Rospide aguarda Autuori e diz que não sentirá saudade do cargo

Técnico interino pretende seguir trabalhando na comissão técnica

SOCCER/

Em sua última partida como técnico interino do Grêmio, Marcelo Rospide viu o time perder para o Atlético-MG do antecessor Celso Roth, nesta tarde de sábado, pelo Brasileirão. E após a perda da invencibilidade no cargo, com a primeira derrota em sete jogos, Rospide concedeu uma entrevista ponderada no vestiário do Estádio Mineirão, projetando sua permanência no clube.

– Sou profissional do clube há bastante tempo. Vou aguardar o Autuori para saber o que ele espera de mim. Tranquilamente vou me adaptar às novas funções, sem nenhum ressentimento ou saudade – garante.

Perguntado sobre a possibilidade de esgotamento do 3-5-2, Rospide avaliou se há no Grêmio condições para Paulo Autuori trocar o sistema tático:

– Tem possibilidade para qualquer esquema, 4-4-2, 3-5-2, ou até mesmo outro – afirma.

Sobre a partida, Rospide se negou a comentar os lances polêmicos da arbitragem, como as reclamações de ofensas aos jogadores, e o pênalti duvidoso que deu a vitória ao Atlético-MG no último minuto de jogo.

Krieger critica arbitragem e alfineta Celso Roth

Dirigente acusa árbitro de prejudicar intencionalmente o Grêmio


André Krieger criticou e não perdeu a chance de duvidar da qualidade do Galo

André Krieger criticou e não perdeu a chance de duvidar da qualidade do Galo

O diretor de futebol do Grêmio André Krieger criticou a arbitragem de Wilson Luiz Seneme na partida entre Grêmio e Atlético-MG, neste sábado, no Mineirão. O dirigente acusou Seneme de estar mal-intencionado.

– Primeiro, o auxiliar dá tiro de meta, ele (Seneme) dá escanteio e sai o gol. Escanteio que não houve. Depois um pênalti inexistente. Incompetente ele não é, tem um currículo até razoável. O árbitro veio mal-intencionado, de forma a prejudicar o Grêmio – disse à Rádio Gaúcha e ao Portal Clicrbs.

Foi a primeira vez que o Grêmio reencontrou o técnico Celso Roth desde a saída do treinador do comando tricolor em abril. Perguntado sobre como foi ser derrotado por quem há pouco tempo estava ao seu lado, Krieger alfinetou Roth. E duvidou da qualidade do time atleticano.

– O Celso que vá fazer a vida dele, não estou nem um pouco preocupado. Espero que ele seja feliz, embora não veja assim grandes possibilidades, até em função da qualidade do Atlético – comentou à Rádio Gaúcha e ao Portal Clicrbs.

Pênalti no fim dá vitória para o Atlético-MG

Diego Tardelli quebra jejum de cinco jogos e Galo vence o Grêmio


Grêmio voltou melhor no segundo tempo

Grêmio voltou melhor no segundo tempo


O Atlético conseguiu a sua primeira vitória no Brasileirão no sufoco. O 2 a 1 sobre o Grêmio, neste sábado, no Mineirão, pela segunda rodada da competição, serviu para quebrar o jejum do artilheiro Diego Tardelli. De um lado Celso Roth conhecia como poucos os jogadores do Tricolor Gaúcho, já que foi o responsável pela montagem do grupo no começo desta temporada. Porém, do outro os jogadores sabiam bem como é o estilo do atual treinador alvinegro.

E no primeiro tempo o criador levou ampla vantagem sobre a criadora. O Galo foi dono da partida, partindo para cima, encurralando o Grêmio em seu campo de defesa. As oportunidades foram criadas com Thiago Feltri, Júnior, Éder Luís e Diego Tardelli. Este primeiro perdeu duas ótimas chances de gol cara a cara com o goleiro Victor, aos seis e aos 26 minutos de jogo. Mas quem desperdiçou a melhor chance da etapa foi aquele que viria a ser o salvador do Galo.

Diego Tardelli, ao desviar o chute de Éder Luis na pequena área, mandou a bola no travessão superior. A bola insistia em não queria entrar e o atacante, que vinha de um jejum de cinco jogos sem marcar parecia que iria ampliar a marca negativa.

No segundo tempo a história teve algumas modificações. O Tricolor voltou mais disposto a atacar e deixou a defesa do Galo em apuros. Juninho, que nem sujou o uniforme na primeira etapa, fez grandes defesas após a volta do intervalo. Os chutes de Maxi López, Souza e Tcheco morreram nas mãos do dono da camisa 1 do clube mineiro.

Mas o Atlético contava com um setor muito forte na noite de ontem. A dobradinha formada pelo jovem Thiago Feltri e o experiente Júnior na esquerda foi responsável pelo domínio do time de Celso Roth. Conhecedor das deficiências gaúchas na defesa pela direita, ele forçou o jogo naquela posição.

Aos 30 minutos do segundo tempo, o inspirado Thiago Feltri, que vem numa crescente nas últimas partidas, aproveitou cruzamento da direita, apareceu livre na área e anotou o primeiro gol do jogo.

Mas a alegria durou pouco tempo. Quatro minutos depois, num vacilo incrível do sistema defensivo atleticano, Herrera cabeceou livre de marcação, sem chance para o goleiro Juninho. O mesmo erro que tem derrubado o time em 2009.

Mas quem tem Tardelli não desiste nunca. O atacante voltou à tona na marcação de um pênalti duvidoso, aos 47 minutos do segundo tempo. Wilson Luiz Seneme viu a bola resvalar no braço de Joilson. Era a oportunidade que o camisa 9 precisava. Usou a paradinha e deslocou Victor, pondo fim ao jejum de cinco jogos sem marcar.

ATLÉTICO-MG 2 X 1 GRÊMIO

DATA/HORA: 16/05/09 às 18h30
LOCAL: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
ÁRBITRO: Wilson Luiz Seneme (SP)
AUXILIARES: Nilson de Souza Monção (SP) e Everson Luis Luquesi Soares (SP).
GOLS: Thiago Feltri, 30’/2ºT (1-0); Herrera, 34’/2ºT (1-1); Diego Tardelli, 48’/2ºT (2-1)
CARTÕES AMARELOS: Souza, Rafael Marques e Adilson (GRE); Márcio Araújo (ATL)
CARTÕES VERMELHOS: Adilson, 44’/2ºT (GRE)

ATLÉTICO-MG: Juninho, Carlos Alberto, Welton Felipe, Leandro Almeida, Thiago Feltri (Júlio César, 42’/2ºT); Jonilson (Marcos Rocha, 39’/2ºT), Renan, Márcio Araújo, Júnior; Éder Luís (Alessandro, 26’/2ºT) e Diego Tardelli. Técnico: Celso Roth.

GRÊMIO: Vitor, Léo, Rever, Rafael Marques; Ruy (Joílson, Intervalo), Adilson, Souza, Tcheco, Fábio Santos (Jadílson, 32’/2ºT); Jonas (Herrera, 18’/2ºT) e Maxi López. Técnico: Marcelo Rospide.