Roth: ‘Futebol do Grêmio é de alta qualidade’ Técnico ressaltou o fator sorte, que ajudou os gaúchos a vencer Celso Roth viu o Grêmio perder oito chances claras de gol nesta quarta-feira Celso Roth viu o Grêmio perder oito chances claras de gol nesta quarta-feira (Crédito: Cristiano Andujar) LANCEPRESS! Depois da vitória sobre o Boyacá Chicó por 1 a 0, o técnico Celso Roth creditou os vários gols perdidos (oito, no total) à “falta de tempo para treinar”. Na ocasião, isso causou surpresa, pois ele faz muitos treinos com portões fechados. Nesta quarta-feira, em Cochabamba, após o triunfo por 2 a 1 dramático sobre o Aurora, o técnico do Grêmio evitou aquela desculpa para explicar as sete oportunidades desperdiçadas. – Nem falei que faltava treino, mas sim que não podíamos treinar como queríamos – desviou-se. Por que, então, em três jogos o Tricolor empilhou quase trinta chances perdidas? (Contra o Universidad, 0 a 0 no Olímpico, na estréia, foram catorze). Celso Roth não soube explicar. Aliás, no vestiário gremista no Estádio Felix Capriles, ninguém soube. Houve apenas lamentos. O próprio Celso advertiu: – Precisamos aprender rápido a evitar essas situações, de praticar um futebol de alta qualidade, mas não converter os gols, porque a Libertadores é uma competição de alto nível. Ali adiante, contra adversários mais fortes, a sorte que tivemos hoje no gol do Tcheco pode faltar. O treinador do Grêmio insistiu nesse ponto: para ele, o Grêmio vem praticando um futebol de “primeiríssimo nível”, “o torcedor está alegre por isso” e essa qualidade “está tornando a equipe muito preciosista na hora de definir”. Tudo sem levar em conta a baixa categoria dos adversários. Mas, no final, ele apontou fatos indiscutíveis: – O Grêmio venceu dois jogos fora de casa, jogando na altitude, e embora tenha cometido pecados na área adversária, nunca se desorganizou como equipe. Nem quando esteve com um homem a menos, como hoje. É isso que nos credencia a buscar o melhor na competição – afirmou.

Roth: ‘Futebol do Grêmio é de alta qualidade’

Técnico ressaltou o fator sorte, que ajudou os gaúchos a vencer

Celso Roth viu o Grêmio perder oito chances claras de gol nesta quarta-feiraCelso Roth viu o Grêmio perder oito chances claras de gol nesta quarta-feira (Crédito: Cristiano Andujar)

LANCEPRESS!

Depois da vitória sobre o Boyacá Chicó por 1 a 0, o técnico Celso Roth creditou os vários gols perdidos (oito, no total) à “falta de tempo para treinar”. Na ocasião, isso causou surpresa, pois ele faz muitos treinos com portões fechados. Nesta quarta-feira, em Cochabamba, após o triunfo por 2 a 1 dramático sobre o Aurora, o técnico do Grêmio evitou aquela desculpa para explicar as sete oportunidades desperdiçadas.

– Nem falei que faltava treino, mas sim que não podíamos treinar como queríamos – desviou-se.

Por que, então, em três jogos o Tricolor empilhou quase trinta chances perdidas? (Contra o Universidad, 0 a 0 no Olímpico, na estréia, foram catorze).

Celso Roth não soube explicar. Aliás, no vestiário gremista no Estádio Felix Capriles, ninguém soube. Houve apenas lamentos. O próprio Celso advertiu:

– Precisamos aprender rápido a evitar essas situações, de praticar um futebol de alta qualidade, mas não converter os gols, porque a Libertadores é uma competição de alto nível. Ali adiante, contra adversários mais fortes, a sorte que tivemos hoje no gol do Tcheco pode faltar.

O treinador do Grêmio insistiu nesse ponto: para ele, o Grêmio vem praticando um futebol de “primeiríssimo nível”, “o torcedor está alegre por isso” e essa qualidade “está tornando a equipe muito preciosista na hora de definir”. Tudo sem levar em conta a baixa categoria dos adversários.

Mas, no final, ele apontou fatos indiscutíveis:

– O Grêmio venceu dois jogos fora de casa, jogando na altitude, e embora tenha cometido pecados na área adversária, nunca se desorganizou como equipe. Nem quando esteve com um homem a menos, como hoje. É isso que nos credencia a buscar o melhor na competição – afirmou.