Gre-Nal: Indícios de uma disputa em alto nível

Grêmio e Inter têm equipes entrosadas e jogadores em boa fase

Gangorra, o brinquedo dos parquinhos infantis, costuma ser a metáfora mais utilizada no dialeto do futebolês gaúcho. A analogia refere-se às oscilações que provocam desequilíbrio técnico nas fases de Inter e Grêmio: quando uma equipe está bem, invariavelmente a outra vai mal. Acima e abaixo. Dificilmente equiparados.

Mas o Gre-Nal das 18h30m deste domingo promete apresentar no Estádio Olímpico um embate de nível mais elevado, com tricolores e colorados candidatando-se a protagonistas do clássico 383. Categoria que certamente contará com o aguerrimento que caracteriza os rivais.

D’Alessandro e Douglas são os regentes. Nas duas áreas, os artilheiros Jonas e Alecsandro defendem bons números. O bicampeão da América, às vésperas do Mundial de Clubes, visitando a equipe de melhor campanha do segundo turno do Brasileirão, em busca de vaga na Taça Libertadores.

Um ponto separa colorados e gremistas na tabela. Após 30 rodadas, o Inter está na 6ª colocação, com 47 pontos; o Grêmio, 8º colocado, tem 46.

O Gre-Nal 382 ocorreu em 1º de agosto deste ano, no Estádio Beira-Rio, com empate em 0 a 0. Foi pela 12ª rodada do Brasileirão 2010. À época, Silas treinava o Grêmio. Além dele, o zagueiro Rodrigo, recém-contratado pelo Inter, também estava no Tricolor.

Outras ausências na comparação com o empate anterior são Taison, Sandro, Everton e Fabiano Eller, negociados pelo Inter. E Hugo, outro jogador que deixou o Grêmio.

*Grêmio e Inter formaram sua história de rivalidade em 382 partidas. A vantagem é colorada, com 144 triunfos, contra 120 do Tricolor e 118 empates. O Inter marcou 542 gols. O Grêmio fez 503.

*Houve Gre-Nal 118 vezes no Olímpico. Jogando em casa, o Grêmio leva vantagem, com 40 vitórias, 33 derrotas e 45 empates.

*Nos últimos 15 Gre-Nais válidos pelo Campeonato Brasileiro, apenas três tiveram mais de dois gols marcados – nas vitórias do Inter por 3 a 1 no Olímpico em 2004 e por 4 a 1 no Beira-Rio em 2008 e na vitória gremista por 2 a 1 este ano.

Grêmio: recuperando o status de ‘Maestro’ que tinha no Corinthians, Douglas vive sua melhor fase deste a chegada ao Grêmio, no início do ano. Com Renato Gaúcho, ganhou liberdade e se destaca no meio-campo.

Inter: Andrés D’Alessandro costuma desequilibrar em Gre-Nais. O argentino foi a campo em oito clássicos gaúchos. Marcou três gols, um deles na goleada de 4 a 1 pelo Brasileirão de 2008, jogo em que também deu o passe final para os outros três gols do Inter.

Escalações:

Grêmio: Não há desfalques, pelo menos não na comparação com as escalações recentes. Mário Fernandes e Souza seguem de fora, mas o meia integra a relação dos 22 convocados pelo técnico Renato Gaúcho para a concentração. Adilson perdeu a titularidade para Vilson. André Lima volta após lesão no joelho esquerdo.

O time deve ter Victor; Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos; Fábio Rochemback, Vilson, Lúcio e Douglas; Jonas e André Lima.

Inter: Celso Roth tem time quase titular para o Gre-Nal do Olímpico. Ele poderá demonstrar qual o sistema que mais o anima, o 4-4-2, com Rafael Sobis adiantado e Giuliano em lugar de Tinga, ou o 4-5-1, com o atacante desempenhando função de meia-ofensivo pelo lado esquerdo.

Escalação provável: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Giuliano. D’Alessandro e Rafael Sobis; Alecsandro.

