Para Victor, convocação afasta trauma de não ser chamado para Copa

Goleiro admite mágoa por não ter sido chamado por Dunga e diz que vai tentar se firmar na Seleção Brasileira de Mano Menezes

A primeira convocação de Mano Menezes como técnico da Seleção Brasileira, nesta segunda-feira, serviu, entre outras coisas, para espantar o trauma do goleiro Victor. O camisa número 1 do Grêmio afirmou que ficou muito chateado por não ter ido à última Copa do Mundo, mas se disse muito feliz e confiante com o chamado do novo comandante.

– Estou muito feliz, muito feliz mesmo. Acho que a convocação da Copa tinha sido meio traumática, foi uma situação que me chateou bastante, mas agora é um projeto novo, tudo novo. Fico feliz por poder estar iniciando com o Mano nessa nova era e vou tentar me firmar como goleiro da Seleção – declarou.

Victor disse que, desta vez, não criou tanta expectativa pela convocação, mas não deixou de acompanhar nome por nome a lista divulgada por Mano Menezes esta tarde. Segundo o goleiro, quando saiu seu nome, lá no fim – já que começa com V, e a leitura foi feita em ordem alfabética – o vestiário gremista vibrou como se tivesse sido marcado um gol.

– Eu estava fazendo o trabalho pós-jogo e acompanhando, e foi em ordem alfabética, o que me torturou um pouco. Até falei para a minha mãe que ela poderia ter colocado meu nome de Abraão, algo assim (risos). Mas foi legal. Eu até achei que ele iria convocar só dois goleiros, então depois que ele falou Jefferson e Renan, achei que eu estava fora. Quando ele falou meu nome, a vibração no vestiário foi como se fosse uma comemoração de gol do Grêmio – contou.

O goleiro não esconde que o fato de não ter sido convocado para a Copa pode ter afetado o desempenho dele dentro de campo.

– Pode ter atrapalhado no início, se criou uma expectativa muito grande. Quando não é convocado, fica um aborrecimento, mas procurei trabalhar em cima disso, fazer com que não afetasse. Alguma coisa acaba levando para dentro do campo, mas tem que cuidar para não atrapalhar – destacou.

O primeiro amistoso da Seleção Brasileira de Mano Menezes será dia 10 de agosto, nos Estados Unidos, contra a seleção do país.

Victor ainda pensa em voltar à Seleção

Goleiro do Grêmio admite que errou contra o Vasco

Em uma partida marcada pela forte chuva, o Grêmio só ficou no empate por 1 a 1 com o Vasco, nesta quarta-feira, no Olímpico. O goleiro Victor admitiu que falhou no gol da equipe carioca. Mesmo com uma temporada abaixo da média, ele ainda espera ser convocado para a Seleção Brasileira.

Logo no início do jogo contra o Vasco, Carlinhos cruzou na área e Nunes desviou de cabeça. A bola ainda desviou em Ozeia, antes de passar por debaixo dos braços de Victor. Para o goleiro gremista, o gol poderia ter sido evitado.

– Não temos que ficar justificando, mas não só eu como todo o mundo foi traído pela chuva. A bola era defensável, mas em um campo ‘normal’ daria um quique diferente. Ela amorteceu na poça d’água e pegou velocidade – revelou Victor.

Mesmo tendo sido descartado por Dunga para a Copa do Mundo deste ano, o camisa 1 do Grêmio, com 27 anos, acredita ter chances de disputar o Mundial de 2014, que será realizado aqui no Brasil.

– A expectativa é a mesma que eu vivi pela convocação para a Copa do Mundo. Vou procurar seguir fazendo meu trabalho, tenho feito bons jogos e isso é o que pode me levar para a Seleção. O que vai me levar até a seleção são bons jogos e títulos – concluiu.

Silas não confirma, mas dá indícios de troca de esquema contra Cruzeiro

Treinador revela que já teve boas referências de Hugo na ala

O meia Hugo foi testado na ala esquerda no treino desta sexta-feira e pode aparecer na função diante do Cruzeiro, domingo, 16h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Sem Neuton e Fábio Santos, a outra opção seria a entrada do garoto Denner na partida que vale pela 11ª rodada do Brasileirão. O técnico Silas não confirmou a improvisação do jogador que veio do São Paulo, mas disse ter boas referências quando viu o atleta atuando por ali.

