Grêmio enfrenta o San Martín para tentar se aproximar das quartas-de-final

Grêmio tenta levar a terceira Libertadores

Primeiro jogo das oitavas da Libertadores é às 21h50m desta quarta-feira, em Lima, no Peru, contra adversário recém-nascido

Ampliar Foto Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM

Jonas joga ao lado de Maxi López

Os colombianos de Tunja, os bolivianos de Cochabamba e os chilenos de Santiago já testemunharam que o GrêmioLibertadores da América com a faca presa entre os dentes, louco para conquistá-la pela terceira vez. E agora chegou a vez dos peruanos de Lima. Às 21h50m (de Brasília) desta quarta-feira, o Tricolor tem jogo fundamental na trajetória de caça ao título. O adversário é o Universidad San Martín, em Lima, capital do Peru. É o primeiro jogo das oitavas-de-final da Libertadores.

O Grêmio vai a campo cheio de moral. Na primeira fase, foi o melhor entre todos os participantes do torneio. Como visitante, o aproveitamento é de 100%. Em três jogos, três vitórias – contra Boyacá Chicó, Aurora e Universidad de Chile. O objetivo da vez é conquistar um bom resultado para encaminhar a classificação às quartas-de-final. O jogo da volta contra os peruanos é na semana que vem, no Olímpico. O vencedor da disputa pegará Deportivo Cuenca, do Equador, ou Caracas, da Venezuela, na próxima fase.

Força máxima e boca fechada


Será o quarto jogo do Grêmio sob o comando do interino Marcelo Rospide, que assumiu o cargo na vaga de Celso Roth e desandou a ganhar. São três vitórias em três jogos. A tendência é de que ele ainda comande o time no jogo da volta, embora a diretoria tenha esperanças de anunciar Paulo Autuori antes de 20 de maio, quando termina o contrato dele com o Al-Rayyan, do Qatar.

Enquanto Autuori não chega, Rospide conta com o apoio do elenco. E também com alguma sorte. Para o jogo contra o San Martín, ele não tem desfalques. O time terá todos os titulares à disposição e ainda contará com mais possibilidades no banco. Alex Mineiro é opção para o caso de Jonas e Maxi López não funcionarem no ataque. Douglas Costa, recuperado de lesão no joelho, surge como alternativa para a articulação. O volante Túlio, buscado na semana passada no Corinthians, já integra a delegação no Peru.

O jogo em Lima coloca frente a frente os times de melhor e pior campanhas entre os classificados na primeira fase. O favoritismo, claro, é todo do Grêmio, mas os tricolores não querem saber de falar sobre isso. Eles elogiam o adversário a cada instante. É um antídoto contra um salto-alto que parece não combinar com o elenco azul. Na hora de cantar vantagens, os gremistas ficam de boca fechada.

– É um adversário forte. Todos os jogos são duros na Libertadores. Pelo que vimos do San Martín, é um time com dois meias argentinos muito bons (Cejas e Díaz). O adversário é forte especialmente em casa. Na primeira fase, eliminou o River Plate. Se fez isso, tem méritos, assim como o Grêmio tem pela campanha que fez – disse o argentino Maxi López.

Os gremistas acreditam que o fato de o clube ter feito a melhor campanha, com 16 pontos em 18 disputados, deixará os adversários mais atentos e respeitosos. Acima de tudo, os jogadores dizem que os números não são fruto do acaso. Acreditam que formam um time que está, sim, entre os candidatos ao título.

Adversário recém-nascido


O Universidad San Martín de Porres dá os primeiros passos no futebol sul-americano. É um clube universitário, nascido em 2004 da união entre professores e empresários. Em pouco tempo, se estruturou e já conquistou dois Campeonatos Peruanos, superando adversários mais tradicionais no país, como o Alianza Lima, o Sporting Cristal e o Cienciano.

Com pouca torcida, o San Martín conta com o apoio de torcedores de outros clubes para colocar pelo menos 15 mil pessoas no estádio Alejandro Villanueva, que pertence ao Alianza. O palco do jogo tem capacidade para 35 mil espectadores. O Grêmio não deve encontrar clima de pressão em Lima.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)


FICHA TÉCNICA:

SAN MARTÍN GRÊMIO
Leao Butrón, Jorge Huamán, Jorge Reyes, Cristian Ramos e Guillermo Guizasola; Mauro Cejas, John Hinostroza, Josepmir Ballón e José Díaz; Pedro García e Martín Arzuaga. Victor, Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy, Adílson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López.
Técnico: Victor Rivera. Técnico: M. Rospide.
Estádio: Estádio Alejandro Villanueva, em Lima (Peru). Data: 6 de maio Horário: 21h50m (de Brasília). Árbitro: Carlos Vera (Equador). Auxiliares: Juan Cedeño (Equador) e Carlos Herrera (Equador).
Transmissão: O SporTV mostra ao vivo para todo o Brasil. A RBS TV transmite para o Rio Grande do Sul.
Tempo Real: O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partir de 21h50m (de Brasília).