum companheiro no vestiário está mentindo. Eu estava no exame antidoping, nem poderia ter voltado ao vestiário. É uma mentira cabeluda. Essas pessoas serão chamadas a provar isso ao juiz. Tudo o que acontece eu fico sabendo, tenho uma equipe que trabalha para mim. Essas pessoas precisam saber que eu também sou um ser humano. Mas até agradeço por terem falado isso de mim, porque isso me deu ainda mais motivação – disse.

Carlos Alberto pediu respeito ao “ser humano” e à família dele:

– Por trás do Carlos Alberto jogador tem o Carlos Alberto que tem família, que tem um filho que precisa ser criado com o melhor caráter. Todos têm problemas. Um dia vou contar minha história de vida, e quem fez chacota comigo vai se arrepender. Eu não desejo nada de mal para essas pessoas, que Deus tenha misericórdia delas, porque não se pode brincar com essas coisas.

Após mais de vinte minutos de forte crítica ao trabalho dos jornalistas responsáveis pelas matérias sobre motivos alheios aos problemas particulares para sua liberação, Carlos Alberto discutiu com um em especial. O bate-boca durou alguns segundos, apenas, e teve o fim abreviado pela retirada do jogador, que deixou a sala de conferências do Estádio Olímpico enquanto o repórter encaminhava nova pergunta.

Grêmio derruba invencibilidade do líder e garante vaga nas oitavas

No Olímpico, Lúcio e Borges marcam no 2 a 0 sobre o Junior Barranquilla


Até esta noite de quinta-feira apenas um entre os 32 integrantes da fase de grupos da Taça Libertadores ostentava uma campanha irrepreensível. Era o Junior Barranquilla, soberano nas quatro primeiras rodadas, com o aproveitamento de 100% construído sempre com vitórias pelo placar de 2 a 1. Graças ao Grêmio, entretanto, os colombianos não podem mais se orgulhar da invencibilidade irretocável. No Estádio Olímpico, pela quinta rodada do Grupo 2, o Grêmio venceu por 2 a 0 o Junior Barranquilla, que segue líder da chave com 12 pontos. Mas o Tricolor, agora com 10 pontos, assegura a classificação antecipada às oitavas de final. León de Huánuco e Oriente Petrolero estão eliminados. Lúcio e Borges fizeram os gols.

Paciência
Para bloquear o Grêmio, o Junior Barranquilla posicionou-se no 4-1-4-1, com duas linhas de quatro jogadores e um volante entre elas. Pela esquerda, o camisa 10 Giovanni Hernández era o responsável pela organização dos contra-ataques, aproximando-se do centroavante Carlos Bacca.

Frente ao duplo paredão, formado por jogadores com predileção pelo contato físico – como Juan Valencia e Barahona – o Grêmio precisou de paciência para trocar passes e encontrar espaços. Douglas, interessado e participativo, concentrou a articulação tricolor com muita movimentação.

Mas uma epidemia de passes errados tirou a velocidade do ímpeto gremista. Bacca, artilheiro colombiano, quase marcou – passou por Rafael Marques e Victor, mas foi parado por Rodolfo. Mas a equiparação das forças não apressou nem impacientou os tricolores.

Aos 33, a insistência deu bons frutos. Borges saiu da área, recebeu pela direita, e cruzou. A bola desviou no caminho, encontrando Lúcio completamente livre pela esquerda. E o meia bateu de primeira, por baixo do goleiro Viera: 1 a 0.

Antes do intervalo Bacca ainda teve outra chance semelhante àquela impedida por Rodolfo. Novamente o centroavante colombiano driblou Victor, mas desta vez foi Bruno Collaço quem atirou-se para salvar.

Classificação
No segundo tempo o Junior Barranquilla apresentou pequenas mudanças táticas. O primeiro volante passou a ser Amaya, que substituiu ainda na etapa inicial o lesionado Macías. E Giovanni Hernández adiantou-se, ganhando maior liberdade para se movimentar de lado a outro, cada vez mais próximo de Bacca.

Com a vitória parcial, o Grêmio não acelerou seus movimentos. Valorizou a posse de bola. Paciente, mais uma vez, trocou passes tentando desorganizar o sistema defensivo colombiano. Sempre sob a regência de Douglas.