Rivalidade histórica não impede elogios colorados a Renato Gaúcho

Profissionais do Inter destacam trabalho realizado pelo treinador no Grêmio. ‘É esperto’, diz D’Alessandro

Renato Gaúcho jamais treinaria o Inter. E o Inter jamais aceitaria ter Portaluppi vestido de vermelho. O técnico e maior ídolo da história do Grêmio anda diplomático nos últimos tempos, obedecendo a uma exigência de seu novo cargo, mas ele sempre fez questão de provocar os colorados. Já como treinador, ia ao Beira-Rio vestido de azul para comandar clubes como Vasco e Fluminense. É quase uma rivalidade particular dentro da eterna dualidade do Gre-Nal. Mas nada disso impede que os profissionais do Inter valorizem o trabalho feito pelo rival no Olímpico.

Sobram elogios para o treinador adversário no Beira-Rio. Os colorados reconhecem que Renato mudou o time do Grêmio.

– É um momento super bom, que eles ainda não tinham vivido no campeonato. Um treinador muda time. Ele fez um bom trabalho – disse Rafael Sobis.

Andrés D’Alessandro foi outro a falar muito bem do técnico adversário. Na opinião do argentino, a percepção tática de Renato Gaúcho melhorou o Grêmio.

– No Grêmio, chegou um treinador novo, que conhece o clube, tem experiência, é esperto. Ele sabe o que falar e quando falar. Ele conhece o clube, conhece os jogadores, e ajeitou o time. Ajeitou o sistema defensivo e o meio-campo, para que Jonas e Douglas não tenham responsabilidade de marcação. Eles não têm essa responsabilidade. O Grêmio tem uma saída de contra-ataque muito rápido. Eles conhecem o Inter, e nós os conhecemos. Sabemos os pontos fortes deles. Vamos tentar neutralizar os jogadores importantes para não tomar gols. Eles trabalham bem a bola parada. É um time que o Renato conseguiu ajeitar bem – comentou D’Alessandro.

Até Celso Roth, sempre discreto nos comentários sobre os rivais (sejam positivos ou negativos), disse que é visível o crescimento do Grêmio com Renato Gaúcho. No domingo, às 18h30m, os eternos rivais estarão frente a frente no Olímpico.

Giuliano, D’Alessandro, Renan: gremistas avaliam armas do Inter

Douglas elogia revelação do Colorado: ‘Sem dúvida, é o melhor (do time)’. Rafael Marques diz que rival tem qualidade, mas lembra força do Tricolor

Não falta cortesia nas análises gremistas sobre os jogadores do Inter. A três dias do Gre-Nal, Douglas e Rafael Marques enumeraram diversas armas que, acreditam, são as principais do adversário de domingo.Para Douglas, o meia Giuliano – embora sem escalação garantida – é o protagonista colorado:

– Eu acho o Giuliano um jogador inteligente, um jogador habilidoso, que sabe fazer assistências, sabe fazer gols. Não é por acaso que chegou na Seleção. Sem dúvida ele é o melhor.

Já Rafael Marques diversifica a avaliação dos melhores entre o rival.

– A defesa deles é bem firme, o Kleber não pode ter espaço, o Guiñazu tem muita pegada, o Giuliano é um grande jogador. Temos de estar atentos com todos os setores. O D’Alessandro é um jogador que você tem de marcar de perto, porque o mínimo espaço para ele, e ele dá o passe – disse o zagueiro, para completar exaltando a força do próprio Grêmio:

– Mas a qualidade no Grêmio também é grande, eles terão de tomar o mesmo cuidado com a gente.

Ele aproveita a oportunidade para também distribuir elogios aos companheiros.

– Aqui do Grêmio eu dou várias opções, a começar pelo Jonas nosso artilheiro. Tem o Douglas. O pessoal esquece do Lúcio ali pela esquerda. O Gabriel é um jogador de muita qualidade. Tudo passa pela retaguarda, os jogadores de ataque têm de estar tranquilos com a defesa.