– É uma ideia. É um treinamento que estamos fazendo. Aparentemente o Cruzeiro está sem Wellington Paulista e Gilberto. Estamos treinando essa possibilidade, e chegando a um acordo podemos usar essa situação. O Hugo já trabalhou ali comigo e quando trabalhou foi muito bem – disse Silas.

A entrada de Hugo na ala esquerda acarretaria em uma mudança de esquema na equipe gremista, que passaria a atuar com três zagueiros.

– Não vejo problema nenhum. Quando vemos algum tipo de insegurança em algum setor, não vemos por que não usar variações que já utilizamos. No Maracanã, tirei Leandro e (Willian) Magrão no intervalo, coloquei Rafael Marques e Rochemback. Naquele jogo, o Hugo atuou na ala no segundo tempo e foi muito bem ali. Ganhamos o jogo até com certa tranquilidade, sofrendo gol por erro nosso.

O experiente Rodrigo deve ser confirmado como líbero. Ozeia e Rafael Marques serão os outros jogadores de defesa.

– O Rodrigo jogou no São Paulo como líbero. Em algumas posições preciso de alguém que já fez. Preciso de um cara rápido ali, o Rodrigo, e dois que marquem. Não tem mistério, não tem dificuldade – afirmou o treinador.

A equipe contra o Cruzeiro deve ter, no 3-5-2: Victor; Ozeia, Rodrigo e Rafael Marques; Edilson, Adilson, Fabio Rochemback, Maylson e Hugo; Jonas e Borges.

Grêmio sem lateral pode mudar esquema tático

Silas pode optar por formação com três zagueiros

O técnico Silas pode recorrer ao esquema tático 3-5-2 para enfrentar o Cruzeiro, domingo, na Arena do Jacaré. O Grêmio poderá entrar com três zagueiros e o meia Hugo improvisado na ala-esquerda.

É que Neuton cumprirá suspensão e os outros laterais – Fábio Santos, Lúcio, Uendel – estão no departamento médico.

– É possível que eu recorra a isso – admitiu Silas.

Na última vez que ele usou o 3-5-2 – no primeiro tempo do jogo contra o Santos, pela semifinal da Copa do Brasil –, o resultado foi desastroso: Hugo não marcou, o Grêmio tomou dois gols e o ataque não funcionou. O rendimento só melhorou quando o time voltou ao 4-4-2 na segunda etapa, tanto que acabou vencendo por 4 a 3.

A outra alternativa é manter o atual esquema tático e improvisar um jogador na lateral-esquerda. Pode ser o volante Fernando, que foi lateral-direito contra o Vasco.

Para a partida em Sete Lagoas, o treinador terá de volta três titulares que cumpriram suspensão: o lateral-direito Edilson, o zagueiro Rodrigo e o meia Douglas.

Victor diz que Grêmio recuperou a pegada e pode superar o Cruzeiro

Goleiro reconheceu que foi traído pelo péssimo estado do gramado na partida contra o Vasco

Mesmo após o tropeço dentro de casa contra o Vasco, nesta quarta-feira, o goleiro Victor conseguiu fazer uma avaliação positiva da partida. O placar de 1 a 1 manteve o Tricolor na zona de rebaixamento do Brasileirão, em 17º lugar, mas, segundo ele, a falta de atitude nos jogos contra Vitória e Grêmio Prudente ficou para trás. Debaixo de uma forte chuva, que deixou o gramado do estádio Olímpico completamente alagado, os jogadores demonstraram raça e uma nova atitude.

– Os dois jogos anteriores serviram de alerta, conversamos bastante. Precisávamos mudar e essas mudanças já foram visíveis contra o Vasco – disse o camisa 1.

Em condições normais, o capitão tricolor afirma que o Grêmio sairia com a vitória sobre os cariocas. Mas o gramado pesado não permitiu que a bola rolasse em Porto Alegre. Com os pontos perdidos dentro de casa, o objetivo passa a ser a recuperação contra o Cruzeiro, no próximo domingo, em Minas Gerais.

– Comentávamos antes do treino que se o campo nos desse melhores condições, a vitória viria. Criamos oportunidades mesmo naquelas condições. Tenho certeza que no domingo, aliado a esse empenho, nossa equipe vai conseguir fazer melhor – frisou.

