Ex-volante cava uma vaguinha no Grêmio

Presidente Duda Kroef afirma: ‘Tenho o nome dele na cabeça’

Perfil de China no site de relacionamentos

Perfil de China no site de relacionamentos (Crédito: Reprodução da internet)

Para conseguir uma vaguinha no clube de coração vale tudo. Em forma de desabafo, o ex-jogador do Grêmio China, campeão Mundial em 1983, pediu um lugarzinho no clube de coração em um site de relacionamentos. Agora treinador, ele lembra que está há 14 anos na profissão e nunca teve uma oportunidade em um clube grande.

Na mensagem em seu perfil ele diz “Eu aqui em Poa, tão perto, e eles (direção) só pensam em buscar treinadores. 14 anos e nenhuma oportunidade. Quero uma chance, só!”. Após a frase ele deixou seu telefone para contato. China sonha em ser técnico do Grêmio um dia, quer a oportunidade em breve e o presidente, Duda Kroef, não descarta a tão sonhada vaguinha de China no clube. Porém, o cargo que China deseja ainda está um pouco distante.

– Ele fez uma visita e colocou a disposição se o Grêmio precisar de ajuda. Tenho sempre o nome dele na minha cabeça, até porque foi um grande jogador, é um bom sujeito, um cara que eu gosto. Mas para treinador ele ainda não está preparado. Ele teria que passar por um outro time e no futuro pode ser – disse o presidente gremista, que ainda brincou sobre uma oportunidade como auxiliar do futuro treinador do time gaúcho:

– O que acontece é que os treinadores já têm um auxiliar. Mas se não tiver, quem sabe?

O ex-volante não esconde a vontade de voltar ao Olímpico. Como ele próprio definiu, este sonho começou junto com a carreira de treinador.

– Desde que peguei minha primeira apostila, estudando para ser treinador, a partir do momento que botei o apito no peito, meu desejo é treinar o Grêmio. Trabalho como treinador há 14 anos e nunca tive uma oportuniade em um time grande. Tem que ter méritos, mas ao mesmo tempo oportunidades. Meu objetivo sempre foi o Grêmio. Passa um presidente, passa outro, mas um dia pinta essa chance – falou o esperançoso treinador.

Companheiro de China no time campeão do mundo, Tita, que hoje em dia também é treinador e comandou o Vasco no ano passado, elogiou o amigo.

– O China é um cara com experiência como jogador, sabe o que é uma Libertadores. Além do mais, é um ex-atleta que conhece o clube. Não sei qual é o perfil que o Grêmio quer. Mas o China sempre foi sensato, equilibrado, calmo. Como treinador não sei se teria a experiência para dirigir o time nesse momento – avaliou.

No entanto, Tita disse que não faria o mesmo que o ex-volante do Grêmio:

– As pessoas pensam diferente e cada um tem uma cabeça, mas eu não faria o mesmo.

Desafio nos Andes: Grêmio encara Universidad para avançar na Libertadores

Empate coloca o clube brasileiro nas oitavas-de-final e vitória garante título do Grupo 7. Deve ser o último jogo sem o novo técnico

Ampliar Foto Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM

Tricolores sorriem durante treino do Grêmio

Passa por Santiago do Chile, vizinha da Cordilheira dos Andes, cidade com pinta de Europa e terra de bons vinhos, uma das missões mais decisivas do Grêmio no projeto de libertar a América pela terceira vez. Às 22h (de Brasília), o time tricolor vai a campo contra o Universidad de Chile, no Estádio Nacional. Objetivo: garantir pelo menos um ponto para assegurar matematicamente a classificação às oitavas-de-final da Libertadores e ter na palma das mãos a chance de terminar a primeira fase com a melhor campanha do Grupo 7. O título da chave estará assegurado com uma vitória nos Andes.

