Revelações do Grêmio choram pelo adeus

Rafael Carioca e Mattioni devem ter suas saídas confirmadas esta semana

Rafael Carioca espera apenas um fax para confirmar sua ida para o Lokomotiv-RUSRafael Carioca espera apenas um fax para confirmar sua ida para o Lokomotiv-RUS (Crédito: Ricardo Rimoli)

LANCEPRESS!

Duas grandes revelações do Grêmio podem ter feito, neste domingo, sua última partida com a camisa tricolor: o volante Rafael Carioca e o ala-direita Felipe Mattioni.

A confirmação da venda de Rafael Carioca ao Lokomotiv, da Rússia, só depende da chegada de um fax, o que deve acontecer nesta segunda-feira.

– Entrei ao longo do primeiro turno, me firmei e ganhei visibilidade. Por isso despertei o interesse de outros clubes. Agradeço tudo ao Grêmio, que me deu a chance de valorização – disse Rafael Carioca, de 19 anos, sem conseguir segurar as lágrimas.

Felipe Mattioni, de 20, entrou no segundo tempo justamente em substituição a Carioca (Souza saiu da ala para o meio-campo) e foi o motor da virada, com suas arrancadas pela direita. Chorando, ele disse que gostaria de continuar no Grêmio, mas com uma condição.

– Vão ter que me prometer que eu vou jogar. Senão, vou seguir o meu caminho – afirmou o garoto, que é ídolo da torcida mas ainda não se firmou como titular. Seus direitos já foram adquiridos por um investidor. Se a resposta do Grêmio não for afirmativa, o jogador será oferecido na Europa na janela de janeiro.

Para dirigentes, Grêmio merecia ser campeão

Paulo Odone sela sua despedida da presidência com vitória

Paulo Odone assumiu o Grêmio em 2005, ano que o clube disputou a Série BPaulo Odone assumiu o Grêmio em 2005, ano que o clube disputou a Série B (Crédito: Ricardo Rimoli)

LANCEPRESS!

Os dirigentes do Grêmio consideraram injusto o resultado final do Brasileirão. Para o vice-presidente de futebol, André Krieger, o time de Celso Roth perdeu o título por detalhes.

– Nada ficamos a dever ao São Paulo, a quem derrotamos duas vezes. Deixamos de ser campeões pela diferença de uma vitória – observou Krieger, que chegou a chorar durante o jogo, ao saber do gol do Tricolor Paulista.

O presidente Paulo Odone, que se despede depois de dois mandatos, acreditou no título até o último momento. Confiava num “crime” do Goiás sobre o São Paulo.

– Seria o mais justo. Mas nada a opor ao título do São Paulo – disse Odone, que lembrou o fato de em quatro anos o clube ter saído da Série B para uma seqüência de grandes campanhas – como os vices da Libertadores de 2007 e deste Brasileiro.

– Que diferença para o meu primeiro jogo da Série B, em 2005. Fizemos um jogo no Beira-Rio, com portões fechados e com derrota, para o Avaí – recordou Odone, que confessou ter perdido alguns amigos nesses quatro anos.

– Pessoas que queriam cargos que hoje estão profissionalizados, como o do diretor-executivo Rodrigo Caetano, não falam mais comigo – revelou.

Celso Roth diz que pagou dívida com a torcida

Técnico ainda disse que chances de ficar no Grêmio são grandes

LANCEPRESS!

O técnico Celso Roth admitiu, depois do jogo final, neste domingo, que há grandes chances de ele permanecer no Grêmio em 2009. Bem-humorado, feliz com o sucesso de seu trabalho, Celso agradeceu à diretoria por tê-lo mantido, depois da eliminação da Copa do Brasil e do Gauchão.

Pergunta: Fica ou vai para o Atlético Mineiro?

Roth: Não há proposta do Atlético. Há sondagens, normais nessa época. Esta semana vou conversar com os dirigentes do Grêmio e antecipo que existe a possibilidade real de acerto. Seria importante para sedimentar o trabalho.

Pergunta: Feliz por ter classificado um time para a Libertadores pela primeira vez na carreira?

Roth: Feliz por ter pago aquela dívida com a torcida, pela perda da Copa do Brasil e do Gauchão. Foi a quarta vez que trabalhei no Grêmio, e, graças a Deus, sempre com bons trabalhos. Nem sempre se reconhece, né? Mas é assim, eu não faço marketing pessoal.