O ‘Maestro’ teve participação fundamental no segundo gol tricolor. Cobrou escanteio do lado direito, aos 15, e Borges com um leve toque na bola saiu para comemorar. Logo depois, o centroavante tricolor foi derrubado por Romero em contra-ataque rápido, e o lateral do Junior recebeu cartão vermelho.

Mais tranquilo, com a classificação praticamente assegurada, Renato Gaúcho recorreu ao banco de reservas. Fábio Rochemback, desgastado, deu lugar a Vinicius Pacheco. E Escudero deu lugar a Diego Clementino.

Porém, mesmo com um a menos, o Junior não se acovardou. Victor, goleiro de Seleção Brasileira, brilhou em defesas de chutes desferidos por Barahona e Giovanni Hernández – em belíssima conclusão de bicicleta – garantindo o 2 a 0. Até o árbitro Héctor Baldassi cumprimentou o camisa 1. Nas arquibancadas, só festa.

Próximos jogos
Na quinta-feira, dia 14 de abril, o Grêmio visita o Oriente Petrolero na Bolívia, fechando a fase de grupos da Libertadores. Antes, pelo Campeonato Gaúcho, os tricolores jogam fora de casa contra o Santa Cruz, às 16h de domingo, na última rodada da Taça Farroupilha.

GRÊMIO 2 X 0 JUNIOR BARRANQUILLA
Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Fábio Rochemback (Vinicius Pacheco), Adilson, Lúcio (Fernando) e Douglas; Escudero (Diego Clementino) e Borges. Viera; Romero, Macías (Amaya), De Almeida e Fawcett; Otálvaro, Garcia, Juan Valencia, Barahona e Giovanni Hernández (Victor Cortés); Carlos Bacca (Caneda).
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Héctor Quintabani.
Data: 07 de abril de 2011. Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Árbitro: Héctor Baldassi, auxiliado por Ricardo Casas e Diego Bonfa (trio argentino).
Gols: Lúcio (Grêmio), aos 33m do primeiro tempo. Borges (Grêmio), aos 15m do segundo tempo.
Cartões amarelos: Fábio Rochemback, Borges, Adilson e Rodolfo (Grêmio); Otálvaro, Romero, Macías e Barahonda (Junior Barranquilla). Cartão vermelho: Romero (Junior Barranquilla).
Público: 31.836 torcedores. Renda: R$ 705.906,50.

Carlos Alberto publica em blog esclarecimento sobre ausência

Jogador do Grêmio foi liberado dos treinos por uma semana, alegando problemas particulares


Na tarde desta quarta-feira o meia Carlos Alberto publicou em seu blog uma nota de esclarecimento sobre a liberação de uma semana concedida pela diretoria do Grêmio. Após a vitória de domingo sobre o Veranópolis por 2 a 1, o jogador recebeu autorização para resolver problemas particulares no Rio de Janeiro, com retorno previsto a Porto Alegre na próxima segunda-feira.

Carlos Alberto descartou no texto que esteja saindo do clube, e afastou qualquer especulação sobre sua ausência que não se refira ao problema particular, não revelado.

– Estou com alguns problemas familiares que preciso resolver de qualquer maneira e, para isso, precisava vir ao Rio de Janeiro. Não cabe aqui revelar que problemas são esses, porque são questões particulares. Passei essa necessidade aos dirigentes e à comissão técnica. Eles entenderam, me liberaram até domingo e segunda-feira treinarei normalmente. Preciso resolver essas situações, até para que elas não acabem atrapalhando meu trabalho no Grêmio – escreveu, para completar:

– Sei que nesse momento vão surgir muitas especulações de que estou negociando minha saída ou que há algum outro tipo de problema com um companheiro, mas não há absolutamente nada em relação a isso. Fiz questão de me manifestar nesse momento para deixar claro que estou ausente porque preciso desse tempo para estar 100% focado no Grêmio.

