Grêmio sofre pressão mas resiste ao empate

Defesa vacila na primeira etapa, mas Rafael Moura salva a equipe, em bela cobrança de pênalti

O Goiás pode bater no peito e dizer que o resultado da partida desta quinta-feira, contra o Grêmio, pela Sul-Americana, foi injusto. A equipe esmeraldina foi superior durante praticamente os 90 minutos, mas sofreu um gol após vacilo da defesa e acabou ficando no empate por 1 a 1, no Serra Dourada. Rafael Moura marcou o gol do mandante, de pênalti.

Se por um lado o Goiás não contava com o forte apoio da torcida (praticamente inexistente no estádio), por outro tinha no banco de reservas o técnico Emerson Leão e em campo o atacante Rafael Moura.

Como a Sul-Americana não é organizada pela CBF, eles não precisaram cumprir suspensão por conta dos incidentes com um jornalista baiano.

A equipe gaúcha, com um meio de campo sonolento, apostava nas ligações diretas para o ataque, buscando a dupla Jonas e Borges. Para piorar, a defesa – principalmente o goleiro Victor, convocado para o próximo amistoso da Seleção – exibia muita insegurança nas jogadas aéreas.

Já no Goiás, Rafael Moura, o He-Man, mostrava que ainda tinha a força. Ele foi o destaque do time na primeira etapa, se movimentando e concluindo ao gol. Ele teve duas boas oportunidades aos seis minutos e depois aos 20, de cabeça.

Os comandados de Emerson Leão tocavam melhor a bola e proporcionavam maior volume de jogo, mas a pontaria não era das melhores. E como já diz o velho – e já batido – ditado futebolístico: Quem não faz, leva.

Aos 35 minutos, Douglas lançou Maylson, que deu lindo passe de calcanhar para Hugo, improvisado por Silas como ala-esquerdo. Ele ganhou de Carlos Alberto e bateu no canto, abrindo o placar para o Grêmio.

HE-MAN EMPATA O JOGO NO SEGUNDO TEMPO

Atrás no placar, o time goiano passou a levar mais jogadores para o campo de ataque e, consequentemente, deixar buracos na defesa. Ciente disso, o Grêmio procurou explorar os contra-ataques – algo que não acabou não conseguindo.

Aos 17 minutos, o Goiás teve uma grande oportunidade, mas Carlos Alberto a desperdiçou. Ele recebeu passe milimétrico de Jonilson e, quando estava cara a cara com Victor, decidiu tentar o passe, em vez de chutar.

O ímpeto goiano quase foi recompensado aos 28 minutos. Júnior cruzou da esquerda e Pedrão desviou para o fundo do gol, já dentro da pequena área. Porém, o impedimento havia sido assinalado.

Aos 31, finalmente veio o prêmio pelo esforço (que ainda não foi visto no Brasileiro após a Copa do Mundo). Wellington Monteiro foi derrubado dentro da área por Fábio Santos. Rafael Moura cobrou o pênalti no ângulo, indefensável.

A vantagem que o Grêmio tinha conseguido na primeira etapa (desmerecidamente) foi pulverizada. Uma punição pela passividade em campo, principalmente na marcação.

Ao sair de campo, os jogadores do Goiás devem ter ficado com um gostinho amargo. Afinal, mereciam um resultado melhor.

FICHA TÉCNICA
GOIÁS 1 X 1 GRÊMIO

Local: Estádio Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/Hora: 5/8/10 às 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo Henrique (BRA)
Assistentes: Milton Rodriguez (BRA) e Márcio Santiago (BRA)
Renda: R$ 36.040,00
Público: 2.453 pagantes
Cartões Amarelos: Adilson e Fábio Santos (GRE)
Cartões Vermelhos: Nenhum
Gols: Hugo (0-1), 35’/1°T; Rafael Moura (1-1), 31’/2°T;

GOIÁS: Harlei; Carlos Alberto (Romerito, 20’/2°T), Toloi, Ernando e Júnior; Jonílson, Amaral, Wellington Monteiro e Bernardo (Pedrão, 12’/2°T); Éverton Santos (Felipe, 12’/2°T), e Rafael Moura. Técnico: Emerson Leão.

GRÊMIO: Victor, Ozéia, Rafael Marques e Rodrigo; Maylson (Edilson, 35’/2°T), Ferdinando, Adilson, Douglas e Hugo (Fábio Santos, 22’/2°T); Jonas e Borges (André Lima, Intervalo). Técnico: Silas.