Perguntado se a fase recente do goleiro Renan, contestado após sofrer gols em cobranças de faltas, pode facilitar a vida tricolor, Douglas lembra que em clássicos os bons jogadores crescem:

– Mas a gente sabe que na hora do clássico isso pode reverter, ele pode fechar o gol. Isso aconteceu no primeiro turno, ele fez boas defesas, e o Gre-Nal terminou empatado. A gente tem a bola parada forte, tem algumas jogadas. Vamos esperar para ver o que acontece.

Os seis mosqueteiros de Renato Gaúcho: reforços fazem sucesso

Diego, Gabriel, Gilson, Vilson, Júnior Viçosa e Paulão, jogadores indicados pelo técnico e ídolo, têm bom desempenho com a camisa do Grêmio

Gremistas têm vertigens, queda de pressão arterial e perda de respiração quando escutam, tratando-se de reforços, a expressão ‘indicado pelo treinador’. Reações provocadas pelo recente trauma dos desacertos nos pacotes de contratações do início da temporada.

Silas deixou o Avaí e levou consigo jogadores recomendados ao Grêmio: William, Ferdinando, Ozéia e Uendel. Nenhum emplacou. No mesmo período, o São Paulo também se tornou referência, com as chegadas de Leandro, Hugo e Rodrigo. Índice de acerto próximo do zero – Hugo e Rodrigo, assim como William e Uendel, até já deixaram o clube. Edilson, outro atleta indicado pelo ex-técnico gremista, é reserva contestado pelos tricolores.

Então chegou Renato Gaúcho, e com ele seis reforços. O novo treinador do Grêmio teve autonomia para assinar embaixo de cada contratação. À exceção de Gabriel, conhecido pela torcida, todos se perguntavam: quem é Paulão? E Gilson? Quem são Júnior Viçosa e Diego Clementino? De onde vem o Vilson?

As procedências também assustaram. Renato, que treinava o Bahia, foi buscar na Série B os jogadores que observara na disputa da Segundona. Nas manchetes da imprensa gaúcha, estavam os nomes de América-MG, ASA-AL e Paraná, além do Grêmio Prudente, lanterna do Brasileirão. Desconfiança generalizada.

Todos eles, entretanto, apresentaram-se à torcida com boas atuações. O êxito obtido por Renato ao indicar jogadores desconhecidos dos gremistas é fácil de se observar. Na vitória de 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no último domingo, todos entraram em campo – quatro deles como titulares.

Vilson conquistou a titularidade improvisado como volante, tendo como consequência a afirmação de Paulão na zaga; Gabriel é incontestável lateral-direito; Júnior Viçosa substituiu o lesionado André Lima, e marcou um gol; Gilson entrou no segundo tempo, com chances de desbancar Fábio Santos na lateral-esquerda; e Diego Clementino, atacante que marcou dois gols nas duas primeiras partidas pelo Grêmio, entrou no final da partida.

Das arquibancadas vêm o reconhecimento. Paulão e Vilson ouvem seus nomes gritados a cada desarme viril. Gabriel é ídolo de uma torcida que sentia saudades de Arce e Anderson Lima. Viçosa deixou o campo aplaudido, assim como Diego entrou aclamado pela torcida. E Gilson tem a titularidade reivindicada por aqueles que criticam Fábio Santos.

Saiba mais sobre os reforços indicados por Renato:

Situação Procedência
Diego Clementino
Tem contrato até 31/12/2011. Grêmio adquiriu do jogador 60% dos direitos, pagando R$ 300 mil. A prioridade de renovação está prevista em contrato. Estava no América-MG
Gabriel
Tem contrato até 30/06/2011. Empréstimo, pertence ao Panathinaikos. Gregos cederam o atleta sem custos ao Grêmio
Gilson
Tem contrato até 31/12/2011. Empréstimo, está vinculado ao Paraná Grêmio adquiriu um percentual, investindo cerca de R$ 300 mil na negociação com o Paraná
Júnior Viçosa
Tem contrato até 25/12/2010. Grêmio adquiriu pouco menos de 60% dos direitos do jogador junto ao ASA-AL, por R$ 1,2 milhão A prioridade de renovação está prevista em contrato.
Paulão
Tem contrato até 15/05/2011 Empréstimo, está vinculado ao Grêmio Prudente
Vilson
Tem contrato até 31/12/2010. Empréstimo com prioridade na renovação, pertence ao Madureira Estava no Vitória