‘Guerreiro Imortal’, André Lima faz treino físico e anima a torcida

Centroavante do Grêmio correu no Estádio Olímpico, sob gritos de incentivo


Desde o dia 09 de março o Grêmio não conta com o centroavante André Lima. Durante a decisão da Taça Piratini – o primeiro turno do Campeonato Gaúcho – contra o Caxias, no Estádio Olímpico, o jogador lesionou o joelho direito.

O Grêmio conquistou o troféu, nos pênaltis, mas três dias depois o camisa 99 – apelidado de ‘Guerreiro Imortal – passou por uma cirurgia no joelho direito, com previsão de 40 a 60 dias para a recuperação.

Na tarde desta terça-feira, André Lima subiu ao campo principal do Estádio Olímpico, realizando exercícios físicos leves – uma corrida e atividades de fisioterapia para encaminhar o retorno aos trabalhos normais. E recebeu o carinho dos tricolores que assistiam ao rachão dos profissionais.

– Vamos lá, Guerreiro! – gritou um torcedor, estimulando muitas outras manifestações de apoio ao centroavante. Na passagem em frente às sociais, ele acenou em sorriu em retribuição.

Renato Gaúcho não pretende poupar titulares no estadual

Técnico só deixará de fora atletas sob risco de lesão devido a problemas físicos


Não haverá preservação de titulares do Grêmio em partidas do Campeonato Gaúcho, mesmo que a Taça Libertadores seja a prioridade. O técnico Renato Gaúcho deixará de fora apenas jogadores com problemas físicos ou sob risco de lesão iminente, conforme os exames de desgaste realizados pela preparação física.

No próximo domingo, portanto, o Grêmio terá a força máxima possível na partida contra o Veranópolis, às 16h, no Estádio Olímpico. Não entrarão em campo os jogadores em recuperação, como o volante Adilson, e os atacantes Júnior Viçosa e Escudero.

– O Carlos Alberto apesar de não ter treinado está relacionado. O Escudero e o Adilson não, eles estão fora porque o teste precisa ser em um jogo-treino. Eles ainda serão preservados. (…) O Rodolfo está concentrado e vai jogar. Esse negócio de poupar acabou. Só estou preservando o jogador que tem algum problema, para evitar de estourar o jogador e perdê-lo mais na frente – explicou.

A filosofia se mantém mesmo que na próxima quinta-feira o Grêmio receba o Junior Barranquilla, líder do Grupo 2 da Libertadores, às 19h15m:

– Minha cabeça é montar o time que enfrenta o Veranópolis. A partir de segunda-feira eu penso no jogo da Libertadores. Vou montar o time que eu achar melhor para enfrentar o Veranópolis, independentemente de quem está inscrito na Libertadores.

Mas o treinador evita antecipar à imprensa a escalação do Grêmio que receberá o Veranópolis neste final de semana. O time será divulgado apenas faltando 45 minutos para o início do confronto pelo estadual.

– Tenho até domingo para pensar, o importante é que eu tenho boas opções para cada posição. O problema é quando você não tem as opções – concluiu.

De vida nova, Leandro ambiciona fazer história com títulos no Grêmio

Meia-atacante de 17 anos não pensa em deixar o clube gaúcho tão cedo

comum assistir a jogadores jovens forçando a saída de clubes brasileiros rumo à Europa. Assim que o sucesso se anuncia, os garotos já se imaginam com as camisas de Milan, Barcelona, Inter de Milão ou Real Madrid. Mas Leandro, 17 anos, pensa diferente.

Após cinco jogos no grupo profissional do Grêmio – apenas um como titular – marcou quatro gols e deu uma assistência. De contrato recém renovado, com multa rescisória estipulada em quase 30 milhões de euros para clubes do exterior, ele pensa em permanecer mais tempo no Estádio Olímpico.

Quer fazer história, e conquistar títulos:

– É uma vida nova para mim, está mudando muita coisa, graças a Deus está dando tudo muito certo. Eu não penso ainda em sair do Grêmio ou em jogar fora. Eu penso em fazer história aqui no Grêmio, conquistar títulos – afirmou.