No gol do Vasco, Victor admitiu que foi traído pelo péssimo estado do gramado.

– Não temos que ficar justificando. Não só eu, como todo mundo foi traído. Aquela bola é defensável, mas bateu na poça, correu. Fui traído em outros lances. Fazer análise técnica é impossível – comentou.

Como o Mineirão está fechado para reformas para a Copa de 2014, o jogo contra o Cruzeiro será realizado em Sete Lagoas, no interior. Victor não conhece o palco onde será realizada a partida, mas sabe bem da força do adversário.

– Não conheço, mas parece que oferece boas condições. Em relação ao Cruzeiro, parece uma equipe rápida, com toque de bola. O que puder ser feito para diminuir a posse de bola deles, melhor – analisou.

Debaixo d’água, Grêmio e Vasco empatam no Sul e seguem no Z-4

Após primeiro tempo movimentado, equipes têm dificuldade de atuar na etapa final. Árbitro ignora pênalti a favor dos gaúchos no fim da partida

Debaixo de um forte temporal que castigou Porto Alegre na noite desta quarta-feira, Grêmio e Vasco empataram por 1 a 1, no Olímpico, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado manteve as duas equipes na zona de rebaixamento. Enquanto os cariocas continuam em ascensão após a pausa para a Copa do Mundo – dois empates e uma vitória – os gaúchos seguem sem vencer após a retomada da competição. No fim do jogo, Borges teve a chance de dar a vitória aos donos da casa, mas Titi, dentro da área, cortou a bola com o braço. O árbitro Heber Roberto Lopes ignorou a penalidade.

O resultado deu mais confiança ao Vasco para a sequência do Campeonato Brasileiro. No Grêmio, o técnico Silas está ameçado por conta da campanha irregular.

Com o empate, o Vasco chegou aos dez pontos e permaneceu na 18ª colocação. O Grêmio tem o mesmo número e está  uma posição acima. Os gaúchos ganham dos cariocas no saldo de gols (-3 a -5). Na próxima rodada, o Gigante da Colina vai enfrentar o Atlético-GO, no sábado, às 18h30m, em São Januário. O Tricolor pega o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, no domingo, às 16h.

Cariocas abrem o marcador, mas Tricolor deixa tudo igual dois minutos depois

//

Debaixo de forte temporal, as duas equipes fizeram o possível para tentar chegar ao ataque. E o primeiro tempo foi movimentado. Logo aos cinco minutos, Carlinhos cobrou falta da esquerda, Nunes subiu mais do que os adversários e cabeceou para o gol. A bola parou em uma poça na pequena área. No  lance seguinte, também em uma bola parada, o centroavante vascaíno aproveitou cruzamento na área para roçar de cabeça e colocar o Vasco em vantagem.

Não demorou para o Grêmio empatar a partida. Aos oito, Borges recebeu pelo lado esquerdo, tocou para Maylson, que rolou para Jonas na entrada da área. O atacante percebeu Fernando Prass um pouco adiatando e chutou colocado para igualar o marcador no Olímpico. Um minutos depois, após bobeada de Victor, que não saiu gol, Nilton quase marcou. O volante driblou o goleiro e chutou na rede pelo lado de fora.

E para quem achava que o jogo seria arrastado por conta do temporal se enganou. Aos dez, Hugo cruzou da esquerda e Jonas, dentro da pequena área, errou a conclusão por muito pouco. Dois minutos depois, Jonathan foi lançado, ganhou de um adversário e dividiu com o goleiro Victor. Na sobra, o apoiador tentou encobrir o camisa 1 tricolor, mas errou o alvo.

O Vasco teve a chance mais clara de ficar à frente do marcador aos 20. Jonathan cruzou para Fumagalli dentro da área. O meia dominou com o pé direito e chutou de primeira com a canhota. A bola explodiu no travessão do Grêmio. Um minuto depois, Borges passou por Titi, invadiu a área e finalizou por cima do gol de Prass.

Os donos da casa ainda tiveram uma ótima chance aos 40. Adilson chutou de fora da área e Fernando Prass defendeu em dois tempos. Apesar do temporal, os dois times mostraram qualidade para atuar debaixo d’água.