Pergunta: Mas inclusive hoje se reconheceu que a vitória teve o seu dedo.

Roth: De fato, fui feliz. Coloquei o Mattioni, que explorou bem o cansaço do César Prates. E o Souza, que é um talento, rendeu melhor ao ir jogar no meio, perto dos atacantes. Mas, se não tivéssemos vencido, talvez fosse criticado.

Pergunta: O Grêmio está pronto para uma grande campanha na Libertadores?

Roth: Vão ser contratados de três a quatro reforços de qualidade. Também é importante realçar. Pela primeira vez em muito tempo o Grêmio vira o ano com a maioria do elenco com contrato renovado. Mais de vinte do grupo principal. É assim que se trabalha.

Grêmio vence Galo, mas fica com o vice

Tricolor faz o dever de casa, porém, vê São Paulo levantar mais um título

(Crédito: Ricardo Rimoli)

Não foi dessa vez que a mística do Imortal Tricolor entrou em campo. O Grêmio fez sua parte e venceu o Atlético-MG por 2 a 0 neste domingo, no Olímpico, mas acabou ficando com o vice-campeonato brasileiro, já que no Bezerrão, o São Paulo derrotou o Goiás e ficou com o caneco.

O Grêmio começou a partida marcando pouco e deixando o Atlético jogar. A torcida tricolor só se levantou quando Souza recebeu na direita e arriscou para Édson pegar em dois tempos. O Tricolor gaúcho não ditava o ritmo da partida como geralmente faz quando joga no Olímpico.

O placar do Olímpico não anunciou, mas o gol do São Paulo foi uma ducha de água fria na torcida tricolor. O Grêmio começou a errar passes e o Galo foi ganhando campo e começou a incomodar o time da casa. No entanto, Souza, o melhor do Grêmio no primeiro tempo, buscava o jogo o tempo todo, criava as melhores jogadas dos anfitriões e tentava dar um alento para os gaúchos.

O título ficava distante e o Grêmio não fazia o dever de casa. Para piorar, o Atlético-MG ainda esteve mais perto do primeiro gol. Castillo obrigou Victor a salvar o Tricolor.

Tcheco, sumido no primeiro tempo, tentou assumir o papel de capitão e chamar a responsabilidade. Mas quem tocava a bola com tranqüilidade era o time visitante.

Precisando do gol, Roth não teve opção: colocou Mattioni e André Luis. E em sua primeira jogada, o primeiro foi derrubado por César Prates na área.Pênalti convertido por Tcheco.

O gol acordou o Tricolor, que precisava de um milagre para ficar com o título brasileiro. O Atlético passou a chegar menos e quase não incomodou a meta do goleiro Victor na etapa complementar. Um minuto depois de um avião sobrevoar o Olímpico com uma faixa “Inter, campeão de tudo”, Souza colocou na área e Soares desviou de cabeça para o gol.

O título não veio, mas a vitória sobre o Galo pode significar uma boa campanha na Libertadores do ano que vem. Já o Atlético-MG se despede do ano de seu centenário com alguns sustos, mas com vaga na Sul-Americana.
FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 2 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data: 07/12/2008 às 17h(de Brasília)
Árbitro: Luis Antônio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Dibert Pedrosa Moisés (RJ)
Cartão Amarelo: Willian Magrão (GRE); Leandro Almeida, Nen, Édson (ATL)
Cartão Vermelho: Não houve
Gols: Tcheco, 17’/2ºT (1-0); Soares, 37’/2ºT (2-0)

GRÊMIO: Victor, Leo, Jean e Réver; Souza, Rafael Carioca (Felipe Mattioni, 12’/2ºT) , William Magrão, Tcheco e Hélder (André Luis, 15’/2ºT); Perea e Marcel (Soares, 36’/2ºT). Técnico: Celso Roth

ATLÉTICO-MG: Édson, Sheslon, Welton Felipe, Leandro Almeida e César Prates; Nen, Elton (Beto, 31’/2ºT), Marcio Araujo e Renan Oliveira; Castillo (Jael, 22’/2ºT) e Pedro Paulo. Técnico: Marcelo Oliveira