La U, como é chamado o clube chileno, foi o único oponente que passou incólume pelo Grêmio. E em pleno Olímpico. No primeiro jogo das duas equipes, os gaúchos bateram o recorde mundial de gols perdidos e tiveram que amargar empate por 0 a 0. Nos três duelos seguintes, o Tricolor bateu o Boyacá Chicó e o Aurora (duas vezes). Com isso, chegou a dez pontos, na liderança da chave, três à frente do Universidad.

Caso perca no Chile, o Grêmio irá para a última rodada empatado em pontos com os andinos, mas atrás nos critérios. Como é provável que os brasileiros batam o Boyacá no Olímpico e é quase inconcebível um tropeço de La U diante do Aurora, mesmo na Bolívia, o primeiro lugar seria decidido no saldo de gols. É justamente por isso que o Tricolor precisa pelo menos de um empate em Santiago. Se conseguir, será campeão do grupo com uma vitória simples sobre o Boyacá na rodada decisiva. Os lideres de cada chave ganham a vantagem de decidir em casa nas oitavas.

O GLOBOESPORTE.COM está ao lado do Grêmio no Chile e acompanha todos os detalhes da partida em Tempo Real. O SporTV mostra ao vivo para todo o Brasil. A RBS TV transmite para o Rio Grande do Sul.

Confira a tabela da Taça Libertadores

Em busca de um técnico

Pode ser o último jogo do Grêmio sem técnico. A equipe será novamente comandada por Marcelo Rospide, auxiliar nos tempos de Celso Roth, que agora orienta o time interinamente. É possível que a diretoria comunique, logo depois da partida, o acerto com Paulo Autuori, campeão do mundo pelo São Paulo. O treinador tenta convencer os donos do Al-Rayyan, do Qatar, a liberá-lo antes de maio, quando termina o contrato.

Enquanto o novo chefe não vem, o jeito é deixar tudo nas mãos de Rospide, que já comandou a turma tricolor na vitória de 3 a 0 sobre o Aurora, semana passada, no Olímpico. Para o duelo em Santiago, o treinador tem duas ausência na formação considerada titular. O ala Ruy e o atacante Alex Mineiro, lesionados, seguem fora. Os substitutos são, respectivamente, Makelele e o argentino Maxi López. Jonas, após cumprir suspensão, volta ao time para acompanhar La Barbie no ataque.

Jogo mais difícil

Ampliar Foto Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM

Maxi López espera dificuldades nesta quarta

O Grêmio não tem dúvidas de que o jogo contra o Universidad em Santiago será o mais difícil da primeira fase da Libertadores. A qualidade do adversário, considerado superior a Boyacá e Aurora, e o clima de decisão da partida deixam o clube gaúcho alerta.

– Acredito que será nosso jogo mais difícil. O Universidad é uma equipe forte, com jogadores em nível de seleção chilena. O treinador também é bastante rodado. Pelo que demonstrou até aqui, é um time que pode nos oferecer maior dificuldade, sim – afirmou Rospide.

O Universidad vive uma semana movimentada. Não bastasse o duelo decisivo com o Grêmio, o time chileno tem no domingo o clássico com o Colo-Colo. O técnico Sergio Markarián chegou a dizer que perder para o rival de Santiago seria mais doloroso do que ser derrotado pelo Grêmio. Mesmo assim, La U vai com o melhor time possível para o duelo desta quarta-feira. O meia Walter Montillo, lesionado, está fora.

UNIVERSIDAD DE CHILE GRÊMIO
Pinto, Diaz, Olarra, González e Rojas; Iturra, Seymour, Estrada e Contreras; Hernandéz e Olivera. Victor, Léo, Réver e Rafael Marques; Makelele, Adílson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López.
Técnico: Sergio Markarián. Técnico: Marcelo Rospide.
Estádio: Estádio Nacional, em Santiago (Chile). Data: 15/04/2008. Horário: 21h50m (de Brasília). Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai). Auxiliares: Emigdio Ruiz (Paraguai) e Milcíades Saldívar (Paraguai).
Transmissão: O SporTV mostra ao vivo para todo o Brasil. A RBS TV transmite para o Rio Grande do Sul.
Tempo Real: O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partir de 21h50m (de Brasília).