Grêmio usa semanas sem jogos para chegar ao Brasileirão em forma

Clube adianta planejamento e faz avaliações físicas dos jogadores

Ampliar Foto divulgacao/Site Oficial do Grêmio divulgacao/Site Oficial do Grêmio

Jogadores tem trabalhado mais a parte física

Ninguém no Olímpico queria ser eliminado do Gauchão, tanto que a última derrota para o Inter custou o emprego do técnico Celso Roth. Porém, com o fim da participação no campeonato estadual, o Grêmio tem apenas os jogos pela Libertadores, e, por isso, projeta benefícios na parte física. A ideia é já começar o Campeonato Brasileiro com o condicionamento do time perto do ideal, enquanto outras equipes ainda estarão se recuperando de outras disputas.

– A ênfase dos trabalhos agora é física. Acreditamos que no início do campeonato já tenhamos esta resposta. Temos o exemplo do ano passado, quando, infelizmente, ficamos fora do Gauchão, mas arrancamos muito bem no Brasileirão. Aquele foi um diferencial da boa campanha – afirma o preparador físico interino, Luciano Ilha.

Agora, por exemplo, o time está com um intervalo de quase duas semanas entre a vitória contra o Universidad do Chile em Santiago e a próxima partida, contra o Boyacá Chicó, no Olímpico. Para aproveitar isto, o departamento físico do clube montou um planejamento que não seria possível em uma época de jogos às quartas e domingos.

Mais calma para fazer ajustes
No fim de semana, os jogadores tiveram dois dias de folga, algo incomum para o meio da temporada. No retorno aos trabalhos, passaram os dois primeiros dias da semana fazendo avaliações físicas paralelas aos treinos. Estes testes indicam quais aspectos precisam ser aprimorados.

– A vantagem é que podemos utilizar este período tanto para recuperação quanto para investimento em alguma variável da parte física, mas isso pode ser incorporado em um trabalho com bola. Como os resultados dos testes foram satisfatórios, não chega a ser como uma pré-temporada. Apesar de ter jogado muito e treinado pouco, a equipe está num nível muito bom, então não há necessidade de investimento na parte física, só manutenção – explica o fisiologista do clube, Luis Cesar Martins.

Na verdade, o planejamento feito no início da temporada já previa um período de ajustes antes do início do Brasileirão. A mudança de planos causada pela eliminação no Gauchão apenas adiantou este trabalho.

– O benefício que ficar é ter um tempo maior para estar afinado nesta etapa importante: o mata-mata da Libertadores e o início do Brasileirão – diz Ilha.

Por isto, nestes dias, é comum ver no campo suplementar do Olímpico aqueles trabalhos físicos com cones, estacas e borrachas. De acordo com Luciano Ilha, são exercícios de força e velocidade, com distâncias curtas e intensidade alta. A partir desta quarta, porém, a parte técnica e tática volta a equilibrar a programação. É que a comissão técnica já projeta o jogo contra os colombianos, na próxima terça-feira.