Nem crise, nem tempestade: Grêmio retorna após semana tumultuada

Jogadores e dirigente falam sobre empate e suposta investida do Fluminense


Não foi fácil chegar ileso ao final desta semana para os gremistas. Além da desgastante viagem de ida e volta a Huánuco, no interior peruano, a equipe apenas empatou com o León – pela Taça Libertadores – e o ambiente tumultuou-se a partir de conversa do técnico Renato Gaúcho com o jornalista Jorge Kajuru, revelando uma suposta investida do Fluminense para contratá-lo.

O treinador do Grêmio alegou que apenas passou um trote no entrevistador. Mas o incidente teve repercussão, inclusive em Porto Alegre, onde o presidente Paulo Odone manifestou-se em entrevista à Rádio Gaúcha criticando o desempenho do time, do técnico e dos jogadores.

No desembarque da delegação tricolor, às 19h desta sexta-feira, os gremistas falaram sobre a semana tensa. E rejeitaram qualquer possibilidade de crise.

– Não tem crise, e qualquer problema o Grêmio resolve no vestiário – afirmou o capitão Fábio Rochemback.

Para o vice de futebol Antônio Vicente Martins, não há motivo para valorizar a repercussão dos incidentes da semana:

– Não precisamos fazer uma tempestade. Trataremos tudo internamente.

Lúcio disse que o “puxão de orelhas” é normal:

– O dirigente é como o pai de família, que vê alguma coisa errada e precisa corrigir. O puxão de orelha é normal.

Carlos Alberto foi o primeiro a passar pelo saguão, sem conceder entrevistas. ‘Estou cansado, deixa eu ir para casa’ disse ele, ao atravessar o batalhão de repórteres.

Um dos últimos a deixar o aeroporto, após cerca de 15 minutos do desembarque, foi o técnico Renato Gaúcho. Conforme combinado com a assessoria de imprensa do clube, ele vai falar apenas no domingo, após a partida contra o Porto Alegre.

Inspirado em Kidiaba, Grêmio empata com León de Huánuco

Carlos Alberto marca e comemora com Gabriel imitando goleiro do Mazembe


O Grêmio empatou com o León de Huánuco por 1 a 1, na tarde desta quinta-feira, pela quarta rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores, conquistando um ponto importante para se consolidar na vice-liderança da chave. A partida foi disputada no Estádio Heráclio Tapia, em Huánuco, interior peruano. Ao final do primeiro tempo, Carlos Elias abriu o placar para o time da casa. No início da etapa final, Carlos Alberto empatou para o Grêmio. A comemoração teve provocação ao arquirrival Inter: ele e o lateral Gabriel parodiaram a dança do goleiro Kidiaba, do congolês Mazembe, equipe que derrotou o Colorado no Mundial de Clubes da Fifa – uma resposta ao centroavante colorado Leandro Damião.

Com sete pontos, o Grêmio segue na segunda colocação da chave. O León é o terceiro, com quatro. Às 23h45m desta quinta, Junior de Barranquilla e Oriente Petrolero completam a rodada, na Colômbia. O Junior lidera o Grupo 2, com nove pontos, enquanto os bolivianos são os lanternas, sem ponto.

Às 16h de domingo, o Grêmio volta a atuar, enfrentando o Porto Alegre no gramado sintético do Estádio Passo d’Areia, pela Taça Farroupilha – o segundo turno do Campeonato Gaúcho. Na Libertadores, a próxima partida do Grêmio será em 7 de abril, contra o colombiano Junior de Barranquilla – no Estádio Olímpico – pela quinta rodada do Grupo 2.

Depois dos 40

Em Porto Alegre, na rodada passada, o Grêmio deparou-se com um León de Huánuco recuado e cauteloso. Sem espaços, conseguiu marcar apenas aos 41 do primeiro tempo, em complemento de cobrança de falta. Em Huánuco, novamente após os 40, um gol inscreveu-se na ficha técnica da partida, configurando a abertura do placar. Mas desta vez foi o León de Huánuco quem comemorou. Depois de cruzamento na área, assim como fizera André Lima no Olímpico, Carlos Elias cabeceou na área tricolor e marcou 1 a 0 para os peruanos, aos 43.

No sistema tático 4-2-3-1, o León havia criado as melhores chances até então. Ao Grêmio, no 4-4-2, com Carlos Alberto no ataque, coube uma posse de bola pouco agressiva, tendo controle, mas sem concluir. O ex-vascaíno chegou a marcar um gol, bem anulado por impedimento.