Na noite de quarta-feira, apesar da derrota por 3 a 2 para o Juventude, Leandro se destacou. Marcou um belo gol e foi o melhor em campo em sua primeira partida como titular do ataque tricolor. Ele celebra, após o desempenho elogiado, o apoio oferecido pelo técnico Renato Gaúcho:

– Foi uma partida importante, entrar como titular em um clube com a grandeza do Grêmio, e poder corresponder ao que o professor pediu. O Renato tem uma confiança em mim, então eu tenho que continuar trabalhando sempre mais, para poder ajudar a equipe do Grêmio. (…) O Renato conversa comigo bastante, procura passar bastante confiança. Mas eu ainda tenho o que mostrar, sou jovem, estou começando, tenho muita coisa a aprender.

Recebendo atenção especial da preparação física tricolor, o garoto trabalha para ser inscrito na segunda fase da Libertadores, caso o Grêmio se classifique no Grupo 2 da competição.

– Vou lutar para estar na lista se o Renato me der oportunidade – concluiu.

Mesmo com um a menos, Juventude vira e supera o Grêmio na serra

Tricolor vencia por 2 a 1, mas permite a virada aos anfitriões por 3 a 2

Com um gol contra de rara plasticidade, no fim da partida, o Juventude venceu o Grêmio, que desperdiçou a vitória iminente no clássico disputado nesta noite de quarta-feira. Após liderar o placar por duas vezes, os tricolores permitiram aos donos da casa virar para 3 a 2, no Estádio Alfredo Jaconi, em jogo recuperado da primeira rodada da Taça Farroupilha – o segundo turno do Campeonato Gaúcho.

Borges e Leandro marcaram os gols do Grêmio. Júlio Madureira, Gilson – contra – e Ramiro viraram para o Juventude em Caxias do Sul.

Com a derrota, o Grêmio continua com 9 pontos no Grupo 2, enquanto o Juventude sobe para 8. Na classificação geral, os gremistas têm 26, e seguem com a melhor campanha do estadual.

Com ajuda das traves

Mal começara a partida e o Juventude quase abriu o placar. Aos onze segundos Cristiano roubou a bola na saída gremista e bateu de fora da área, acertando a trave direita. Ele mesmo, aos 20 minutos, novamente foi impedido de marcar pela trave – desta vez a esquerda.

Sem ter participação na má sorte do meia alviverde, o Grêmio arrefeceu o ímpeto dos anfitriões com boas variações de jogadas. Ou pela direita, com Gabriel e Leandro, ou pela esquerda, com Gilson e Lúcio. Douglas organizou as transições e caprichou nos cruzamentos para a área em bolas paradas.

Mas foi Lúcio quem melhor se saiu no quesito assistência. Aos 32, ele chegou à linha de fundo e lançou uma bola de trajetória curta, na pequena área. Ali, o centroavante Borges marcou de cabeça seu quinto gol no Gauchão 2011, e sétimo na temporada: 1 a 0.

Com a temperatura amena do outono na serra gaúcha, os jogadores sentiram-se à vontade para se movimentar com maior intensidade. E esta correria provocou um número mais alto de faltas – foram 26 no primeiro tempo. Em uma delas, Fernando lesionou Gustavo, que precisou ser substituído por Jardel.

Leandro, sucesso absoluto

No segundo tempo, o Juventude foi ‘mais lento’, porém mais preciso, que no primeiro tempo. Com um minuto e quarenta segundos Zulu acertou a trave esquerda, em conclusão de cabeça, mas Júlio Madureira apanhou o rebote, batendo de esquerda, para empatar: 1 a 1. Foi o décimo gol do atacante alviverde no Gauchão, assumindo a vice-artilharia.

Oito minutos depois, entretanto, entrou em ação um garoto de apenas 17 anos. Leandro, após quatro participações como reserva, pela primeira vez iniciou uma partida pelo Grêmio. Na área do Juventude, com extrema categoria, amansou uma bola brava, egressa de chutão do campo defensivo, deixou-a no chão, driblou o goleiro e marcou um golaço.

Leandro já soma quatro gols e uma assistência nas cinco partidas disputadas – reitera-se, apenas uma como titular. Na comemoração, o camisa 21 foi abraçar o técnico Renato Gaúcho, responsável pela sua convocação das categorias de base ao grupo profissional.