Grêmio vence e cola na Libertadores. Cruzeiro mantém a liderança

Jogão no Olímpico tem camisas 10 em destaque e marca do artilheiro Jonas. Tricolor ganha por 2 a 1, de virada

A esperança veste azul. O azul do Grêmio. O Tricolor incorporou a garra que sua tradição exige e deu um jeito de vencer o líder do Campeonato Brasileiro de virada no Olímpico. O Cruzeiro largou na frente com seu maestro, o argentino Montillo. Júnior Viçosa empatou, e Jonas, de pênalti, derrubou a Raposa na tarde deste domingo.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O resultado catapulta o sonho de vaga na Libertadores do Grêmio. A equipe de Renato Gaúcho, a melhor do segundo turno, subiu para 46 pontos, na sétima colocação. São quatro a menos do que o Corinthians, atual último classificado para a competição continental. A Raposa, 54, se manteve na ponta graças ao empate do Fluminense, agora com 53, no clássico contra o Botafogo.

Agora, as duas equipes passam a estudar seus maiores rivais. O Grêmio recebe o Inter às 18h30m de domingo. No mesmo dia e horário, o Cruzeiro duela com o Atlético-MG.

Montillo, Douglas e a bola

Montillo é o típico jogador que, já no berço, parece ter feito um pacto com a bola: onde ele vai, ela tem que ir junto; por onde ela circula, ele passeia atrás. O camisa 10 do Cruzeiro não precisa de extravagância para ser o núcleo do time mineiro. Drible discreto também é drible bonito, lançamento discreto também é lançamento bonito. E gol é sempre gol. Foi ele, aos 28 minutos do primeiro tempo, quem colocou o Cruzeiro na frente.

Douglas é o típico jogador que, já no berço, parece ter recebido um ímã capaz de atrair couro, capaz de atrair bola. É o clássico camisa 10 que vai a campo com um controle remoto embutido: basta apertar um botão mental para colocar a bola onde bem entende. Foi dele, aos 48 minutos do primeiro, um passe daqueles que só meias como ele (e Montillo) sabe dar. Jonas concluiu, Fábio espalmou, Júnior Viçosa marcou.

O estalo de genialidade dos dois articuladores foi o que de melhor aconteceu no primeiro tempo. Nos minutos iniciais, a qualidade de um time freou a ambição do outro. O temor parecia vencer a ambição. O Grêmio, empurrado pela torcida, resolveu ameaçar antes. Lúcio, de fora da área, obrigou Fábio a fazer grande defesa.

Montillo parecia bem controlado pelo sistema defensivo do Grêmio. Mas era a velha situação do “me engana que eu gosto”. Quando o Tricolor comeu mosca, ele aproveitou. Léo pegou a sobra de cruzamento pelo lado esquerdo da área e fez lançamento precioso para o outro lado. A bola caiu justamente no pé de Montillo. No primeiro chute, a bola parou em Fábio Rochemback. Mas ela tem um pacto com o argentino. Voltou de novo no pé dele. Aí foi corte para cima de Fábio Santos, zaga desnorteada, Victor batido. Belo gol do Cruzeiro.

O Grêmio ficou grogue. O gol fez o time gaúcho cambalear. Montillo cresceu de vez na partida, passou reto pelos marcadores, centralizou todas as jogadas. Mas, curiosamente, foi o Tricolor quem criou chances. Fábio defendeu dois chutes de longe: um de Vilson, outro de Jonas. E aí brilhou o camisa 10 gremista.