Por volta dos 30, Renato provocou uma variação: substituiu Fernando pelo atacante Júnior Viçosa, deixando Carlos Alberto como articulador ao lado de Douglas, e Lúcio em apoio a Fábio Rochemback na marcação.

Carlos ‘Kidiaba’ Alberto

Do ataque para o meio, certo é que Carlos Alberto não conseguia se destacar. Recebendo forte marcação, entrou em atrito com defensores em diversos lances de contato. Mas no segundo tempo, em combinação com Douglas, marcou seu primeiro gol com a camisa do Grêmio.

Foi aos nove. Ele recebeu do ‘Maestro’, de frente para o gol, invadiu a área, fintou o marcador e bateu com categoria na saída do goleiro Juan Flores: 1 a 1.

Na comemoração, um recado ao jogador colorado Leandro Damião, que ironizara os acréscimos concedidos na decisão da Taça Piratini – o Grêmio empatou com o Caxias aos 50 do segundo tempo, e foi campeão nos pênaltis.

Contra o mesmo Caxias, o centroavante do Inter celebrou um gol simulando o gesto do árbitro na sinalização dos acréscimos. Em resposta, Carlos Alberto e Gabriel imitaram a dança do goleiro Kidiaba, do Mazembe, algoz colorado no Mundial de Clubes em 2010.

Melhor em relação à etapa inicial, o Grêmio agregou ao controle da posse algumas conclusões. Aos 25, Borges recebeu livre, em nova assistência de Douglas, mas bateu para fora. Na sequência, Carlos Alberto deu lugar a Bruno Collaço.

O León adiantou-se nos minutos finais. Atrás na tabela, insistiu pela vitória. Em contra-ataques organizados por Douglas, o Grêmio devolvia o perigo – Borges novamente foi acionado, e de novo desperdiçou. Júnior Viçosa, Douglas e Gilson também tiveram oportunidades. Na área tricolor, Victor fez poucas defesas. E a igualdade em 1 a 1 persistiu até o final.

León de huánuco 1 x 1 grêmio
Juan Flores; Espinoza, Cambindo, Cardoza e Salas; Zegarra, Ferrari, Carlos Elías (Otálvaro), Céspedes (Peña) e  Orejuela (Rodriguez); Gonzáles Vigil. Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback, Fernando (Júnior Viçosa), Lúcio e Douglas; Carlos Alberto (Bruno Collaço) e Borges (Diego Clementino).
Técnico: Franco Navarro. Técnico: Renato Gaúcho.
Data: 17 de março de 2011. Local: Estádio Heráclio Tapia, em Huánuco (Peru). Árbitro: Roberto García Orozco, auxiliado por Jose Luis Camargo e Alberto Morin (trio mexicano).
Gols: Carlos Elias (León), aos 43m do primeiro tempo; Carlos Alberto (Grêmio), aos 9m do segundo tempo.
Cartões amarelos: Cardoza, Ferrari (León); Rodolfo, Borges (Grêmio).

Carlos Alberto volta a treinar e será atacante no Grêmio contra o León

Jogador participou de atividade nesta tarde de quarta-feira, em Huánuco, no Peru

Está definido o substituto de André Lima, com lesão no joelho direito: Carlos Alberto será atacante ao lado de Borges. O Grêmio enfrenta o León de Huánuco às 17h de quinta-feira (horário de Brasília) no Peru, pela quarta rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores.


Desde domingo Carlos Alberto ressente-se de dores musculares. O jogador chegou a ser substituído por Diego Clementino em atividade tática realizada na tarde de terça, em Lima. Mas nesta quarta, já em Huánuco, ele participou de todo o treinamento de reconhecimento do Estádio Heráclio Tapia.

Sem esta dúvida, o time do Grêmio está definido. Renato Gaúcho vai escalar Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback, Fernando, Lúcio e Douglas; Carlos Alberto e Borges.

Problemas médicos diminuem quórum do Grêmio em Huánuco

Dos 25 inscritos, cinco devem ficar de fora da viagem nesta terça-feira


Às 6h50m desta terça-feira a delegação do Grêmio embarca para Huánuco, no Peru, onde enfrenta dois dias depois o León de Huánuco pela quarta rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores.

E a delegação tricolor pode sofrer até cinco desfalques, todos em função de problemas médicos.