Fogo amigo, e virada

Logo após, o zagueiro Rafael Pereira foi expulso. Mesmo com a valentia dos alviverdes, que lutaram pelo empate com um jogador a menos, o Grêmio parecia que asseguraria a vitória.

Mas, aos 33, um lance quase indescritível aconteceu. O lateral-esquerdo Alex Teles recebeu de Cristiano, levou a bola à linha de fundo, e cruzou bem. Atabalhoado, o também lateral Gilson antecipou-se ao atacante do Juventude, e fulminou Victor. De cabeça, disparou um golaço no ângulo.

Dez minutos depois chegou a virada. Ramiro, de fora da área, também venceu o goleiro da Seleção Brasileira. Festa da torcida papada no Alfredo Jaconi. Juventude 3 a 2 Grêmio, com um jogador a menos, e de virada.

Próximos jogos

Às 16h de domingo, no Estádio Olímpico, o Grêmio recebe o Veranópolis, pela 6ª rodada da Taça Farroupilha. No mesmo dia, às 18h30m, o Juventude recebe o Porto Alegre.

JUVENTUDE 3 X 2 GRÊMIO
Jonatas; Celsinho (Bressan), Rafael Pereira, Fred e Alex Teles; Umberto, Gustavo (Jardel), Jander (Ramiro) e Cristiano; Júlio Madureira e Zulu. Victor; Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Vinicius Pacheco); Fernando, Willian Magrão (Mateus Magro), Lúcio (Bruno Collaço) e Douglas; Leandro e Borges.
Técnico: Picoli. Técnico: Renato Gaúcho.
Data: 30 de março de 2011. Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. Árbitro: Jean Pierre Gonçalves de Lima, auxiliado por Marcelo Barison e José Inácio de Souza.
Gols: Borges (Grêmio), aos 32m do primeiro tempo. Júlio Madureira (Juventude), a 1m; Leandro (Grêmio), aos 9m; Gilson (contra, para o Juventude), aos 33m; Ramiro (Juventude), aos 43m, no segundo tempo.
Cartões amarelos: Fred, Cristiano, Rafael Pereira, Bressan (Juventude); Douglas, Willian Magrão, Fernando, Lúcio (Grêmio). Cartão vermelho: Rafael Pereira (Juventude).

Outono gaúcho faz Carlos Alberto usar touca, e Renato pedir agasalho

Temperatura amena, com céu encoberto e vento frio acompanharam os gremistas

Nesta segunda-feira o outono gaúcho reafirmou-se em Porto Alegre, após dois dias de chuva e queda nas temperaturas. Mais uma vez a capital do Rio Grande do Sul teve garoa fina, vento constante e céu encoberto por cinzentas nuvens.

Todo este contexto climático provocou uma sensação térmica inferior aos 21ºC registrados durante a tarde. No gramado suplementar do Estádio Olímpico, por exemplo, o frio foi maior do que indicavam os termômetros.

Carlos Alberto voltou aos treinos, após uma semana fora, devido a uma lesão muscular, cobrindo as tranças azuis com uma touca. Foi o único a recorrer a este acessório, mas não o único a sentir frio. Renato Gaúcho ingressou no campo de mangas curtas, mas após alguns minutos, pediu ajuda a um funcionário.

– Traz um agasalho destes para mim, por favor. Está frio – disse o treinador, apontando para os abrigos vestidos pelo auxiliar Alexandre Mendes e por boa parte dos jogadores.


Estilo ofensivo de Renato Gaúcho agrada ao meia Douglas no Grêmio

Camisa 10 prefere atuar com mais opções no ataque para armar as jogadas


Douglas é o articulador central do 4-4-2 com meio-campo em losango do Grêmio. Do seu pé esquerdo partem as jogadas de ataque de uma equipe naturalmente ofensiva, de acordo com as predileções do técnico Renato Gaúcho.

Apesar da venda de Jonas para o Valencia, e da lesão de André Lima, o treinador ainda conta com alternativas para formar a dupla de frente.

Borges, Júnior Viçosa, Escudero, Leandro, Diego Clementino, Carlos Alberto e Vinicius Pacheco são os principais concorrentes.

