Renato fala sobre rejeição do Grêmio a seu nome

Técnico rompe o silêncio e irá conceder entrevista coletiva

LANCEPRESS!

Renato Portaluppi vai conceder entrevista coletiva para esclarecer o que anda sendo dito a seu respeito desde a demissão de Celso Roth e, também, falar sobre os apelos da torcida para que ele, o herói de Tóquio, seja o técnico do Grêmio.

A informação é da coluna online “No Ataque”, de Diogo Olivier, no ClicRBS. Ela diz que Renato tem apenas uma dúvida, que será dirimida conforme os fatos evoluírem: ele não sabe se esclarecerá apenas a questão da dívida do clube com ele ou se tratará também da rejeição a seu nome entre os dirigentes.

Nos últimos dias, as críticas a Renato tornaram-se pesadas. Tcheco, o capitão, viu-se obrigado a negar a existência de veto por parte dos jogadores ao maior ídolo da história do Grêmio.

Renato se aborreceu com uma informação que, ele acredita, partiu de algum canto do Olímpico: a de que exigiu o pagamento à vista da dívida de R$ 1,1 milhão para aceitar sua sua volta ao clube.

No fim dos anos 90, o clube recorreu a Renato para saldar débitos. O ex-jogador atendeu ao apelo e, em troca, recebeu parte dos passes de Ronadinho e Tinga. Não foi ressarcido. E aceitou entrar no condomínio de credores criado na gestão do presidente Paulo Odone para receber a longo prazo.

Ele promete romper o silêncio até o fim do mês.