O volante Adilson recupera-se de torção no tornozelo esquerdo, e na tarde desta segunda treinou em separado. André Lima foi operado após sofrer lesão no joelho direito, e desfalca a equipe por aproximadamente dois meses. Vilson, com traqueíte, também está fora. Marcelo Grohe, em função de problemas musculares, é mais um ausente.

Gripados, Júnior Viçosa e Mário Fernandes completam a lista. Nesta tarde Viçosa participou do treino e deve viajar, enquanto Mário foi liberado para repousar em sua casa – correndo o risco de ausentar-se da partida.

León de Huánuco e Grêmio enfrentam-se às 17h (horário de Brasília) de quinta-feira. Os gaúchos têm 6 pontos, contra 3 dos peruanos.

Contra a má fase, carinho e braçadeira para Carlos Alberto

Renato Gaúcho dá apoio ao jogador, substituído no primeiro tempo contra o Caxias. Ele será o capitão neste sábado

Não é aquele Carlos Alberto que o Grêmio esperava. Sem o mesmo ritmo do elenco, com dificuldade de encaixar sua capacidade técnica, o jogador mostra que segue em fase de adaptação ao novo clube. Na última quarta-feira, contra o Caxias, ele foi substituído ainda no primeiro tempo. Mas segue respaldado.

É com carinho que o técnico Renato Gaúcho reage à má fase do meia. O treinador demonstra total confiança no atleta.

– Quando temos um jogador com um pouco mais de dificuldade, damos um carinho a mais. Ninguém discute a qualidade do Carlos Alberto. Ele precisa se reintegrar taticamente. Nos últimos tempos, ele praticamente só entrava em campo. Pegava a camisa e entrava. É preciso reeducar o Carlos Alberto. Ele não desaprendeu a jogar. Vai nos ajudar bastante – disse o treinador.

Carlos Alberto será o único dos titulares do Grêmio a ir a campo contra o Cruzeiro-Poa, neste sábado, no Olímpico, pelo Gauchão. Atuará em meio a jovens atletas. Por isso, será o capitão do time. É uma boa chance para o jogador se garantir entre os titulares para a partida seguinte, diante do León de Huánuco, no Peru, pela Libertadores.

A saída de André Lima, lesionado, por 60 dias, pode respingar no posicionamento de Carlos Alberto. Renato Gaúcho estuda adiantar o jogador em campo, com a entrada de mais um meio-campista. Contra o Cruzeiro-Poa, porém, ele ainda será articulador.

Com torção no tornozelo esquerdo, Adilson é dúvida para final de turno

Volante do Grêmio passa por exame que não aponta lesão grave e faz tratamento


Ainda no primeiro tempo da partida contra o León de Huánuco-PER – vitória gremista por 2 a 0, na noite de quinta-feira – Adilson aterrissou mal em lance pelo alto. Na queda, sofreu uma torção no tornozelo esquerdo.

Renato Gaúcho cogitou substituí-lo, mas o jogador preferiu permanecer em campo. Após a partida publicou no Twitter uma explicação:

– Hoje estou aceitando todas as críticas, porque até concordo. Torci meu pé no início do jogo e agora não estou nem andando devido à gravidade da situação.

Nesta sexta-feira, primeiro dos três dias de folga concedidos aos jogadores do Grêmio no carnaval, Adilson passou por exame de ressonância magnética. Não houve diagnóstico de lesão grave. Mas, com a torção no tornozelo esquerdo, ele terá de realizar sessões de fisioterapia em Porto Alegre.

Com isso, a presença de Adilson na partida de quarta-feira é incerta. Às 21h50m, no Estádio Olímpico, o Grêmio recebe o Caxias na decisão da Taça Piratini – o primeiro turno do Campeonato Gaúcho.

Dupla de ataque marca, e Grêmio se recupera na Libertadores

No Estádio Olímpico, Tricolor bate o León de Huánuco (Peru) por 2 a 0, com gols de André Lima e Borges


Ter dois centroavantes no time titular pode ser uma vantagem. Principalmente se ambos estiverem em boa fase. Na noite desta quinta-feira, mais uma vez André Lima e Borges marcaram e foram decisivos para uma vitória gremista.

No Estádio Olímpico, o Grêmio fez 2 a 0 no León de Huánuco (Peru), pela terceira rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores. Com o resultado, a equipe gaúcha recupera-se da derrota na rodada anterior, para o Junior de Barranquilla (Colômbia), e agora soma seis pontos, mesmo número do time colombiano, que tem um jogo a menos. O time peruano tem três em três partidas.