Para Douglas, a fartura de opções e a filosofia de Renato são boas para seu estilo de jogo.

– Não tinha trabalhado ainda com um treinador tão ofensivo quanto o Renato. Mas ele também sabe que em algumas horas não poderá ser tão ofensivo assim. Quando puder jogar, não tenha dúvida que eu prefiro dessa forma – afirmou.

Sobre Escudero, argentino que tem recebido as mais recentes oportunidades, Douglas acredita que a fórmula é boa. Se não der certo, tenta-se outra alternativa.

– O Escudero tem uma movimentação boa, ele sabe jogar lá na frente, são características diferentes do Borges e do André Lima. Não tem o que falar, são jogadores diferentes com qualidades diferente. Ele está se soltando mais, só faltou o golzinho dele – disse, para completar:

– Em um dia dá certo, no outro não. O Viçosa não é tanto de jogar postado lá na frente e deu certo também. Quando não dá certo a gente procura inventar, encontrar outras opções.

Mesmo desfalcado, Grêmio goleia o Inter-SM no Estádio Olímpico

Sem seis jogadores importantes, Tricolor faz 6 a 0 em passeio sob chuva


Apesar das ausências de Victor, Gabriel, Willian Magrão, Carlos Alberto, André Lima e Borges, o Grêmio venceu fácil o Inter-SM por 6 a 0, nesta noite de quinta-feira, pela quarta rodada do Grupo 2 da Taça Farroupilha – o segundo turno do Campeonato Gaúcho.

Douglas, Mário Fernandes, Júnior Viçosa, Rafael Marques e Leandro – duas vezes – fizeram os gols tricolores no Estádio Olímpico, sob chuva e temperatura amena típicas da estação no Rio Grande do Sul. Ambos seguem com uma partida a menos na chave. Com três jogos disputados, o Grêmio soma 6 pontos. O Inter-SM ainda não pontuou.

Para completar a noite perfeita, o Oriente Petrolero-BOL venceu o León de Huánuco-PER por 2 a 0, na Bolíva, pela quinta rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores. O resultado praticamente classifica o Grêmio à segunda fase da competição continental.


Ao natural
Enfim o outono apresentou-se aos gaúchos. Com chuva fina e queda na temperatura, o confronto noturno pelo estadual afastou o público do Estádio Olímpico. E o jogo desenrolou-se tão tranquilo quanto a movimentação nas imediações da casa tricolor.

De início, o Grêmio tratou de garantir a vantagem. Na segunda boa sincronia no lado esquerdo, envolvendo Gilson, Escudero e Lúcio, o Inter-SM cometeu pênalti. Gilson foi derrubado por Deurick, Douglas cobrou bem, e saiu comemorando aos três minutos.

Vinte minutos depois, a tabela aconteceu no lado direito. Mário Fernandes cortou para o meio e passou, Júnior Viçosa devolveu de calcanhar, e o zagueiro improvisado na lateral-direita mostrou-se íntimo das conclusões: 2 a 0, ao natural. Com perspectiva de mais gols a caminho.

Antes disso, o goleiro Marcelo Grohe havia realizado duas boas defesas. Uma delas motivou o técnico Renato Gaúcho a iniciar o aquecimento dos reservas. Mas foi aos 36 que o substituto de Victor brilhou. André Cieslak marcou pênalti de Rodolfo, assinalando toque de mão na bola. Na cobrança, Dinei chutou alto, forte, no canto esquerdo. Marcelo Grohe alcançou, em belo movimento de defesa com a mão direita.

– Olhei para o Renato e ele me disse para pular naquele canto. Eu segui o Renato e peguei – disse Marcelo Grohe, na saída para o intervalo.

Do árbitro, o Grêmio reclamou duas decisões. Segundo jogadores e Renato Gaúcho, Gilson e Lúcio também sofreram pênaltis não marcados.

Goleada e traves
No segundo tempo, o Grêmio voltou à carga nos minutos iniciais. Em contra-ataque, recuperando a posse após erro de passe do Inter-SM, Júnior Viçosa recebeu de Douglas e concluiu com categoria, na saída do goleiro. Aos 7, ele encobriu Pedro Paulo com sutileza.

