Autuori tenta dar fim a polêmica no Grêmio

Técnico chamou Souza e Tcheco para conversar


Autuori pediu a jogadores para resolverem problemas internamente

Autuori pediu a jogadores para resolverem problemas internamente


Sério, emburrado, sem querer conversa com ninguém – assim estava Tcheco no treino do Grêmio na tarde desta terça-feira. No vestiário, em conversa particular com Paulo Autuori, o técnico lhe dissera que não discorda da análise feita por ele após a derrota para o Barueri, domingo, mas não gostara do fato de ter sido feita em público.

Depois daquela partida, irritado com a sétima derrota da equipe, Tcheco disse que tem faltado aguerrimento em jogos fora de casa. Ouvido a respeito pouco depois, Souza botou lenha na fogueira, fazendo críticas ao colega – e as repetiu no dia seguinte, na chegada a Porto Alegre.

Depois de Tcheco, foi a vez de Souza ser chamado para conversar. O técnico pediu-lhe a mesma coisa: que as polêmicas se dêem apenas dentro do vestiário.(Depois da derrota para o Vitória, em Salvador, em 31 de maio, Souza fez duras críticas a Maxi López, que, ao ser entrevistado por uma rádio baiana, reclamara de ter recebido poucos passes).

Depois de conversar com cada um em particular, Autuori disse ao elenco como quer que as divergências sejam resolvidas. Depois, na entrevista coletiva, tratou de minimizar o caso.

– A mídia procura declarações, mas depois, se o atleta não fala, ela diz que há proibições. E o curioso é que o futebol é o único lugar em que as discordâncias têm essa repercussão toda. Sou o primeiro a defender a liberdade de opinião. Apenas achamos, e disse isso ao Tcheco, que é preciso escolher o momento e o lugar certos – disse Autuori.

Leandro liberado para negociar com o Grêmio

Atacante já avisou aos dirigentes que japoneses aceitaram proposta


Leandro pode ser repatriado pelo Grêmio

Leandro pode ser repatriado pelo Grêmio


Depois de anunciar o meia Renato, o Grêmio está pronto para contratar o atacante Leandro, ex-São Paulo. O presidente tricolor, Duda Kroeff, recebeu do jogador a notícia de que foi liberado pelo Verdy Tokyo (JAP). E está, assim, muito próximo do Olímpico.

– O Leandro está muito bem encaminhado. Não gosto de dizer que está certo sem estar com a documentação assinada. Mas tenho fé que anunciaremos ele nos próximos dias – disse à Rádio Gaúcha.

Além de avisar que foi liberado pelos japoneses, Leandro garantiu aos dirigentes do Grêmio que o clube japonês aceitou a proposta feita pelos gaúchos para tê-lo em Porto Alegre.

– Quem nos comunicou da liberação foi o jogador, que disse que está tudo certo e que o clube aceitou a proposta do Grêmio – comentou, não revelando quanto o Grêmio pagará pelo jogador.

– Nós parcelamos o pagamento, assim fica mais fácil. É um sacrifício que vale a pena fazer. É um jogador que realmente incomoda a defesa adversária e tem um nível de qualidade acima da média.

Renato corre o risco de não atuar pelo Grêmio

Liminar determina que jogador retorne para a Ponte Preta


Renato estava no Al Ittihad, da Arábia Saudita

Renato estava no Al Ittihad, da Arábia Saudita


A Ponte Preta conseguiu uma liminar na Justiça do Trabalho nesta quarta-feira garantindo a volta do meia Renato ao time paulista. Assim, o Grêmio, que não achava que teria problemas para registrar o jogador, pode ficar sem seu mais novo reforço. A informação é da Rádio Gaúcha.

A Macaca entrou na Justiça Comum e na Fifa cobrando uma dívida do Al Ittihad, da Arábia Saudita, ex-clube do jogador. Isso porque os paulistas venderam o meia aos árabes, mas ainda não receberam o valor total da negociação.

No contrato de Renato há uma cláusula dizendo que se o pagamento não for totalmente efetuado, o jogador precisa se reapresentar em Campinas.

Desse modo, o Grêmio não poderá inscrever Renato enquanto tudo não for resolvido. Sobre a situação, o diretor-executivo de futebol do Grêmio, Mauro Galvão, lembrou que o Grêmio não participará do problema entre a Ponte e o time árabe.

– O Grêmio não tem nada a ver com esta história. A pendência é entre a Ponte Preta e o clube árabe. Se acontecer alguma coisa, eles é que terão que resolver – explicou.