Douglas conduziu a bola pela ponta direita, encarou a marcação olho no olho de Fabrício e acionou o controle remoto que tem dentro da chuteira. O passe, em diagonal, foi matemático, como se ele tivesse calculado cada centímetro. Jonas chutou já ao receber, e Fábio espalmou. No rebote, Júnior Viçosa completou para o gol. Eram 48 minutos de um primeiro tempo desenhado por dois jogadores vestidos com a camisa 10.

Grêmio vira, e Jonas se torna o maior artilheiro do clube em um Brasileiro

Um contrato sugerindo o empate não teria sido assinado por Grêmio e Cruzeiro no retorno do intervalo. Estava na cara das duas equipes que era vencer ou vencer. Montillo, pela Raposa, voltou a ameaçar, mas o chute passou por cima do gol de Victor. O Tricolor reagiu com chute de Júnior Viçosa. E depois com uma chance clara de Jonas e Lúcio.

Começou com o atacante. Jonas arriscou chute forte, rasante, de fora da área. Fábio voou na bola e conseguiu desviá-la o suficiente para que ela batesse na trave. No rebote, Lúcio tinha tudo para fazer o gol, mas concluiu para fora. Incrível.

O Cruzeiro teve um gol mal anulado. Gilberto cruzou da esquerda, e Wellington Paulista, em posição legal, cabeceou para a rede. A arbitragem viu impedimento. Viu errado. Minutos depois, Thiago Ribeiro derrubou Gilson dentro da área. Pênalti para o Grêmio.

Jonas, artilheiro do Brasileirão, pegou a bola para a cobrança. Goleador que é goleador bate duas vezes. E marca em ambas. Na primeira, houve invasão da área pelos gremistas. Na segunda, valeu. Chute forte, corrida para a torcida, Olímpico em festa: foi o 20º gol do camisa 7 na competição. A marca é histórica: ele se torna o maior goleador do clube numa mesma edição do Brasileiro.

O resto foi coração. O Cruzeiro partiu para cima, incomodou, ameaçou. O Grêmio reagiu no contra-ataque. Em dois lances, poderia ter matado o jogo. Não fez, mas também não levou. Que jogo…

GRÊMIO X CRUZEIRO
Victor, Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos (Gilson); Vilson, Fábio Rochemback, Lúcio e Douglas; Jonas (Diego Clementino) e Júnior Viçosa (Ferdinando). Fábio, Jonathan, Léo, Edcarlos e Pablo (Gilberto); Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná (Roger) e Montillo; Wellington Paulista e Thiago Ribeiro (Farias).
Técnico: Renato Gaúcho Técnico: Cuca
Estádio: Olímpico, em Porto Alegre. Data: 17/10/2010. Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa/SP). Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa/PR) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)
Gols: Montillo, aos 28, e Júnior Viçosa, aos 48 minutos do primeiro tempo; Jonas, aos 29 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Fábio Santos, Douglas, Ferdinando (Grêmio); Montillo, Marquinhos Paraná, Fabrício, Léo (Cruzeiro).
Público: 41.435. Renda: R$ 914.890,50.

Cruzeiro defende liderança contra Grêmio no Sul

Raposa e Tricolor Gaúcho têm as melhores campanhas do returno do Campeonato Brasileiro

O Cruzeiro defenderá a liderança do Campeonato Brasileiro neste domingo, às 16h, contra o Grêmio, no Olímpico. Para brecar o
time que é líder do returno, a Raposa chega a Porto Alegre com o melhor aproveitamento como visitante. Foram seis vitórias,
quatro empates e apenas quatro derrotas jogando longe de Minas Gerais.

Além do bom retrospecto nos domínios rivais, o time de Cuca tem como destaque a defesa. Foram 26 gols sofridos em 29 rodadas.
Há quatro jogos, o goleiro Fábio não é superado. Bom desempenho para quem enfrentará Jonas, artilheiro do Brasileirão com 19
gols.