Três minutos depois, o lateral-direito rival, Diogo Fernandes, recebeu cartão vermelho. Renato Gaúcho percebeu uma oportunidade de ampliar a vitória, substituindo de imediato o volante Adilson pelo meia-atacante Leandro, o ‘Neymar’ do Grêmio, de apenas 17 anos.

No 4-3-3, e com um a mais, os tricolores partiram para cima. Com 20 minutos, a vitória transformou-se em goleada com o zagueiro Rafael Marques, de peixinho, após cobrança de escanteio: 4 a 0.

Houve outra expulsão no colorado de Santa Maria. Luiz Henrique também recebeu o segundo cartão amarelo. Júnior Viçosa e Vinicius Pacheco acertaram, em lances distintos, o travessão. Virou treino de ataque contra defesa.

17 anos, projeto de ídolo
Aos 30, Leandro completou boa tabela, e com categoria fez mais um para o Grêmio. Faltando três minutos para o final, marcou outro. Dois gols do jovem de cabelos parecidos com o moicano do santista Neymar.

Em apenas três aparições no time titular, todas elas entrando no segundo tempo, ele já soma três gols e uma assistência. Leandro empolgou os pouco mais de cinco mil gremistas presentes. E celebrou a festa em 6 a 0 como a estrela da noite.

No outro jogo da noite, pelo Campeonato Gaúcho, o Pelotas virou para cima do Porto Alegre, com um gol nos acréscimos. o time pelotense chegou aos cinco pontos ganhos, entrande de vez na briga por uma das vagas no Grupo B. O clube de Assis, por sua vez, segue com apenas um ponto, na penúltima colocação.

Próximo jogo
Pela 5ª rodada do Grupo 2 da Taça Farroupilha, o Grêmio visita o Pelotas na Boca do Lobo, às 16h de domingo. No mesmo dia, às 18h30m, o Inter-SM vai a Caxias do Sul enfrentar o Juventude.

GRÊMIO 6 X 0 INTER-SM
Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson (Bruno Collaço); Fábio Rochemback, Adilson (Leandro), Lúcio e Douglas; Escudero (Vinicius Pacheco) e Júnior Viçosa. Pedro Paulo; Diogo Fernandes, Diego Borges, André Bahia e Luiz Henrique; Elias, Deurick, Thiago Corrêa, Wendes (Leonardo) e Cadu (Faguinho); Dinei (Roni).
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Suca.
Data: 24 de março de 2011. Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Árbitro: André Cieslak, auxiliado por José Javel Silveira e Carlos Henrique Selbach.
Gols: Douglas (Grêmio), aos 3m; Mário Fernandes (Grêmio), aos 23m, no primeiro tempo. Júnior Viçosa (Grêmio), aos 7m; Rafael Marques (Grêmio), aos 20m; Leandro (Grêmio), aos 30m e aos 42m, no segundo tempo.
Cartões amarelos: Douglas, Adilson (Grêmio); Luiz Henrique, Diogo Fernandes, Deurick (Inter-SM). Cartões vermelhos: Diogo Fernandes e Luiz Henrique (Inter-SM) .
Público: 5.099 torcedores. Renda: R$ 55.104,00.

Desfalcado, Grêmio terá cinco jogadores recém recuperados

Grohe, Adilson, Rochemback, Mário Fernandes e Júnior Viçosa estão confirmados


No treino tático da tarde desta quarta-feira, no gramado principal do Estádio Olímpico, o técnico Renato Gaúcho definiu o time do Grêmio que enfrenta o Inter-SM às19h30m de quinta, pelo Campeonato Gaúcho, em Porto Alegre. Com desfalques, o treinador precisou recorrer a cinco jogadores recém recuperados de problemas físicos.

Estão de volta o goleiro Marcelo Grohe, o lateral improvisado Mário Fernandes, os volantes Fábio Rochemback e Adilson, e o atacante Júnior Viçosa. Todos eles retornam após ausências em treinos recentes.

