Para dirigentes, Grêmio merecia ser campeão

Paulo Odone sela sua despedida da presidência com vitória

Paulo Odone assumiu o Grêmio em 2005, ano que o clube disputou a Série BPaulo Odone assumiu o Grêmio em 2005, ano que o clube disputou a Série B (Crédito: Ricardo Rimoli)

LANCEPRESS!

Os dirigentes do Grêmio consideraram injusto o resultado final do Brasileirão. Para o vice-presidente de futebol, André Krieger, o time de Celso Roth perdeu o título por detalhes.

– Nada ficamos a dever ao São Paulo, a quem derrotamos duas vezes. Deixamos de ser campeões pela diferença de uma vitória – observou Krieger, que chegou a chorar durante o jogo, ao saber do gol do Tricolor Paulista.

O presidente Paulo Odone, que se despede depois de dois mandatos, acreditou no título até o último momento. Confiava num “crime” do Goiás sobre o São Paulo.

– Seria o mais justo. Mas nada a opor ao título do São Paulo – disse Odone, que lembrou o fato de em quatro anos o clube ter saído da Série B para uma seqüência de grandes campanhas – como os vices da Libertadores de 2007 e deste Brasileiro.

– Que diferença para o meu primeiro jogo da Série B, em 2005. Fizemos um jogo no Beira-Rio, com portões fechados e com derrota, para o Avaí – recordou Odone, que confessou ter perdido alguns amigos nesses quatro anos.

– Pessoas que queriam cargos que hoje estão profissionalizados, como o do diretor-executivo Rodrigo Caetano, não falam mais comigo – revelou.