Temporal piora, e equipes não consegue bom rendimento na etapa final

//

O Vasco foi quem teve a primeira chance de desempatar a partida no segundo tempo. Aos sete, Jonathan recebeu ótimo lançamento, tentou driblar Victor, mas o goleiro deu um tapinha na bola para evitar o gol dos cariocas. A partir do lance vascaíno, o campo ficou carregado, cheio de poças visíveis e que dificultavam as ações dos jogadores de ambas as equipes. Era difícil das sequências às jogadas.

O Grêmio voltou a assustar aos 18. Fábio Rochemback bateu falta da direita na cabeça de Borges. O atacante subiu mais do que Dedé, mas errou o alvo. A bola passou por cima do gol de Fernando Prass. O Vasco assustou os donos da casa em  uma cobrança de falta de Léo Gago, aos 22. O volante chutou e a bola passou à direita de Victor.

A partida caiu muito de produção. As duas equipes tentavam chegar ao gol com chutões. E foi o Grêmio quem teve uma oportunidade clara de marcar. Aos 29, Maylson recebeu ótimo passe de Borges dentro da área. O jogador demorou a finalizar e a defesa do Vasco afastou o perigo.

Aos 43, Borges aproveitou bobeada da defesa do Vasco, driblou Fernando Prass e soltou a bomba. Na corrida, o zagueiro Titi, dentro da área, cortou a bola com o braço e evitou o gol da derrota vascaína. O árbitro Heber Roberto Lopes ignorou a penalidade (veja o lance no vídeo acima). No fim da partida, os torcedores gaúchos pediram a saída de Silas: “Adeus, Silas!”

GRÊMIO 1 X 1 VASCO
Victor; Fernando (Saimon), Ozeia, Rafael Marques e Neuton; Adilson, Fábio Rochemback, Maylson (André Lima) e Hugo (William Magrão); Jonas e Borges. Fernando Prass, Fágner (Jumar), Dedé, Titi e Carlinhos; Nilton, Rafael Carioca, Rômulo e Fumagalli (Léo Gago); Jonathan (Elton) e Nunes
Técnico: Silas Técnico: Paulo César Gusmão
Gols: Nunes, aos seis minutos, Jonas, aos oito minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Fernando, Neuton (Grêmio); Nunes (Vasco)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR-Fifa)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Local: Olímpico, Porto Alegre (RS).

Borges pede apoio da torcida para superar mau momento no Grêmio

Atacante afirma que o grupo está comprometido com o clube

Desde a derrota para o Grêmio Prudente, que colocou o Grêmio na zona de rebaixamento do Brasileirão, em 17º lugar, muitas conversas ocorreram em busca do diagnóstico para a má fase da equipe. Nesta terça-feira, durante a reapresentação do grupo para o jogo contra o Vasco, mais uma reunião entre dirigentes, comissão técnica e atletas foi realizada.

O atacante Borges não entrou em detalhes, mas garante que todos os jogadores estão comprometidos com o futuro do clube e pede o apoio da torcida tricolor no jogo que começa às 21h50m desta quarta-feira, no Olímpico, pela décima rodada.

– Conversas existem sempre. Tudo o que acontece aqui é muito interno, não temos que expor. Pedimos que, nesse momento, a torcida venha apoiar o time. Eles nunca nos abandonaram e contra o Vasco podem nos ajudar de novo – disse Borges.

Sobre a situação do técnico Silas, que pode ser demitido caso a equipe não obtenha uma vitória diante dos cariocas, o goleador disse que o elenco não se preocupa com isso.

– Não podemos trabalhar com hipóteses. Se acontecer, se não acontecer… até amanhã muita coisa pode acontecer e dentro do grupo não foi falado de situação de A ou B sair. O importante é que temos um jogo e precisamos do apoio para dar a volta por cima. O pacto não teve. A pressão é em cima de todos os jogadores, o trabalho é em conjunto. Nós temos qualidade, conquistamos títulos e almejamos é buscar mais títulos, não ficar na parte de baixo da tabela – afirmou.

Suspensos pelo terceiro cartão amarelo, Edilson, Rodrigo e Douglas não enfrentam o Vasco. Fernando entra na lateral direita. Ozeia será o zagueiro ao lado de Rafael Marques, que não treinou nesta terça-feira, mas joga. Maylson entra no meio.

A equipe começa diante do Vasco com: Victor, Fernando, Ozeia, Rafael Marques e Neuton; Adilson, Fabio Rochemback, Maylson e Hugo; Jonas e Borges.