De fora, ficam jogadores importantes. André Lima, Carlos Alberto e Borges estão lesionados. Gabriel ainda sente os efeitos de uma intoxicação alimentar. E o goleiro Victor apresenta-se à Seleção Brasileira. Willian Magrão foi preservado, com dores musculares. Com isso, Grohe substitui Victor; Mário entra na vaga de Gabriel; Escudero e Viçosa formam o ataque.

No treino, Renato definiu a equipe com Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio e Douglas; Escudero e Júnior Viçosa.

Renato Gaúcho lamenta sequência de lesões: ‘Está faltando maca’

Técnico lista jogadores lesionados ou com problemas clínicos que estão fora


No Grêmio, o diagnóstico é unânime: caiu o rendimento da equipe, apesar dos bons resultados recentes, e a pegada – característica histórica do clube – também diminuiu. Dirigentes, técnico e jogadores admitem que é preciso melhorar nos dois aspectos, o quanto antes, para recuperar as atuações que empolgaram os gremistas no segundo semestre de 2010.

Segundo Renato Gaúcho, uma das explicações está na sequência de lesões e problemas clínicos de jogadores importantes. Hoje, estão vetados os centroavantes André Lima e Borges, o lateral-direito Gabriel e o meia Carlos Alberto, além de jovens egressos das categorias de base como Pessalli e Willian Magrão. E Júnior Viçosa é dúvida. Adilson, Mário Fernandes e Marcelo Grohe recém retornaram aos treinos.

– Estou com muitos problemas. Muitos problemas mesmo. Temos de tomar cuidado para não perder mais jogadores. O departamento médico está cheio. Depois da grama sintética já perdemos dois ou três garotos, o Magrão, o Pessalli, o Romário sentiu só no treino. Se você entrar hoje no departamento médico está faltando maca, de tanta gente – afirmou, referindo-se à vitória por 3 a 0 sobre o Porto Alegre, em partida disputada no piso artificial do Estádio Passo D’Areia.

Renato lembra que é difícil recuperar o desempenho com tantos desfalques:

– A gente quer voltar a jogar bem, mas tem equipe jogando bem e ficando pelo caminho. O mais importante é conseguir os resultados. É lógico que a gente quer voltar a jogar bem, principalmente como era no ano passado. Qualquer equipe no mundo tem uma recaída, aconteceu com o Grêmio. Fica difícil retomar esse desempenho, manter o entrosamento, se cada dia é uma equipe. Temos problemas, lesões, viagens, Libertadores, Gauchão…pior seria jogar mal e não conseguir as vitórias.

O treinador apega-se à saída rápida dos jogadores entregues aos médicos para poder escalar o time que enfrentará o Inter-SM às 19h30m (de Brasília) de quinta-feira – embora admita que boa parte deles já foi vetada.

– Eu quero o pessoal fora do departamento médico para ontem. Senão, não tenho nem um time para colocar.

Carlos Alberto sofre lesão muscular e desfalca o Grêmio por dez dias

Jogador fica de fora pelo menos dos confrontos com Inter-SM, Pelotas e Juventude


Na tarde desta segunda-feira o Departamento Médico do Grêmio confirmou diagnóstico de lesão para o meia Carlos Alberto. O jogador sofreu uma contratura no músculo adutor da coxa direita, e desfalca a equipe por dez dias.

Neste período, Carlos Alberto não participará de três partidas pelo Campeonato Gaúcho: contra o Inter-SM, na próxima quinta-feira; o Pelotas, no domingo; e o Juventude, no dia 30, uma quarta-feira.

Sua presença contra o Veranópolis, no dia 02 de abril, ainda é incerta. Ele volta aos treinos a tempo de participar do confronto pela Taça Libertadores contra o Junior de Barranquilla, em Porto Alegre, em 07 de abril.

Carlos Alberto ressentia-se de dores musculares nos últimos dias. Antes da viagem ao Peru, foi preservado de atividades. Contra o León de Huánuco, na semana passada, deixou a partida após marcar o gol do empate em 1 a 1, substituído por Bruno Collaço.

Fábio Rochemback, Borges e Douglas, que foram preservados do treino desta segunda-feira, voltam novamente à atividade no trabalho em dois turnos da terça.