Alex Mineiro espera voltar em melhor fase do que quando saiu do time com lesão

Jogador revelou que o tempo parado serviu para aprimorar a parte física

Ampliar Foto Agência/Estado Agência/Estado

Alex Mineiro conta que a ansiedade atrapalhou no passado e espera melhorar suas atuações agora

Depois de quase um mês parado, Alex Mineiro voltou a trabalhar junto com os companheiros na manhã desta quarta e está à disposição do técnico Marcelo Rospide para o confronto frente ao Boyacá Chicó, dia 28, em jogo válido pela última rodada da primeira fase da Taça Libertadores. O jogador espera voltar em melhor fase do que quando foi obrigado a deixar a equipe.

– Eu estava muito ansioso, já que os gols não vinham saindo. Nada melhor do que o trabalho para que as coisas aconteçam, para que você possa pensar naquilo que está certo ou errado. Esta lesão serviu para que eu possa aprimorasse melhor a parte física – disse Alex Mineiro.

O atacante garante que a indefinição em relação ao técnico não está atrapalhando a equipe. Alex elogiou a atitude da diretoria, que dá respaldo ao interino Marcelo Rospide. O jogador, que já trabalhou com o provável novo técnico em duas oportunidades – no Kashima Antlers, em 2006, e no Cruzeiro, em 2007 – disse que é muito fácil falar do profissional:

– Por tudo o que ele representa no futebol brasileiro, fica fácil falar dele. Vamos torcer para que ele acerte e nos ajude bastante – salientou.

Grêmio usa semanas sem jogos para chegar ao Brasileirão em forma

Clube adianta planejamento e faz avaliações físicas dos jogadores

Ampliar Foto divulgacao/Site Oficial do Grêmio divulgacao/Site Oficial do Grêmio

Jogadores tem trabalhado mais a parte física

Ninguém no Olímpico queria ser eliminado do Gauchão, tanto que a última derrota para o Inter custou o emprego do técnico Celso Roth. Porém, com o fim da participação no campeonato estadual, o Grêmio tem apenas os jogos pela Libertadores, e, por isso, projeta benefícios na parte física. A ideia é já começar o Campeonato Brasileiro com o condicionamento do time perto do ideal, enquanto outras equipes ainda estarão se recuperando de outras disputas.

– A ênfase dos trabalhos agora é física. Acreditamos que no início do campeonato já tenhamos esta resposta. Temos o exemplo do ano passado, quando, infelizmente, ficamos fora do Gauchão, mas arrancamos muito bem no Brasileirão. Aquele foi um diferencial da boa campanha – afirma o preparador físico interino, Luciano Ilha.

Agora, por exemplo, o time está com um intervalo de quase duas semanas entre a vitória contra o Universidad do Chile em Santiago e a próxima partida, contra o Boyacá Chicó, no Olímpico. Para aproveitar isto, o departamento físico do clube montou um planejamento que não seria possível em uma época de jogos às quartas e domingos.

Mais calma para fazer ajustes
No fim de semana, os jogadores tiveram dois dias de folga, algo incomum para o meio da temporada. No retorno aos trabalhos, passaram os dois primeiros dias da semana fazendo avaliações físicas paralelas aos treinos. Estes testes indicam quais aspectos precisam ser aprimorados.

– A vantagem é que podemos utilizar este período tanto para recuperação quanto para investimento em alguma variável da parte física, mas isso pode ser incorporado em um trabalho com bola. Como os resultados dos testes foram satisfatórios, não chega a ser como uma pré-temporada. Apesar de ter jogado muito e treinado pouco, a equipe está num nível muito bom, então não há necessidade de investimento na parte física, só manutenção – explica o fisiologista do clube, Luis Cesar Martins.

Na verdade, o planejamento feito no início da temporada já previa um período de ajustes antes do início do Brasileirão. A mudança de planos causada pela eliminação no Gauchão apenas adiantou este trabalho.

– O benefício que ficar é ter um tempo maior para estar afinado nesta etapa importante: o mata-mata da Libertadores e o início do Brasileirão – diz Ilha.

Por isto, nestes dias, é comum ver no campo suplementar do Olímpico aqueles trabalhos físicos com cones, estacas e borrachas. De acordo com Luciano Ilha, são exercícios de força e velocidade, com distâncias curtas e intensidade alta. A partir desta quarta, porém, a parte técnica e tática volta a equilibrar a programação. É que a comissão técnica já projeta o jogo contra os colombianos, na próxima terça-feira.


Treino mostra provável time para domingo. Jadilson volta

Grêmio deve ter equipe totalmente reserva contra o Sapucaiense, em São Leopoldo, pelo Campeonato Gaúcho

Ampliar Foto Richard Souza/GLOBOESPORTE.COM Richard Souza/GLOBOESPORTE.COM

Jadilson volta ao time após lesão

O técnico Celso Roth realizou um treinamento coletivo envolvendo os reservas do Grêmio e jogadores das categorias de base na tarde desta sexta-feira, no Olímpico. A equipe dos suplentes que treinou no gramado suplementar deve ser escalada no domingo, às 16h (de Brasília), em São Leopoldo, contra o Sapucaiense, pelo Campeonato Gaúcho.

Os titulares, em função do cansaço da viagem à Colômbia, encerrada na noite de quinta-feira, devem ficar todos fora, com a exceção do goleiro Victor. A boa notícia é o retorno do lateral-esquerdo Jadilson, que teve lesão no tornozelo e não foi a Tunja para enfrentar o Boyacá Chicó.

Time provável para domingo: Victor, Saimon, William Thiego, Heverton e Jadilson; Diogo, Maylson, Makelele e Douglas Costa; Reinaldo e Herrera. O argentino Maxi López esteve no time dos juniores nesta sexta. A presença dele no grupo de relacionados só será confirmada na manhã de sábado, quando sai a lista de Celso Roth.