Vinícius Pacheco dedicou primeiro gol pelo Grêmio ao filho esperado

Esposa do meia tricolor está grávida de Benjamin, que nascerá em junho

Aos 12 do segundo tempo o capitão Fábio Rochemback recuperou a posse de bola e disparou na direção da área uruguaia. O Grêmio empatava com o Liverpool-URU em casa, na noite de quarta-feira, e mesmo com o resultado suficiente para chegar à Libertadores, buscava tranquilizar-se em partida até então arriscada.

Com força, Rochemback venceu zagueiros e deixou Vinicius Pacheco livre. Ele teve calma para dominar, escolher o canto, e marcar o gol da virada. Na comemoração, Pacheco saltou, socou o ar, e na aterrisagem improvisou o embalo do neném inaugurado por Bebeto na Copa de 1994.

Em entrevista exclusiva ao GLOBOESPORTE.COM, na tarde desta quinta-feira, Pacheco explicou o gesto. Foi uma homenagem ao primeiro filho, esperado para junho. A esposa, Joyce Pacheco, está grávida há quatro meses, de Benjamin.

Segundo Pacheco, nada foi planejado. A comemoração saiu na hora do gol, de improviso.

Aconteceu naturalmente, foi totalmente involuntário. Tanto que de início eu dei o soco no ar, e só depois saiu o embalo”
Vinicius Pacheco, meia do Grêmio

– Eu já tinha pensado em dedicar um gol para eles, para minha esposa e para meu filho. Mas não sabia quando aconteceria. Aconteceu naturalmente, foi totalmente involuntário. Tanto que de início eu dei o soco no ar, e só depois saiu o embalo. Legal que o Gabriel e o André Lima vieram participar, e a gente não tinha combinado nada antes – afirmou.

Em Porto Alegre há duas semanas, Pacheco recém escolheu apartamento para morar. Ele deixa o hotel ainda nesta quinta-feira para se instalar na nova residência.

Do Rio de Janeiro, aguarda Joyce e Benjamin chegarem, mas a permanência da esposa na capital gaúcha tem prazo determinado:

– Ela ficará aqui comigo só até completar sete meses, que é o tempo máximo para poder viajar. Depois volta ao Rio de Janeiro, vai ter o filho por lá, com a família.

Pacheco celebra um momento de realizações na vida – novo clube, nova cidade, filho a caminho…- Estou muito feliz, estávamos planejando esse primeiro filho. No exame de sangue descobrimos que será menino, e já batizei de Benjamin. Mas o time é ele quem vai escolher para torcer, eu não vou influenciar – brincou.

Aproximando-se aos poucos dos companheiros, Pacheco já se mostra mais à vontade com André Lima, Rafael Marques, Lins, Diego Clementino e Rodolfo. Ele garante que foi bem acolhido pelo grupo, esperando aproveitar este período de um ano emprestado pelo Flamengo ao Grêmio para conquistar também a torcida tricolor durante a Taça Libertadores.

– Fui muito bem recebido pela comissão técnica, pelo Renato que me indicou, pelos companheiros todos. Isso facilita para se adaptar. E em todos os treinos temos torcedores nos apoiando. É uma torcida de massa, que comparece sempre. A maior demonstração foi quando sofremos o gol do Liverpool-URU, a torcida começou a cantar e nos incentivou para a virada. Continuaram apoiando.