Ney Franco descarta Grêmio e avisa que não sai do clube

Treinador lembra que, à exceção do Ipatinga, sempre cumpriu seus contratos

Ney Franco será do Fogão até o fim da temporada

Ney Franco será do Fogão até o fim da temporada (Crédito: Paulo Sérgio)

Um suposto contato do Grêmio fez a diretoria se mobilizar para evitar que Ney Franco deixasse o clube em meio às disputas do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil. Prontamente, porém, o treinador descartou o rumor e já garantiu ao vice-presidente de futebol, André Silva, que fica.

– Não existiu nem sequer uma sondagem do Grêmio, já conversei com o André sobre isso. Sempre fiz por onde cumprir meus contratos. Com exceção da minha passagem pelo Ipatinga, quando fui para o Flamengo, saí por vontade dos clubes. Estou há dez meses no Botafogo e pretendo seguir – esclareceu Ney, que chegou a “indicar” alguns nomes para os gaúchos.

– Escutei que estão negociando com o (Paulo) Autuori, que é um grande treinador. Há outros bons nomes também, como o próprio Renato Gaúcho, que é identificado com o clube – lembrou.

Para confirmar seu discurso de que, ao menos até o fim da temporada, não deixará General Severiano, Ney revelou que dois times já o procuraram anteriormente. Ele, no entanto, nem ouviu a proposta.

– Interrompi logo no primeiro momento. Nem cheguei a discutir valores – disse.

Dívida impede que Renato treine o Grêmio

Tricolor teria pedido empréstimo ao ex-jogador no final dos anos 90

LANCEPRESS!

Não seriam apenas critérios técnicos que estariam atravancando a contratação de Renato Portaluppi pelo Grêmio. Uma dívida de R$ 1,1 milhão do clube com seu ex-jogador seria outro empecilho para um possível acerto.

No final dos anos 90, cheio de dívidas a serem quitadas, o Tricolor teria pedido um empréstimo a Renato. Em troca, o ex-camisa 7 gremista receberia uma porcentagem na venda dos jogadores Tinga e Ronaldinho. Até o ano passado, ele não havia sido ressarcido.

No final de 2008, Renato se reuniu com a direção do clube e entrou em acordo para integrar o condomínio de credores, criado pelo então presidente Paulo Odone, e suspender a ação que corria na Justiça para receber a quantia emprestada ao Grêmio. Mas ainda não viu a cor do dinheiro – que depende da venda de jogadores para ter parte repassada aos credores.

O ídolo do campeonato mundial de 1983 é o preferido dos gremistas em todas as enquetes. E também de Fábio Koff, ex-presidente do Tricolor e presidente do Clube dos 13. Principal cabo eleitoral do atual presidente Duda Kroeff, ele usou essa condição para apontar Renato como “único capaz de harmonizar as relações entre torcida e diretoria”.

Mesmo assim, o ídolo não tem recebido muitos elogios nos bastidores do Olímpico. Luiz Onofre Meira, diretor de futebol, por exemplo, questionou se Renato Portaluppi estaria, neste momento, preparado para assumir o Grêmio.

– Renato é um técnico em crescimento. Quem sabe ainda não é o momento dele? – disse o dirigente. O preferido é Paulo Autuori, atualmente no Al Rayyan, do Catar.