Pontos fortes de cada time à parte, o técnico Cuca analise o Grêmio como um conjunto e não poupa elogios ao rival.
– O Grêmio vive um grande momento, está na liderança do returno, junto conosco, 23 pontos, grandes campanhas. O Grêmio tem
jogado um grande futebol, técnico, vistoso, o que faz o jogo ser difícil – comentou o treinador da Raposa.

Para o desafio no Olímpico, o Cruzeiro tem o reforço do meia Montillo, referência do time, que se
recuperou de dores na panturrilha direita. O zagueiro Caçapa, por sua vez e o lateral-esquerdo Diego Renan, com uma amigdalite, são os desfalques do setor defensivo.

Cuca deverá escalar Léo na zaga e manter Pablo na lateral esquerda. O banco de reservas, contudo, tem o reforço do experiente Gilberto, depois de passar 19 rodadas no estaleiro.

Ainda de olho numa vaga para a Libertadores do ano que vem, o Grêmio aposta mais uma vez suas fichas nos gols do artilheiro Jonas para derrotar o líder Cruzeiro. Para isso, o técnico Renato Gaúcho, mais em alta do que nunca com a torcida gremista, vai contar com a volta do goleiro Victor, que estava servindo a Seleção Brasileira. Em contrapartida, o treinador e ídolo tricolor pode ficar sem o atacante André Lima, que se lesionou num treinamento durante a semana.

– Ele (André Lima) será reavaliado, caso não possa jogar, Diego ou Viçosa entram – disse Renato Gaúcho.

Sendo assim, a tendência é a de que Renato opte pela entrada do recém-contratado Júnior Viçosa na frente. Já no meio de campo, Fábio Rochemback volta do departamento médico e Vilson segue improvisado no lugar de Adilson. O jovem volante gaúcho não está em sua plena forma física.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO X CRUZEIRO

Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS).
Data/hora:17/10/2010, às 16h (de Brasília).
Árbitro: Paulo César Oliveira (SP).
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO).

GRÊMIO: Victor, Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Fabio Santos; Lucio, Vilson, Fábio Rochemback e Douglas; Jonas e André Lima (Júnior Viçosa). Técnico: Renato Gaúcho.

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Léo, Edcarlos, Pablo; Fabrício, Marquinhos Paraná, Henrique, Montillo; Thiago Ribeiro e Wellington Paulista. TÉC: Cuca.

Crescimento do Grêmio faz Victor sonhar até com título brasileiro

Goleiro tricolor filosofa antes de enfrentar o líder: ‘O impossível é o possível que não foi tentado’

Victor deixa seus sonhos voarem alto. O ídolo gremista, animado pela recuperação do Tricolor no segundo turno do Campeonato Brasileiro, lamenta que a arrancada não tenha acontecido antes. Mesmo assim, ele abraça a calculadora para ainda acreditar em título nacional. A tabela autoriza a ambição do camisa 1. Nas duas próximas rodadas, o Grêmio recebe Cruzeiro e Inter, dois candidatos ao título nacional.Victor se apega à matemática. Para ele, enquanto os números derem esperanças, é preciso ter confiança.

– Se a matemática nos dá essa possibilidade, vamos acreditar até o final. O impossível é o possível que não foi tentado. Vamos tentar. Com o crescimento que estamos tendo, podemos sonhar – disse o goleiro.

O Grêmio tem a melhor campanha do returno do Brasileirão, ao lado justamente do Cruzeiro, o adversário deste domingo. Uma vitória no Olímpico pode ser o aviso de que não é só com a vaga na Libertadores que o Tricolor tem direito a sonhar.

– Uma vitória fará com que o time suba ainda mais na tabela. Para as pretensões que temos na competição, temos que pensar em uma vitória. Seria muito importante – afirmou Victor.

O Grêmio tem 43 pontos, na oitava colocação. São 11 de distância para o Cruzeiro e seis a menos do que o Corinthians, atual último classificado para a Libertadores.