Renato Gaúcho, sobre a eliminação do Inter: ‘Estou feliz, como sempre’

Treinador do Grêmio prefere não tripudiar do rival, mas deixa transparecer
a felicidade pela eliminação do Internacional do Mundial de Clubes

A derrota do Internacional para o Mazembe e a consequente precoce eliminação do Mundial de Clubes da Fifa frustrou os planos dos colorados, mas deixou feliz a metade azul do Rio Grande do Sul. E, é claro, que entre satisfeitos com o resultado está Renato Gaúcho, um dos maiores ídolos da história do Grêmio e atual treinador do clube.De férias no Rio de Janeiro, o técnico acompanhou a partida pela televisão, mas preferiu não tripudiar do rival. No entanto, em tom irônico, deixou transparecer nas entrelinhas a felicidade pelo fracasso do Internacional em Abu Dhabi.

– Não tenho nada para falar sobre o jogo. Mas estou feliz, como sempre – disse Renato, por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM.

Considerado uma espécie de semideus para os tricolores gaúchos, justamente pela conquista de um Mundial de Clube, em 1983, quando marcou os dois gols da vitória gremista por 2 a 1 sobre o Hamburgo, da Alemanha, Renato admitiu a secada no rival mas, mais uma vez, preferiu fugir do assunto.

– É claro que eles nunca vão torcer pelo Grêmio, e nós sempre torceremos contra eles. Mas esquece isso. Deixa pra lá – concluiu.

Renato Gaúcho, um técnico para 100 mil sócios no Grêmio

Presidente renova contrato e espera ajuda do torcedor para aumentar a receita

Acompanhado pelos recém-eleitos Paulo Odone e Antônio Vicente Martins – a partir de dezembro, respectivamente, presidente e vice de futebol do Grêmio – Renato Gaúcho ingressou na sala de conferências do Estádio Olímpico às 18h50m desta sexta. Com seu uniforme de trabalho – camisa e calça em preto e azul – o técnico sentou-se, em silêncio, e ouviu Odone confirmar a renovação de contrato.Renato é o técnico do Grêmio para 2011. E mais anos, se assim quiserem as duas partes. Não há prazo determinado no contrato, nem mesmo multas ou indenizações estipuladas.

– Este tempo todo nosso objetivo foi fazer esta negociação chegar ao fim com o Renato conosco no ano que vem. É normal que haja dificuldades, mas a recontratação do Renato é uma situação excepcional no Grêmio, porque o Renato hoje é um profissional altamente valorizado no mercado do futebol brasileiro, está entre os treinadores top. Como o profissional que é, fez a parte dele, que é se valorizar. E nós fizemos nossa parte, que é manter os limites do clube. (…) O contrato é por prazo indeterminado. Não tem cláusula. Qualquer um pode demitir um ou o outro. Não há multa nem indenização – explicou Paulo Odone.

Odone revelou duas metas a partir da renovação de Renato: chegar a 100 mil sócios, e permanecer com Renato no mínimo até 2012, ano previsto para a inauguração da nova Arena do clube – estádio que substituirá o Estádio Olímpico.

– Eu não quero 50 mil gremistas (número atual) aqui. Eu quero 100 mil sócios. Este foi o primeiro passo, e sei que o torcedor vai fazer isso. (…) Seria fantástico inaugurar a Arena em 2012 com Renato, no dia 11 de dezembro, quando ganhamos o Mundial. Seria maravilhoso.

Renato falou pouco. Mais ouviu Odone explicar os detalhes do contrato. Ele recorreu ao amor pelo Grêmio para falar sobre a permanência, e a ausência de multa por rescisão:

– Por ser gremista não quis a cláusula. É um casamento, pode ter briga, se o clube quiser que eu saia, eu vou sair. Se fizesse cláusula, eu estaria tirando dinheiro de um clube que eu gosto.