A terceira rodada se completa na próxima quarta-feira, dia 9, quando Oriente Petrolero-BOL, ainda sem ponto, e Junior Barranquilla se enfrentam na Bolívia. Pelo saldo de gols, o Grêmio retoma a liderança provisória da chave.

Uma chance, um gol

Sem o lateral Lúcio, machucado, e o zagueiro Paulão, negociado com o clube chinês Guangzhou, o Grêmio manteve-se no 4-4-2, com o meio-campo em losango. Carlos Alberto permaneceu no time titular, atuando mais à esquerda, com os centroavantes Borges e André Lima na frente.

saiba mais

E o León reprisou fórmula adotada pelo Oriente Petrolero na primeira rodada, no Olímpico: 4-4-2 em duas linhas, adiantando-se para tirar espaços e velocidade da articulação gremista. Também deu certo.

Não fossem as encenações para matar tempo nas cobranças de tiro de meta, e o goleiro Flores sequer seria notado. Frente a oito jogadores distribuídos na intermediária em dois pelotões, o Grêmio nada conseguiu criar. A torcida ficou impaciente. Sem vaias, mas com princípios de murmúrios nas arquibancadas. Lamentos a cada passe errado, a cada desarme sofrido.

Mas, também a exemplo da partida de estreia, o Grêmio salvou-se em gol de bola parada no final do primeiro tempo. Se contra o Oriente Petrolero, o meia Douglas marcou de pênalti, desta vez ele cruzou em falta lateral para o centroavante André Lima fazer de cabeça, aos 41, na única oportunidade gremista no primeiro tempo.

Mais bola parada

A indefinição sugerida pelo parcial 1 a 0 se desfez cedo na etapa final. E o alívio mais uma vez se apresentou graças a uma bola parada. Carlos Alberto foi derrubado na lateral direita, Douglas repetiu a precisão no cruzamento, e André Lima sofreu pênalti.

O próprio autor do primeiro gol requisitou a cobrança. De imediato, ainda ao chão enroscado com o zagueiro Araújo que o impediu de cabecear, André Lima ergueu o braço esquerdo, como quem pretende se fazer visto. Depois, chegou a conversar com Renato Gaúcho à beira do campo. Mas coube a Borges a batida: forte, sem chance para o goleiro: Grêmio 2 a 0, aos nove minutos.

Coube ao León arriscar mais, finalmente abrindo os espaços ocupados durante metade da partida. Dessa forma, o Grêmio cresceu, com as passagens dos laterais Gilson e Gabriel, e com as assistências de Douglas.

André Lima desperdiçou boa chance, concluindo para fora. Insistindo para ampliar, embora sem perder a segurança defensiva, o Grêmio manteve o 2 a 0 e conquistou sua segunda vitória em três jogos na fase de grupos da Libertadores 2011.

Próximos jogos
Durante o carnaval, os jogadores do Grêmio recebem folga de três dias. O próximo jogo está marcado para as 21h50m de quarta-feira, dia 9 de março, no Estádio Olímpico. Será contra o Caxias, pela decisão da Taça Piratini – o primeiro turno do Campeonato Gaúcho.

O próximo duelo pela Taça Libertadores, contra o próprio León, está indefinido. Inicialmente marcado para 15 de março, o Grêmio tenta confirmar o confronto para o dia 17, no Peru.

Grêmio 2 x 0 León de huánuco-per
Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo (Mário Fernandes) e Gilson; Fábio Rochemback, Adilson, Carlos Alberto (Bruno Collaço) e Douglas; André Lima (Escudero) e Borges. Flores; Espinoza, Jorge Araújo, Cardoza e Suárez; Ferrari (Cevasco), Zegarra, Céspedes e Orejuela; Carlos Elias (Otálvaro) e González Vigil (Rodríguez).
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Franco Navarro.
Data: 03 de março de 2011. Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Árbitro: Enrique Osses, auxiliado por Patricio Basualto e Sergio Román (trio chileno).
Gols: André Lima (Grêmio), aos 41m do primeiro tempo. Borges (Grêmio), aos 9m do segundo tempo.
Cartões amarelos: Fábio Rochemback, Gabriel e Gilson (Grêmio); Ferrari, Zegarra e Araújo (León de Huánuco-PER).
Público: 28.605 torcedores. Renda: R$ 612.469,00.